ARTIGO PÓS GRADUAÇÃO ENSINO LÚDICO.
12 pág.

ARTIGO PÓS GRADUAÇÃO ENSINO LÚDICO.


DisciplinaProjeto Integrado de Pesquisa e Prática Pedagógica 22 materiais54 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Faculdade São Luís
BRINCAR, APRENDER E FAZER ACONTECER: IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL
AUTORA:
ADRIANA AUGUSTA DA SILVA
 
	
Graduação em Pedagogia, Especialização em: Ed. Infantil e Psicomotricidade pela Instituição: Universidade São Luiz adryanaa01@yahoo.com.br
 Janeiro/2018
RESUMO
Resumo: Este artigo busca analisar a importância da brincadeira na Educação Infantil , tendo como partida as funções do lúdico no desenvolvimento emocional, social, cultural, afetivo e cognitivo da criança. Estruturado através das finalidades de: compreender a importância do lúdico para o desenvolvimento integral da criança, além de reconhecer a importância das atividades lúdicas no processo de ensino- aprendizagem. Para a o entendimento da temática teórico-metodológica foram realizados árduos estudos bibliográficos e documentais e ainda um questionário com professoras de uma Escola Municipal. De Guarulhos. O estudo mostra que, o brincar na infância e na educação infantil muito mais do que uma prática pedagógica desenvolvida, estimulada pelas instituições de atendimento à criança pequena é inerente ao próprio desenvolvimento infantil desvelando modelos sociais construídos em uma determinada sociedade num dado momento histórico.
Palavras-chaves: brincadeiras na educação infantil; ensino-aprendizagem; educação infantil.
INTRODUÇÃO
Brincar é uma importante forma de comunicação, é por meio deste ato que a criança pode reproduzir o seu cotidiano, num mundo de fantasia e imaginação. O ato de brincar possibilita o processo de aprendizagem da criança, pois facilita a construção da reflexão, da autonomia e da criatividade, estabelecendo, desta forma, uma relação estreita entre jogo e aprendizagem.
Para definir a brincadeira infantil, ressaltamos a importância do brincar para o desenvolvimento integral do ser humano nos aspectos físico, social, cultural, afetivo, emocional e cognitivo. Para tanto, se faz necessário conscientizar os pais, educadores e sociedade em geral sobre à ludicidade que deve estar sendo vivenciada na infância, ou seja, de que o brincar faz parte de uma aprendizagem prazerosa não sendo somente lazer, mas sim, um ato de aprendizagem, e ainda a importância desta ludicidade nas intervenções e prevenções de problemas de aprendizagem na visão da psicopedagogia. Neste contexto, o brincar na educação infantil proporciona a criança estabelecer regras constituídas por si e em grupo, contribuindo na integração do indivíduo na sociedade. Deste modo, à criança estará resolvendo conflitos e hipóteses de conhecimento e, ao mesmo tempo, desenvolvendo a capacidade de compreender pontos de vista diferentes, de fazer-se entender e de demonstrar sua opinião em relação aos outros, e ainda e nesse ato que podemos diagnosticar e prevenir futuros problemas de aprendizagem infantil. É importante perceber e incentivar a capacidade criadora das crianças, pois esta se constitui numa das formas de relacionamento e recriação do mundo, na perspectiva da lógica infantil.
Neste sentido, o objetivo central deste estudo é analisar a importância do brincar na Educação Infantil, numa visão psicopedagógica, pois segundo os autores pesquisados, este é um período fundamental para a criança no que diz respeito ao seu desenvolvimento e aprendizagem de forma significativa.
O DESENVOLVIMENTO INFANTIL E O LÚDICO
O direito do brincar é assegurado à criança, desde pequenas já estão inseridas em diversos ambiente, é por este que irei dialogar sobre a importância dos estudos sobre o brincar na Educação Infantil. 
