A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Estudo dirigido Poliana

Pré-visualização | Página 1 de 1

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
Departamento de Ciências da Religião
A Bíblia e a formação da cultura ocidental 
Estudo dirigido de texto
	A RELAÇÃO ENTRE ESCRITURA E PALAVRA DE DEUS NOS TRÊS MONOTEÍSMOS
	Introdução
Segundo Geffré, temos o costume de nomearmos as três religiões monoteístas ligadas à posteridade de Abraão como religiões do Livro. Por que, em certo sentido, essa afirmação é correta?
Quando há, segundo o Geffré, revelação em sentido estrito?
Ainda de acordo com Geffré, essa particularidade é uma herança comum entre os três monoteísmos. No entanto, evocar essa herança comum significa afirmar uma igualdade de revelação entre os três monoteísmos? Justifique sua resposta.
	A originalidade de um Deus que fala
	 O que podemos entender por Revelação?
Algo de notável se destaca quando o assunto é revelação bíblica. Qual é esse algo notável?
Em que o Deus de Abraão se distingue dos demais deuses?
Qual é a especificidade do Deus de Abraão?
Os três monoteísmos têm uma ligação privilegiada com o logos (palavra, verbo) e com a escritura. Mas quem diz escritura diz precisamente o que?
	A tensão entre a escritura e a palavra de Deus
	Em que sentido é possível afirmar que existe uma tensão entre Escritura e Palavra de Deus nos Três Monoteísmos?
	2.1. A Torá de Deus
	2.2. Cristo ou a Palavra de Deus feita carne
	2.3. O Corão ou a Palavra de Deus feita Livro
	No caso do judaísmo de que forma é possível compreender a revelação?
Por que, no caso judaico, não é possível identificar a Palavra de Deus com um livro que teria caído do céu, desvinculado dos acontecimentos da história?
Por que, segundo Geffré, no caso judaico não é possível afirmar a existência de uma revelação imediata, no sentido de palavras pronunciadas por Deus mesmo, por intermédio de um mensageiro ou autor sagrado, puramente passivos?
Em que sentido é possível afirmar que a revelação judaica se reveste, sobretudo, de uma exigência ética?
Descreva a relação entre Torá Escrita e Torá Oral no judaísmo rabínico.
	De acordo com Geffré, qual é a novidade/especificidade da revelação cristã?
Descreva a novidade trazida pelo cristianismo tendo em vista a relação Livro e Povo.
Descreva a relação dialética estabelecida por Geffré entre os termos Cristo, Igreja e Livro.
De que forma a revelação foi compreendida pelo Concílio Vaticano II?
Por que o texto do Novo Testamento é já uma interpretação?
De acordo com Geffré, nas origens do cristianismo não encontramos um livro fundador. O que, então, encontramos?
	Qual é a especificidade da revelação corânica?
Por que a revelação corânica não é uma novidade em relação às duas outras revelações?
Em que sentido é um equívoco afirmar que o Corão é um livro inspirado, tendo em vista o sentido cristão de inspiração?
O que distingue o Corão escrito do Corão recitado?
De acordo com a Sura 26, 195, “Deus falou em árabe claro”. Segundo Geffré, qual é o significado dessa Sura de acordo com certa tradição muçulmana?
	A exigência hermenêutica dos três monoteísmos
	 Segundo Geffré, é possível reconhecer uma certa homologia nos três monoteísmos tendo em vista a relação em Palavra de Deus e as expressões humanas e históricas dessa palavra. Qual é essa homologia?
 O que significa afirmar que as três religiões escriturísticas tem em comum o fato de se encontrarem em situação hermenêutica?
 Qual é a importância da Tradição e da Tradução para as religiões escriturísticas?
 Qual é o risco do fundamentalismo escriturístico?
 O que significa, para Geffré, a Escritura dita inspirada?

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.