CASO PRÁTICO SEMANA 15
3 pág.

CASO PRÁTICO SEMANA 15


Disciplina(prática Civil I)9 materiais25 seguidores
Pré-visualização1 página
EXCELENTÍSSIMO DOUTOR SENHOR JUIZ DE DIREITO PERTENCENTE AO 1º JEC. DA COMARCA DE NOVA IGUAÇU \u2013 RIO DE JANEIRO
Processo Nº: [...]
Autor: CAMILA SILVA
Réu: CIRO SANTOS
	PAULA OLIVEIRA, já devidamente qualificado no autos da AÇÃO DE COBRANÇA, pelo rito especial, que lhe move MARCUS CAVALCNATE, vem por seu advogado legalmente constituído nos autos, procuração anexa, com endereço profissional na Rua [...], nº[...], bairro [...], cidade de [...], CEP [...], e com endereço eletrônico [...], onde deverão ser remetidas as comunicações processuais, para o fiel atendimento do art. 106, I, do Código de Processo Civil, apresentar a presente CONTESTAÇÃO, pelo fatos e fundamentos abaixo aduzidos.
1 PRELIMINARES
Antes de adentrar na defesa de mérito, mister se faz apontar, em sede de preliminar, argumentos que afetam a relação processual e impedem a regular tramitação deste feito.
DA INCOMPETÊNCIA
Em razão do que dispõe o art. 4º, I, da Lei 9.099/95, que reconhece o foro de domicílio do réu para julgar as causas previstas nesta lei, in verbis:
Art. 4º É competente, para as causas previstas nesta Lei, o Juizado do foro:
(...)
I - do domicílio do réu ou, a critério do autor, do local onde aquele exerça atividades profissionais ou econômicas ou mantenha estabelecimento, filial, 
agência, sucursal ou escritório;
Ainda fundamentado na mesma lei, agora, em seu art. 51, III, pede que seja julgado extinto o processo sem o exame do mérito. Leia-se
Art. 51. Extingue-se o processo, além dos casos previstos em lei:
(...)
III - quando for reconhecida a incompetência territorial;
DA LITISPENDÊNCIA
Consta nos registros processuais do Juizado Especial Cível de Resende, processo movido contra a defendente, com autor, pedido e causa de pedir idênticos, sendo que a defendente fora intimada a comparecer em audiência para a mesma semana, ficando evidente a existência de litispendência, o que enseja o levantamento desta preliminar nos moldes do art. 337, VI, §§ 1º, 2º e 3º, do CPC, in verbis:
Art. 337.  Incumbe ao réu, antes de discutir o mérito, alegar:
(...)
VI - litispendência;
Motivos estes pelo qual requer a extinção do processo sem a análise do mérito, com base no art. 485, V, do CPC:
Art. 485.  O juiz não resolverá o mérito quando:
(...)
V - reconhecer a existência de perempção, de litispendência ou de coisa julgada;
2 DO MÉRITO
Prevalecendo as preliminares, se faz necessário observar que a autora não faz jus aos débitos a ela imputados, a ré assinou contrato com Marcos referente ao imóvel em que reside, na data de 23 de setembro de 2016.
	Da cláusula nº 2 do CONTRATO DE COMPRA E VENDA, consta expresso que o imóvel objeto do contrato está desocupado, livre e desembaraçado de quaisquer ônus real, pessoal ou fiscal, O ITBI foi pago pela defendente no dia 02 de janeiro de 2017 e o contrato registrado no Registro de Imóveis no dia 16 do mesmo mês. No dia 17 de janeiro, Marcos recebeu o valor de R$ 178.000,00 (cento e setenta e oito mil) reais, e na mesma ocasião houve a tradição com a entrega das chaves do imóvel. Desde a ocupação do imóvel pela compradora, não consta nenhum débito de qualquer natureza até a presente data.
	Vale enfatizar que o documento apresentado pela autora como fundamento da ação é a comprovação do depósito de reserva, feito por Paula, no valor de R$ 2.000,00 (dois mil) reais, com data de 23 de dezembro de 2016, no qual constam as declarações de inexistência de quaisquer impedimentos legais, acima mencionados, para a celebração do contrato, bem como, também, firmou-se o modo da tradição.
	A defendente, também alega, que a demora para a efetivação da compra deveu-se ao fato de que a documentação do imóvel não estava regularizada, o que atrasou a conclusão do processo de financiamento.
	Por todo o exposto e legalmente amparado pelo art. 1.245, §1º, do Código Civil:
Art. 1.245. Transfere-se entre vivos a propriedade mediante o registro do título translativo no Registro de Imóveis.
§ 1o Enquanto não se registrar o título translativo, o alienante continua a ser havido como dono do imóvel.
	
Requer que seja julgado improcedente o pedido da parte autora.
3 DOS PEDIDOS
	Diante do exposto, a defendente requer a esse juízo
O acolhimento da primeira preliminar aludida, devendo ser declarado a incompetência de foro, com a remessa dos autos ao Juízo Competente;
Requer o acolhimento da segunda preliminar, deferindo a extinção do processo sem a análise do mérito, com base no art. 485, V, do CPC;
Não conhecidas as preliminares, a total improcedência do pedido da parte autora, no mérito da questão;
5 DAS PROVAS
	Requer a produção de todas as provas em direito admitidas, na amplitude do art. 369 e seguintes do Código de Processo Civil, em especial a documental, testemunhal e depoimento pessoal da autora.
Nestes termos, pede deferimento.
Local, data
		
Advogado
OAB