Somos inserido em um mundo informatizado e informativo, se faz cada vez mais necessário ter seres humanos que tenham opiniões próprias, seres ativos, dinâmicos, responsáveis pelos seus atos, e o lúdico é um grande auxiliar no desenvolvimento cognitivo, físico, afetivo, entre outros aspectos. A família tem o papel fundamental em acompanhar o desenvolvimento das crianças, sendo assim \u201c escola e família é a base de um alicerce que se completam \u201d (MEYER, 2008, p. 44) e assim a criança sente-se mais segura durante a realização das atividades na escola. 
A criança brincando, ela é verdadeira, solto a imaginação e na Educação Infantil o comportamento é de, \u201cvalorizar os conhecimentos que as crianças possuem e garantir a aquisição de novos conhecimentos\u201d (MEYER, 2008, p. 44). A brincadeira trás as crianças novos conceitos, assimilam novas ideias. A criança possui uma individualidade própria que merecem ser respeitadas. O professor necessita se requalificar para que seu ofício preencha as carências de cada criança que, são pequenos sujeitos , porém com grandes cargas a carregarem mas produtoras de diversidade de história e cultura. 
É na Infância que o lúdico tem seu papel importante para o crescimento das crianças, inclusive no seu cognitivo, pois as brincadeiras apresentam com elas \u201cum brincar compromissado com a qualidade de vida da criança\u201d (MEYER, 2008, p. 22). Os professores tomam o papel de mediadores no ambiente escolar, tendo como objetivo, valorizar o desenvolvimento desse ser humano.
A brincadeira é solene para o desenvolvimento social e psicológico, é lado a lado que a criança pode expressar os seus sentimentos em relação ao mundo social. A criança perpetua e diferencia a realidade através das diversas brincadeiras existentes, grandioso será o desenvolvimento sob os diferentes aspectos. 
Os jogos são perfeitos para desenvolver o raciocínio lógico e contribui no desenvolvimento da imaginação, simulação e estratégias, a finalidade de oportunizar para a criança a formação de novos conhecimentos e/ou novas habilidades, \u201cbrincar é uma linguagem, é a nossa primeira forma de cultura\u201d (MEYER, 2008, p. 33), não deveríamos deixar de brincar \u201d , nos faria entendê-las com mais desenvoltura. 
Vygotsky (1991, p. 134) faz uso das palavras de Montessori, quando relata que \u201co jardim de infância é o lugar apropriado para o ensino da leitura e da escrita\u201d, mas que estas descubram as respectivas habilidades durante as situações de brinquedo.
3.1- O BRINCAR INFANTIL E A AÇÃO DO PROFESSOR
O brincar, na perspectiva dos professores, segundo o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil \u2013 RCNEI (BRASIL, 1988), refere-se ao papel do professor de estruturar o campo das brincadeiras na vida das crianças, disponibilizando objetos, fantasias, brinquedos ou jogos e possibilitando espaço e tempo para brincar.
É de domínio público o reconhecimento de valor educativo do ato do brincar; é vital para a aprendizagem da criança. Perante o exposto, os professores devem incorporar a brincadeira no universo escolar, tendo-a como aliada para se aproximar da criança, com o objetivo de ensinar brincando.
 Uma união perfeita é entre criança e brincadeira. É improvável que exista uma criança que não goste de brincar, que não se deixa abraçar pelo mundo da imaginação. O brincar tem o olhar para o ensino e numa aprendizagem mais encantador e mais apaixonante do real, pois leva a fazer uma correspondência entre a realidade e a fantasia. É necessário caracterizar a brincadeira como uma estratégia a mais na sala de aula; devemos, tendo-a como um instrumento pedagógico, já que sabemos que a brincadeira desenvolve os aspectos físicos e sensoriais, além do desenvolvimento emocional, social e da personalidade da criança.
É através da brincadeira que o aluno se expressa, expõe suas emoções, assim o professor conhece melhor o aluno ,percebendo suas característica e personalidade, podendo auxiliar a suprir seus limites e respeitar regras com disciplinas.
Uma rápida explicação dos termos usados \u201c brincadeira, brinquedo e jogo\u201d, ainda há muita desordem em relação a esses termos. Em alguns contextos, são usados como sinônimos. Mas, segundo Dallabona (2004), brincadeira basicamente se refere