A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
83 pág.
Slide Unidade 2

Pré-visualização | Página 1 de 5

Prof. Carlos Guimarães
UNIDADE II
Custos e Preços
 Introdução
Sistemas de Custeio:
 Custeio por absorção;
 Custeio baseado em atividades (ABC).
Agenda
 Nosso intuito é o de apresentar a sistemática de alocação dos custos aos produtos 
segundo a abordagem do custeio baseado em atividades (ABC) que é um método 
que procura reduzir as distorções causadas pelo rateio arbitrário dos 
custos indiretos.
Sistemas de Custeio – introdução
 O Sistema de Custeio ABC pode ser uma ferramenta que permite melhor 
visualização dos custos por meio da análise das atividades executadas dentro da 
empresa e suas respectivas relações com os produtos e a necessidade de uma 
definição das atividades relevantes dentro dos departamentos, dos direcionadores 
de custos de recursos que irão alocar os diversos custos incorridos às atividades.
Sistemas de Custeio – introdução
 Apresentaremos algumas diferenças com os sistemas tradicionais, com a atenção 
voltada para a alocação dos custos indiretos. 
 Veremos que o ABC propõe o uso do rastreamento por meio dos direcionadores 
de custos, sendo dois tipos de direcionadores: os de recursos para as atividades e 
o de atividades aos produtos. O intuito é a redução na arbitrariedade dos critérios 
de rateio, já que o ABC é visto como uma ferramenta importante para a gestão da 
empresa, contudo sua metodologia ainda possui a necessidade de ratear por ainda 
conter certo grau de subjetividade.
Sistemas de Custeio – introdução
A título de exemplo, segue comparação entre o rateio (do custeio por absorção) e o 
rastreamento (do custeio baseado em atividades):
Sistemas de Custeio
Rateio Rastreamento
Ocorre quando não for 
possível a alocação direta ou 
o rastreamento
Ocorre quando não for 
possível a alocação direita
Definido de forma arbitrária e 
subjetiva
Definido por meio de 
pesquisas e estudos
Não representa a verdadeira 
relação entre custo e atividade
Identifica relação de causa e 
efeito: relação mais verdadeira
Aplicado por meio de critério 
definido pelo gestor
Utiliza direcionadores 
de custos
 Segundo Martins (2009), no método de custeio baseado em atividades – ABC
(Activy-Based Costing), as atividades consomem recursos e os produtos 
consomem atividades procurando reduzir as distorções provocadas pelo rateio 
arbitrário dos custos indiretos. A exigência de uma melhor alocação dos custos 
indiretos deve-se ao avanço tecnológico e crescente complexidade dos sistemas 
de produção e também pela grande diversidade de produtos e modelos fabricados. 
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
Custeio por absorção:
ABC:
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
Recursos Produtos
Recursos Atividades Produtos
 Nesse método de custeio, assume-se como pressuposto que os recursos de uma 
empresa são consumidos por suas atividades e não pelos produtos que ela 
fabrica. Os produtos surgem como consequência das atividades consideradas 
estritamente necessárias para fabricá-los e/ou comercializá-los, e como forma de 
se atender a necessidades, expectativas e anseios dos clientes.
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
 Assim, o custeio baseado em atividade atribui os custos de acordo com o padrão 
de consumo de recursos dos produtos. Se isso for verdade, então, o custeio 
baseado em atividade deve produzir custos mais precisos dos produtos se houver 
diversidade do produto, apenas porque os direcionadores em nível unitário não 
conseguem capturar o padrão completo de consumo de produtos.
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
Afinal, o que são direcionadores de custos?
 Direcionador de custos é o fator que determina o custo de uma atividade devendo 
ser o fator que determina ou influencia a maneira como os produtos “consomem” 
(utilizam) as atividades. Assim, o direcionador de custos será a base utilizada para 
atribuir os custos das atividades aos produtos.
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
Vai um zoom
Recursos
Atividades
Produtos ou serviços
Direcionadores de custos de recursos
Direcionadores de custos de atividades
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
Recursos
Atividades
Produtos ou serviços
Direcionadores de custos de recursos
Direcionadores de custos de atividades
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
Direcionador: fator que determina o custo 
de uma atividade e de um produto.
Direcionador de recursos: quanto de 
recursos foram consumidos pelas 
atividades?
Direcionador de atividades: quanto de 
atividade foi consumida pelo produto?
1º estágio
2º estágio
Não existe uma lista de direcionadores que as empresas devem utilizar, mas elas 
podem estudar aqueles que permitem alocar os custos aos produtos de modo que 
representa o valor mais próximo da realidade. A título de exemplo, têm-se os 
seguintes direcionadores:
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
EXEMPLOS DE DIRECIONADORES
Número de inspeções
Número de recebimentos
Número de requisições
Tempo de processamento
Tempo de armazenamento
Número de chamadas
 As atividades consideradas estritamente necessárias para fabricar os produtos 
consomem os recursos. 
 Mas como identificamos que a atividade consumiu recurso? 
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
 Por meio dos direcionadores de tipo 1, os produtos, por sua vez, consomem as 
atividades cujos custos anteriormente atribuídos passam agora para os produtos 
direcionadores de tipo 2. 
Ou seja, são dois estágios:
1. Os custos são transferidos dos departamentos para as atividades; 
2. Os custos são transferidos das atividades 
para os produtos.
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
Didaticamente, as atividades podem ser organizadas em cinco níveis gerais:
1. Atividades da unidade de produto: são realizadas cada vez que uma unidade 
é produzida.
2. Atividades de lotes: são realizadas cada vez que se lida com um lote ou ele 
é processado, independentemente do número de unidades nele contido.
3. Atividades do produto: relacionadas com produtos 
específicos, precisam ser executadas de modo típico, 
independentemente da quantidade de lotes em execução 
ou das unidades que estão sendo produzidas.
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
 Didaticamente, as atividades podem ser organizadas em cinco níveis gerais: (cont.)
4. Atividades do cliente: relacionadas a clientes específicos, compreendem 
atividades como atendimento de pedidos por telefone.
5. Atividades de sustentação da organização: são executadas 
independentemente de qual cliente é atendido, quais produtos são fabricados e 
quantos lotes são processados, ou quantas unidades são feitas.
Sistemas de Custeio – apuração dos custos das atividades
O que são direcionadores de custos?
a) É o fator que determina o custo de uma atividade.
b) É o preço que se paga.
c) É a direção que o administrador deve tomar para economizar.
d) É a etapa da despesa que gera lucro.
e) É o custo total.
Interatividade
 Alocação de custos das atividades aos produtos.
 Exemplo: Custeio Baseado em Atividades (ABC).
Agenda
A partir da premissa de que são as atividades que consomem recursos e essas são 
consumidas por produtos e outros objetos de custo, Hansen & Moween (2001) 
explicam as seis etapas essenciais para o projeto de implantação de um sistema ABC:
1. Identificar, definir e classificar as atividades e os atributos-chave. Identificar 
refere-se a descrever a ação pretendida como “receber materiais”. 
Sistemas de Custeio – alocação