A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
SLIDE   AGENTES ANTI HELMINTOS

Pré-visualização | Página 1 de 1

AGENTES ANTI-HELMINTOS: Farmacologia e Toxicologia Veterinária
 
Equipe:
BRENO LOPES ROCHA
CÉSAR LUÍS DE SOUZA LIMA
EDINEIDE DE SOUZA LIMA
EUDES SILVA MATOS
RUTHE BATISTA SILVA
CENTRO UNIVERSITÁRIO CESMAC
INTRODUÇÃO
Helmintoses
Constituem sérios problemas socioeconômicos
Zoonose (algumas)
Controle com anti-helmínticos
Finalidade do tratamento
 (eliminar as formas infectantes)
Usados desde o antigo Egito
Pouca margem de segurança na década de 60.
CONSIDERAÇÕES SOBRE OS HELMINTOS
Classificação e Caracterização
Principais Helmintos divididos em dois filos:
Nemathelminthes e platyelminthes (cestódeos e trematódios)
Ação Sobre o Hospedeiro
Perda de peso
Retardo no crescimento
Predisposição a outras doenças
Interferindo na abosrção e digestão de nutrientes
Causa lesões e perda de sangue 
Prejudicando funções orgânicas no hospedeiro
CONSIDERAÇÕES SOBRE OS ANTI-HELMINTOS
Classificados no controle de:
 Endoparasitos
 Nematódeos
 Cestódeos
Trematódeos
Que estão localizados nos órgãos e tecidos dos animais
Propriedades dos anti-helmínticos 
Um anti-helmíntico ideal:
Composição química estável
Ação sobre diversas classes
Uso de única dose
Ausência de resíduos no leite ou tecidos
Fácil administração
A classificação dos anti-helmínticos
Podem ser classificados em:
Compostos inorgânicos
 (ex: arseniato de chumbo)
Compostos orgânicos naturais
(ex: arecolina)
Compostos sintéticos 
(ex: evermectina, benzimidazois)
FORMULAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO
São administrados:
Além das formas intra-ruminal, e na linha do dorso dos animais!
Imagem 1: Administração oral
Fonte: Google Imagens
Imagem 2: Administração injetável
Fonte: Google Imagens
ABSORÇÃO E DISTRIBUIÇÃO
FATORES RELACIONADOS COM A EFICÁCIA DE MEDICAMENTOS ANTI-HELMÍNTOS
Fatores relacionados ao parasito 
Várias espécies de helmintos
Diferente sensibilidades
Estágios imaturos menos sensíveis a ação do medicamento
Fatores relacionados ao medicamento 
Fatores relacionados ao medicamento 
Tamanho e solubilidade
 Ex: Benzimidazóis (pouco solúveis)
Biotransformação
Ex: Ivermectina que são excretados não alterados;Benzimidazóis que são absolvidos
Dose
Ex: Benzimidazóis
Via de administração
 Ex: adm. Intra-ruminal resulta em maiores níveis de concentração plasmática 
Formulação
Ex: Invermectina aquosa e não aquosa
Imagem 3: Exemplo de Ivermectina
Fonte: Google Imagens
9
Modo de ação dos anti-helmínticos 
Interferem na produção de energia
Na coordenação neuromuscular
Na dinâmica microtubular
Cauda inanição quando são esgotas sua
 reservas energéticas ou a sua expulsão,
 decorrente da sua paralisia
A interferência na coordenação neuromuscular ocorre quando o anti-helmínticos inibe a ação de neurotransmissores excitatórios ou inibitórios, o que resulta na paralisia espástica e flácida do parasito, respectivamente. 
Fatores relacionados ao hospedeiro 
Espécie animal
Condições fisiológicas
Tipo e quantidade dos alimentos
Resistência de parasitos aos anti-helmínticos
Uso em grande escala
Dosificação inadequada
Ineficazes aos sobreviventes
Característica passa para progênie
Desenvolvimento de populações resistentes
Helmintos com habilidade natural
Imagem 4: Benzimidazóis para ovinos não tem a mesma eficácia em caprinos.
Fonte: www.comprerural.com
Associação de Medicamentos anti-helmínticos
Aumentar ou complementar sua atividade contra helmintos
Ampliando espectro de ação
Ex: Invermectina+clorsulon= maiores vantagens para nematódeos ou trematódeos
Resíduos de Anti-helmínticos em produtos cárneos e lácteos e o impacto ambiental
Resíduos nos tecidos e no leite
No músculo, rim
Gordura do leite
Passando dos limites máximos
 (FAO) (OMS)
Medicamentos excretados nas fezes.
PERSPECTIVAS
Pesquisas voltadas para alternativas como a utilização de plantas medicinais para o tratamento de animais domésticos;
 Ex: Spipelia antibelmia.
Imagem 5: Spipelia antibelmia utilizada em fase de teste no Brasil
Fonte: Google imagens.
OBRIGADO!