A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
ATIVIDADE 1

Pré-visualização | Página 1 de 2

ATIVIDADE 1
Cite pelo menos 2 dos princípios ético-profissionais do assistente social, sob a ótica dos autores, Beatriz Augusto de Paiva e Mione Apolinário Sales, em seu artigo, A nova Ética Profissional: Práxis e Princípios, p. 174-208, no livro, Serviço Social e Ética, de Dilséa Bonetti et al.
Os princípios foram escritos e organizados sistematicamente, e compõe o Código de Ética de 1993, possuem sentido teórico e prático, que aliados, nos dão embasamentos criteriosos para uma ação profissional de acordo com os preceitos do projeto ético-político da profissão.
Os princípios éticos profissionais do assistente social, sob a ótica dos autores, Beatriz Augusto de Paiva e Mione Apolinário Sales, são onze princípios, sendo assim citarei dois:
PRIMEIRO PRINCIPIO
“Reconhecimento da liberdade como valor ético central e das demandas a ele inerentes: autonomia, emancipação e plena expansão dos indivíduos sociais. ” (PAIVA; SALES, p.181). A atuação do assistente social será possível neste caso, por meio de muita competência técnica-política dos profissionais envolvidos.
DÉCIMO PRINCIPIO
“Compromisso com a qualidade dos serviços prestados à população e com o aprimoramento intelectual na perspectiva da competência profissional” (PAIVA; SALES, p.202). O profissional deve estar motivado em sua atuação pela “tríade” - ética, técnica e política, - como caminho para seu crescimento gradual sem que caia na conhecida apatia, resignação ou tédio e frustação que ocorrem devido à falta de alternativas para intervenção.
Os dois princípios citados, estabelece relações entre a técnica, a política e a ética que o assistente social deve adotar no desenvolvimento de sua pratica, contribuindo para uma pratica profissional mais crítica, coerente e responsável.
ATIVIDADE 6. 
O descumprimento das determinações expostas no Código de Ética do Assistente Social pode acarretar em penalidades que vão desde? Cite as penalidades.
O Código de Ética de 1993, passando por duas alterações que foram regulamentadas pelo CFESS nas resoluções nº 290/94 e 293/94.O descumprimento das determinações expostas no Código de Ética do Assistente Social pode acarretar em penalidades que vão desde multa a cassação do exercício profissional, o que acaba acarretando infração de lei:
Penalidades Previstas no Art. 24 aplicáveis são as seguintes:
Multa
Advertência reservada
Advertência pública
Suspensão do exercício profissional
Cassação do exercício profissional
Parágrafo único: Serão Eliminado dos quadros do CRESS, aqueles que fizerem falsa 
prova dos requisitos exigidos nos Conselhos. (CODIGO DE ÉTICA, art. 24, a – e)
ATIVIDADE 7.
Descreva o Projeto Ético-Político do Serviço Social, com um breve histórico.
O Projeto ético-político do Serviço Social não se trata de um documento, pois está diretamente relacionado a um processo de construção coletiva que e tem ligação com um projeto que trabalha em uma busca de uma transformação societária.
O Projeto Ético-Político Social propõe a construção de uma nova ordem social, sem exploração ou dominação de classe, etnia e gênero, ou seja, este projeto tem o propósito de transformação da sociedade brasileira.
O Serviço Social caracteriza-se como uma profissão de alta relevância social a medida que intervém em diversas realidade contemporâneas que debatem as consequências das manifestações da questão social impostas pelo sistema capitalista. As intervenções do assistente social são norteadas pelo que se denomina projeto ético-político, resultado do processo histórico intenso de construção constante em torno de implicações éticas na profissão. 
