A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Solução - Problema de atrito, pista, inclinação, Fct, raio.

Pré-visualização | Página 1 de 1

www.fisicaexe.com.br 
 1 
 Um carro percorre uma pista curva de raio R e inclinação θ, qual será a velocidade 
máxima que o carro pode ter para fazer a curva independente do atrito. 
 
 
 Dados do problema 
 
• raio da curva: R; 
• inclinação da curva: θ. 
 
 Esquema do problema 
 
 
 
figura 1 - Curva inclinada no antigo autódromo de AVUS em Berlin, Alemanha 
 
 As forças que agem no carro são a força peso (P
r
), verticalmente para baixo e a força 
normal ( NF
r
), perpendicularmente à pista. Estas duas forças têm como resultante a força 
centrípeta ( CPF
r
) que aponta para o centro da curva. 
 
 Solução 
 
 O ângulo de inclinação da pista é θ, a força peso é perpendicular à horizontal (90º), a 
soma dos ângulos internos de um triângulo é 180º, então, °=°+θ+α 18090 , portanto o ângulo 
entre a força peso e a pista inclinada vale θ−°=α 90 (figura 2-A). 
 
 
figura 2 
www.fisicaexe.com.br 
 2 
O ângulo entre a pista inclinada e plano horizontal é θ e o ângulo entre a força centrípeta é a 
horizontal também é θ, pois estes ângulos são alternos internos (figura 2-B). O ângulo entre a 
força normal e a força centrípeta é α (figura 2-C) e o ângulo entre a força normal e o eixo 
vertical é θ, pois °=θ+α 90 (figura 2-D). Este ângulo será usado para decompor a força 
normal em suas componentes (figura 3). 
 Desenhando as forças num sistema de eixos coordenados 
podemos aplicar a 2.ª Lei de Newton 
 
amF
rr
.= 
 
 Decompondo as forças na direção x temos 
 
PCxN FF = 
PCN sen amF =θ (I) 
 
 Decompondo as forças na direção y temos que nesta 
direção não há movimento, portanto a resultante das forças é nula 
 
0cos
0.
N
yN
=−θ
=−
gmF
mPF
 
gmF =θcosN (II) 
 
 Com as equações (I) e (II) temos um sistema de duas equações a duas incógnitas ( NF 
e CPa ) 
 
gmF
amF
.cos.
.sen.
N
CPN
=θ
=θ
 
 
a aceleração centrípeta é dada por 
R
v
a
2
CP = , substituindo este valor no sistema ficamos com 
 
gmF
R
v
mF
.cos.
.sen.
N
2
N
=θ
=θ
 
 
dividindo uma equação pela outra temos 
 
θ=
=
θ
θ
=
θ
θ
tg..
.cos
sen
.
.
cos.
sen.
2
2
2
N
N
gRv
gR
v
gm
R
v
m
F
F
 
 
θ= tg..máx gRv 
 
figura 3

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.