Drenagem Venosa e Linfática
4 pág.

Drenagem Venosa e Linfática


DisciplinaAnatomia II987 materiais27.042 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1
Drenagem Venosa e Linfática \u2013 cabeça e pescoço
A drenagem venosa é feita por vasos capilares
Os capilares se juntam e formam Vênulas (veias pequenas), que se fundem formando veias que vão para o coração;
Essas veias são vasos aferentes responsáveis pelo retorno sanguíneo dos tecidos para o coração
As veias menores despejam em veias maiores veias tributárias \u2013 são elas superficiais e profundas
Quando são localizadas mais profundamente, as veias geralmente acompanham o trajeto das artérias (são veias satélites, porque acompanham e tem o mesmo nome das artérias).
Veias da Cabeça
A drenagem venosa intracraniana	 é feita pelos seios venosos da dura-máter.
A drenagem extracraniana	 é feita essencialmente pelo sistema da veia facial e da veia retromandibular.
Seios Venosos da Dura-máter
Esses seios drena o sangue do interior da cabeça que vão para o seio sigmoide. Os seios da base do crânio também drenam para esse seio. Então, o sigmoide \u201cpassa\u201d pelo forame jugular, continuando como VEIA JUGULAR INTERNA.
Os seios venosos (seio superior, inferior sagital inferior, reto, transverso) vão para:
Confluência dos seios
	Passa pelo forame jugular (V.J.I)
Seio transverso
	Obs: Os seios da base do crânio drenam para
Seio sigmoide
Veia Facial
É a principal rede de drenagem da face, da órbita e da fronte.
Se inicia no ângulo interno do olho, atravessa a face paralela, posterior à artéria facial e por fim termina no pescoço;
Na bochecha a veia facial é VEIA FACIAL PROFUNDA originada do PLEXO VENOSO PTERIGÓIDEO.
Abaixo da borda inferior da mandíbula, a veia facial se une com a divisão anterior da veia retromandibular, que desemboca na VEIA JUGULAR INTERNA.
A veia facial recebe sangue das veias labial superior, inferior e submentual. 
A única artéria (superficial /maxilar) que irriga a face é a externa.
Veia Lingual
Começa no dorso, lados e superfície inferior da língua, passa junto da artéria lingual, desembocando na V.J.I.
Veia Maxilar
Recebe o sangue do plexo pterigoideo
Possui um trajeto curto e superficial em comparação com a artéria homônima
Por fim se une com a veia temporal superficial, então, forma a veia retromandibular
Veia Retromandibular
Responsável pela drenagem da região temporal, infratemporal e regiões profundas (cavidades oral e nasal)
Ela é formada pela junção da veia maxilar e veia temporal superficial
Se inicia atrás do pescoço, no interior da parótida e acompanha a artéria carótida externa
Se divide em anterior (veia facial comum) e posterior (veia auricular posterior) \u2013 V.J.E.
Plexo Venoso Pterigóideo 
Se comunica com seio cavernoso
Recebe drenagem das veias que correspondem aos ramos das duas partes anteriores da artéria maxilar.
A drenagem desse plexo vai para as veias maxilares, que se junta com a veia retromandibular e por fim desemboca na veia jugular interna.
O plexo venoso recebe várias tributárias oriundas das cavidades nasal, oral, craniana e dos músculos da mastigação, denominadas:
Veias esfenopalatinas \u2013 drenam a parte posterior da cavidade nasal e parte do palato
Veias meníngeas médias \u2013 drenam a dura-máter; estas veias vêm do crânio pelo forame espinhoso;
Veias emissárias esfenoidais \u2013 se comunicam com o seio cavernoso;
Veias articulares \u2013 originadas da ATM
Veias auriculares \u2013 originadas do ouvido interno;
Veia transversa da face \u2013 drena o sangue da parte posterior da bochecha e da glândula parótida
Veias alveolares inferiores \u2013 tem origem dos dentes inferiores e da mandíbula
Veias alveolares superiores posteriores \u2013 tem origem dos dentes superiores posteriores e da maxila
Veias musculares \u2013 tem origem dos músculos da mastigação. 
Drenagem Do Pescoço
Semelhante a cabeça
 As veias estão dispostas como SUPERFICIAIS e PROFUNDAS. 
