APS   30 anos da Constituição Federal de 1988
18 pág.

APS 30 anos da Constituição Federal de 1988


Disciplina<strong>constitucional</strong>18 materiais2 seguidores
Pré-visualização5 páginas
1 
 
 
 
 
 
 
UNIVERSIDADE PAULISTA \u2013 UNIP 
CAMPUS ANCHIETA 
 
 
 
 
 
 
\u201cOs 30 anos da Constituição da República Federativa Brasileira.\u201d 
 
 
 
 
 
SÃO PAULO 
2018 
 
 
 
2 
 
 
 
 
 
 
 
 
Trabalho de Direito Constitucional, referente à APS 
(Atividade de Práticas Supervisionada) supervisionado 
ao querido Prof. Marcelo Grimone. 
 
 
 
Alexandre Romano \u2013 Ra: C652709 
Fabiano Rosa Nobre \u2013 Ra:C30AAJ2 
Gisele da Silva \u2013 Ra: A427198 
Sara Ferreira da Silva \u2013 Ra: C289051 
Sunamita Martins M. Damasceno \u2013 Ra: T103452 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SÃO PAULO 
2018 
 
 
 
 
3 
 
 
 
 
 
 
AGRADECIMENTOS 
 
Agradecemos em primeiro lugar a Deus por ser à base das nossas conquistas; 
As nossas famílias, por acreditar em nós, apoiando-nos e esforçando-se junto 
a nós, para que alcancemos todas as nossas escolhas; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
São Paulo 
2018 
4 
 
 
 
 
 
 
RESUMO 
 
A presente APS, cujo tema é os 30 anos da nossa constituição federal de 1998 e tem como 
objetivo esclarecimento da proposta de realização de comissão de notáveis para a realização 
de uma nova constituição e depois submetê-la a plebiscito, analisar se juridicamente possível 
e quais os fundamentos utilizados para definir se essa proposta é possível ou não. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
São Paulo 
2018 
5 
 
 
 
 
ABSTRACT 
 
The present on the year of 1.998 the year was the public of the capacity of notable for 
embedded of in embedded annual report in 1.998 and year after the plebiscito, analysis for 
juridically possable and which os fundamentos for this choice is possible or non consistent. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
São Paulo 
2018 
6 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
1 Introdução.............................................................................................................7 
2 Análise de uma nova Constituinte ........................................................................8 
3. Entrevista com os professores ............................................................................10 
4. Possibilidades e fundamentos para uma nova Constituição Federal..................15 
5. Conclusão .............................................................................. ...........................18 
6. Bibliografia / Fontes pesquisadas........................................................................18 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7 
 
 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
 
No dia 05 de outubro deste ano de 2018 a Constituição Federal celebrou aniversario de 30 
anos de sua promulgação desde 1998, livro este que foi apelidado de Constituição Cidadã, a 
mais acessível e blindada perante os direitos e garantias em favor do povo. 
Classificadas pelos doutrinadores constitucionalistas como super-rígida, determinando assim 
que alguns direitos e determinações da mesma não poderiam ser retirados jamais do 
ordenamento jurídico, uma vez que em regra poderá ser alterada por um processo legislativo 
diferenciado, mas, excepcionalmente, em alguns pontos é imutável. 
Há, no entanto uma a proposta de realização de comissão de notáveis para elaborar uma nova 
constituição e depois submetê-la a plebiscito. 
Neste sentido e respeitando os princípios da nossa atual Constituição, a convocação para 
nova assembleia constituinte só poderá o correr por meio de emenda constitucional, 
democracia. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
8 
 
 
 
 
 
1. Analisar à luz da Constituição em vigor se é possível elaborar uma nova constituição 
com um texto redigido por notáveis e submetido a plebiscito. 
Fazer uma Constituição, não é uma coisa assim tão simples, é como fazer um estatuto de uma 
sociedade beneficente, basta copiar o que está escrito nos estatutos já existentes, ou seja, 
não terá trabalho nem para os 10 meses previstos. Considera-se de que, ao contrário do que 
muitos imaginam, estes trabalhos poderão ser acelerados, uma vez que 70% (setenta por 
cento) do texto constitucional já está escrito e será apenas copiado. A Constituição só será 
inovada em alguns tópicos, capítulos polémicos, porém, dependerá de sua aprovação por 
várias comissões. 
A Constituição da República Federal de 1988 pode ser classificada, como muito rígida, uma 
vez que em regra poderá ser alterada apenas por um processo legislativo diferenciado, mas 
no entanto, excepcionalmente em alguns pontos é imutável (CF/88 - art. 60 , § 4º-cláusulas 
pétreas).&quot;. 
O poder constituinte originário que elaborou a nossa atual Constituição brasileira decidiu que 
alguns direitos e determinações da mesma não poderiam ser retirados de forma alguma de 
nosso ordenamento jurídico, tendo em vista, uma vez que garantem um marco civilizatório à 
sociedade. 
A Assembleia Nacional Constituinte no ano de 1987 teve o condão de a superação de todos 
os problemas que afetam a estrutura do país, tais como a fome e a miséria, entre outros e 
também iniciar um momento histórico completamente diferente do que havia sido o Regime 
Militar que teve inicío no ano de 1964, nesse espírito de evolução social que não admitiria 
retrocessos foi decidido proibir o poder constituinte derivado de ter a possibilidade de revogar 
um núcleo legal considerado um grande avanço civilizatório. 
O PROBLEMA DAS CLÁUSULAS PÉTREAS: 
A conservação das cláusulas pétreas é opção antidemocrática, pois impede que o povo (titular 
da soberania), diretamente ou por seus representantes, possa fazer periodicamente algumas 
correções legislativas necessárias para a construção de uma sociedade mais justa. Ainda, há 
o perigo das cláusulas pétreas induzirem à abstração de outros valores protegidos pela 
Constituição que, em determinado momento histórico, devem ter prevalência.&quot; 
9 
 
De acordo LEIRIA, Cláudio da Silva. (Pena de morte: cláusula pétrea?. Revista Jus Navigandi, 
ISSN 1518-4862, Teresina, ano 12, n. 1563, 12 out. 2007), o direito é algo conquistado pela 
sociedade: 
\u201cO Direito é fruto colhido pela sociedade e sendo assim não pode ser estático, 
pois a sociedade é dinâmica e em uma democracia todo poder emana do povo 
e o povo deve ter o seu direito respeitado, direito de legislar sobre a ótica de 
seus momentos históricos, mas as cláusulas pétreas tornam o povo de um 
tempo anterior ditadores em relação ao povo do tempo presente, ignorando as 
mudanças de valores sociais. É de um espírito cesarista impor a visão de 
retrocesso de uma sociedade sobre as próximas gerações que certamente 
vivem uma nova realidade de mundo, tendo em vista as várias mudanças e 
implantações de novos sistemas\u201d. 
 
 
A POSSIBILIDADE DE UMA NOVA CONSTITUINTE: 
Sendo a nossa atual Constituição super-rígida e havendo o entendimento majoritário de que 
suas cláusulas pétreas devem ser respeitadas a única maneira de superação de normas 
imutáveis indesejadas pela sociedade do tempo presente é a declaração de uma nova 
Assembleia Nacional Constituinte. Mas uma tese defendida por alguns juristas discorda, essa 
tese consiste na afirmação de que uma nova constituição elaborada democraticamente 
somente poderia expandir os direitos e garantias individuais, e não reduzi-los. Isso porque uma 
nova constituinte é