A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
PROJETO DE MONOGRAFIA: IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE UMA PROPOSTA DE ENSINO DE LEITURA EM AULA DE LÍNGUA INGLESA DO ENSINO MÉDIO

Pré-visualização | Página 3 de 3

a atenção dos alunos em aspectos do texto que possa ativar o conhecimento deles.
Ativar o pré-conhecimento do aluno em relação à organização textual: explorar no aluno o conhecimento que tem através da visão estrutural do texto: “explorar itens lexicais, cabeçalhos, distribuição gráfica do texto” (Idem p. 91-92), facilitando o gênero e tipologia textual, por exemplo.
Situar o texto na prática interacionista: nesse momento os alunos e interagem entre si com interrogativas e troca de informações iniciais.
Dessa forma, o objetivo principal dessa primeira fase da estratégia de pré-leitura é fazer uma busca aos conhecimentos prévios (conhecimentos de mundo) dos alunos garantindo, antes de tudo, incentivá-los à leitura e as atividades seguintes a esta.
2.3.2 Estratégias durante a leitura
Durante a leitura, o aluno colocará em prática, ininterruptamente, as estratégias vistas anteriormente, que serão selecionadas, ou não, pelos próprios alunos-leitores a fim de construir e compreender os sentidos do texto. Logo após ter iniciado a ativação das ideias pré-existentes dos alunos, é nesta fase que eles irão fazer outras previsões mais visíveis, indagar, rever e/ou renovar informações. Neste momento, o professor precisa ser ativo e prestativo, conduzir os alunos com perguntas, esclarecer possíveis dúvidas, resumir ideias. Além disso, esta fase é uma ocasião excelente para uma “tarefa de leitura compartilhada”, onde o professor e o aluno assumem ora um, ora outro a leitura, contribuindo, dessa forma, para o hábito de ler em uma segunda língua.
Solé (1998, p. 69-70) enfatiza que as 
estratégias tem em comum com todos os demais procedimentos sua utilidade para regular a ativiade das pessoas, à medida que sua aplicação permite selecionar, avaliar, persitir ou abandonar determinadas ações para conseguir a meta a que nos propomos.
[...]
as estratégias de compreensão leitora são procedimentos de caráter elevado, que envolve a presença de objetivos a serem realizados, para planejamento de ações (...), aassim como sua avaliação é possível de mudança. (SOLÉ Apud Neto, 2006, p. 25-26)
2.3.3 Estratégias de pós-leitura
Terceira fase e não menos importante, a pós-leitura resume de modo geral todo o contexto, agora adquirido e reformado, durante as duas primeiras fases (pré e durante a leitura). O resumo é uma ótima ferramenta para saber o que foi aprendido e/ou o que ainda faltou aprender.
Além do resumo, a formulação de perguntas também é uma atividade de recapitulação do conteúdo trabalhado, como enfatiza os PCN’s (1998) que “ao final da leitura, o professor poderá planejar atividades destinadas a levar os alunos a pensar sobre o texto, emitir suas reações e avaliar, criticamente, as ideias do autor”. Este é um tipo de procedimento muito utilizado em sala de aula, principalmente pelos livros didáticos.
3. METODOLOGIA DA PESQUISA
3.1 Abordagem metodológica
Este projeto tem caráter de pesquisa qualitativa, pois o sentido e resultado desta é construído pelos próprios participantes da pesquisa. Sendo assim, iremos propor um método de ensino de leitura nas aulas de Língua Inglesa para alunos de Ensino Médio de uma escola pública e ao professor da disciplina, acima citada, como forma de dinamizar as aulas e aumentar o nível de informação e participação dos alunos.
3.2 Contexto da pesquisa
Esta pesquisa se realizará com alunos de 1º (primeiro) ano do Ensino Médio, durante as aulas de Língua Inglesa juntamente com o professor da disciplina, na Escola Estadual Juscelino Kubitschek, localizada na cidade de Assú, no Estado do Rio Grande do Norte.
A Escola Juscelino Kubitschek está atuando neste ano letivo de 2012 com um sistema diferenciado de ensino, o Ensino Médio Inovador, que buscar almejar minicursos técnicos para os alunos em horários de contraturnos, além de oferecer estrutura física mais eficaz com salas de mídias contendo materiais necessários para a desenvoltura de aulas com vídeos e até mesmo para aulas de línguas.
Este projeto irá pesquisar sobre a leitura e seus procedimentos para uma eficácia em Língua Estrangeira (LE) através de embasamento teórico para aperfeiçoamento e resultado positivo deste.
3.3 Instrumentos (e procedimentos para a coleta dos dados) de pesquisa
Os instrumentos de pesquisa giram em torno da observação das aulas e alunos da turma já mencionada, anotações dos dados, gravação em áudio da aula proposta e questionários para professor e para os alunos com o intuito de avaliar o estudo deste projeto.
4 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES
	ATIVIDADES
	2012/2013
	
	Ago.
	Set.
	Out.
	Nov.
	Dez.
	Jan.
	Fev.
	Mar.
	Encontros com o orientador
	
	X
	X
	X
	X
	X
	X
	X
	Levantamento bibliográfico
	X
	X
	X
	
	
	
	
	
	Elaboração dos instrumentos para coleta de dados
	
	
	
	
	
	
	
	
	Aplicação do questionário
	
	
	
	X
	
	
	
	
	Transcrição dos dados
	
	
	
	X
	X
	X
	
	
	Análise dos dados
	
	
	X
	X
	X
	X
	
	
	Redação do trabalho
	
	
	
	
	X
	X
	X
	X
	Depósito da monografia
	
	
	
	
	
	
	X
	X
5 REFERÊNCIAS
BRASIL, MEC/SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais - Língua Estrangeira – 3º e 4º Ciclos do Ensino Fundamental. Brasília: MEC, 1998.
FIRAK, E. Estratégias de leitura para o ensino médio, aplicadas a textos jornalísticos. 2003.
JOSÉ, E. S. de S. A necessidade de despertar nos alunos interesse pelo estudo de Língua Inglesa nos dias atuais. Letras Escreve – Revista de Estudos Linguísticos e Literários do Curso de Letras-UNIFAP. Vol. 1 - Nº 11. Amapá. Jan. a Jun de 2011. Disponível em: <http://periodicos.unifap.br/index.php/ letras/article/viewFile/221/n1saojose.pdf.> Acesso em: 21 out. 2012.
KLEIMAN, Ângela. Oficina de leitura: teoria e prática. 10 ed. Campinas: Pontes, 2004.
LIMA, R. D. Perguntas de compreensão de leitura nas provas de inglês do vestibular da UERN: uma análise crítica. (Monografia de graduação: Departamento de Letras/Língua Inglesa/CAWSL) – UERN, 2006.
MOITA LOPES, L. P. Oficina de lingüística aplicada. Campinas: Mercado das Letras, 1996. p. 190.
NETO, F. B. C.. Crenças do professor sobre ensino aprendizagem de leitura em língua estrangeira na escola pública de ensino médio. (Monografia de graduação: Departamento de Letras/Língua Inglesa/CAWSL) – UERN, 2006.
SMITH, F. (org.) 1973. Psycholinguistics and Reading. New York, Holt, Rinehart and Winston. TAYLOR, I. et al., 1983. The Psychology of Reading. New York, Academic Press.
SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. (6. ed.) – Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.