 Veia jugular Anterior	Veia jugular Interna
 Veia jugular Externa 
Veia Jugular Anterior:
É uma veia inconstante e delgada
Se origina pela junção das veias submentuais 
Pode estar unida com a V.J.A. do lado oposto pelo ARCO VENOSO JUGULAR
Termina na veia jugular externa ou na veia subclávia.
Veia Jugular Externa:
Drena a maior parte do couro cabeludo e a região lateral da face
Se inicia na região do ângulo da mandíbula, pela união da veia auricular posterior e da divisão posterior da veia retromandibular.
Se localiza na parte externa ao músculo esternocleidomastóideo, e coberta pelo platisma.
Veia Jugular Interna:
É a maior veia da cabeça e do pescoço e mais calibrosa
Drena o encéfalo, a região anterior da face e as estruturas profundas do pescoço
Sai do forame jugular 
Ela flui para veia subclávia \u2013 branquiocefálica \u2013 veia cava superior
Próximo à junção das jugulares internas com as subclávias, ocorre o retorno da drenagem linfática, pelo ducto faríngeo direito e o ducto torácico(lado esquerdo).
DRENAGEM LINFÁTICA
Constitui uma vasta rede de vasos de paredes finas que sua função é absorver e drenar o excesso de líquido tecidual \u2013 linfa \u2013 e das proteínas plasmáticas que extravasam da corrente sanguínea.
Remove resíduos formados na decomposição celular e de infecções e serve como um sistema defesa do corpo 
Os vasos linfáticos (cavidade abdominal) tem a função de transportar lipídeos e vitaminas lipossolúveis.
Os principais componentes do sistema linfático são os plexos linfáticos, vasos linfáticos, linfonodos e o tecido linfoide.
Plexo linfático: são redes de capilares, que começam fechados em uma das suas extremidades, se localizam nos espaços intercelulares. E permitem a entrada para o seu interior de grandes moléculas, bactérias, resíduos celulares, podendo transportar até células inteiras, como linfócitos. Além da linfa.
Vasos linfáticos: os capilares se unem formando esses vasos, e estão presentes em quase todo o corpo. Possuem paredes finas com válvulas abundantes. Os vasos linfáticos superficiais são mais numerosos que as veias subcutâneas, se comunicam livremente e segue o trajeto das veias. Drenando, então, para os vasos linfáticos profundos, que na cabeça e pescoço, estão localizados em torno da veia jugular interna.
Linfonodos: são massinhas de tec. Linfático, nos quais a linfa é filtrada em seu percurso até o sistema venoso
Tecido linfoide: são os locais que produzem os linfócitos (paredes do trato digestório, baço, timo e linfonodos), e o tecido mielóide (medula óssea vermelha).
Drenagem superficial 
A linfa da cabeça drena inicialmente para os linfonodos superficiais (colar linfático pericervical)
Destacam-se os linfonodos submentuais, submandibulares, pré-/pós-auriculares e occipitais.
Esses linfonodos drenam para os linfonodos cervicais profundos 
Linfonodos submentuais: recebem a linfa da parte medial do lábio inferior, do mento, dos dentes anteriores inferiores e da região anterior do soalho da boca. Após passar por estes linfonodos a linfa se dirige posteriormente, alcançando os linfonodos submandibulares.
Linfonodos submandibulares: recebe a linfa da bochecha, nariz, seios paranasais, lábio superior, regiões laterais do lábio inferior, glândulas submandibulares e sublinguais, região posterior da mandíbula. Os vasos linfáticos dos dentes e gengivas superiores e inferiores seguem para estes linfonodos. Após passar por eles, a linfa vai para os linfonodos jugulares superiores (profundos).
Linfonodos Pré-auriculares (parotídeos): recebe a linfa da região temporal, parte lateral da face e pálpebras, parte posterior da bochecha, orelha externa e glândula parótida. E estão localizados em torno da glândula parótica, anteriormente ao pavilhão auricular.
Linfonodos Pós-auriculares (mastoideos): recebe a linfa do pavilhão da orelha e grande parte do couro cabeludo adjacente (retroauriculares). 
OBS: os linfonodos pré- e pós-auriculares drenam para os linfonodos infra-auriculares (inferiores ao lóbulo da orelha) e depois para os linfonodos jugulares superiores.
Linfonodo occipital: Drena a linfa da região posterior do couro cabeludo. Fica na região occipital, drenando para os linfonodos jugulares superiores ou linfonodos