O Projeto Ético-Político foi constituído entre os anos 1970 aos 1980, num processo de redemocratização da sociedade brasileira, consolidando-se na década de 90. Nos anos de 1990, após muitos encontros, debates, oficinas, foram aprovadas as novas Diretrizes Curriculares, em 1996. O marco desse amadurecimento se deu por meio da Lei que Regulamente a Profissão, mas também através da atualização do Código de Ética da Profissão, a década foi marcada pela interiorização da profissão, de modo que os assistentes sociais passaram a atuar nas mais diversas áreas de políticas públicas. Isso permitiu a ampliação do serviço social, seja nas novas políticas criadas ou na ampliação das políticas já existentes. O Código de Ética do assistente social apresenta como centralidade do compromisso com a classe trabalhadora. Desse modo entende-se que, o Projeto Ético-Político do Serviço Social, implica compromisso com uma nova ordem social na qual busca-se competências profissionais que visem formação permanente e constante postura investigativa. 
Na conjuntura atual, mesmo diante das adversidades, os assistentes sociais seguem reafirmando suas lutas, defendendo as políticas sociais e reafirmando a importância de não retroceder, mas de avançar e aprofundar nossa democracia. O profissional está sujeito a passar por ajustes, transformações inerentes ao mundo do trabalho. 
Sendo assim, conclui-se o Projeto Ético-Politico avançou nos anos 80, consolidou-se nos anos 1990 e ainda está em construção em meio aos desafios impostos pelo neoliberalismo que ameaçam a democracia defendendo o fortalecimento do projeto neoliberal e a exclusão da classe trabalhadora do processo de participação social. Assim, o Serviço Social continua reafirmando seu compromisso ético-político, ajudando a construir as novas políticas sociais, sem deixar de reafirmar seu posicionamento contrário ao projeto neoliberal.
ATIVIDADE 8. 
Quais são as competências e atribuições privativas do Assistente Social. 
Art. 4. Constituem competência do Assistente Social: I – elaborar, implementar, executar e avaliar políticas sociais junto a órgãos da administração direta ou indireta, empresas, entidades e organizações populares; 
II – elaborar, coordenar, executar e avaliar planos, programas, e projetos que sejam do âmbito de atuação do Serviço Social com participação da sociedade civil; 
III – encaminhar providências e prestar orientação social a indivíduos, grupos e à população;
 IV - (Vetado); 
V – orientar indivíduos e grupos de diferentes segmentos sociais no sentido de identificar recursos e de fazer uso dos mesmos no atendimento e na defesa dos direitos; VI – planejar, organizar e administrar benefícios e Serviço Sociais; 
VII – planejar, executar e avaliar pesquisas que possam contribuir para a análise da realidade social e para subsidiar ações profissionais; 
VIII – prestar assessoria e consultoria a órgãos da administração pública direta e indireta, empresas privadas e outras entidades, com relação às matérias relacionadas no inciso II deste artigo; 
IX - prestar assessoria e apoio aos movimentos sociais em matéria relacionada às políticas sociais, no exercício e na defesa dos direitos civis, políticos e sociais da coletividade;
 X – planejamento, organização e administração de Serviços Sociais e de Unidade de Serviço Social; 
XI – realizar estudos socioeconômicos com os usuários para fins de benefícios e serviços sociais junto a órgãos da administração pública direta e indireta, empresas privadas e outras entidades. 
 Dentre as competências do Assistente Social, podemos destacar 3 importantes pontos: Alguns pilares de ação do Assistente Social: Planejar, Elaborar, Coordenar, Executar, Orientar e Avaliar. Esses pilares estão presentes em quase todos artigos e especificam bem a metodologia de trabalho do Assistente Social
Art. 5º. Constituem atribuições privativas do Assistente Social:
 I – coordenar, elaborar, executar, supervisionar e avaliar estudos, pesquisas, planos, programas e projetos na área de Serviço Social; 
II – planejar, organizar e administrar programas e projetos em Unidade de Serviço Social; 
III – assessoria e consultoria a órgãos da administração pública direta e indireta, empresas privadas e outras entidades, em matéria de Serviço Social; 
IV - realizar vistorias, perícias técnicas, laudos periciais, informações e pareceres sobre matéria de Serviço Social; 
V. – assumir