Normalidade- patologia- desvios
25 pág.

Normalidade- patologia- desvios

Disciplina:Psciologia Juridica4 materiais10 seguidores
Pré-visualização3 páginas
*

UNIDADE III
Normalidade – Patologia – Desvio

Conteúdos:
Personalidade normal e patológica
Personalidade e transtornos
Personalidades violentas
Psicopatologia

*

Entende-se por “mentalmente saudável” aquele indivíduo que:
 Compreende que não é perfeito.
 Entende que não pode ser tudo para todos.
 Vivencia uma vasta gama de emoções.
 Procura ajuda para lidar com traumas e transições importantes (não se considera onipotente).
Tipos de Personalidade:
 Personalidade Normal
 Personalidade Neurótica
 Personalidade Psicótica
 Personalidade Psicopática

*

Personalidade

 Pode-se dizer que em psicologia entende-se por personalidade àquele conjunto total de características próprias do indivíduo que integradas, estabelecem a forma pela qual ele reage costumeiramente ao meio.
 Personalidade é o que organiza, integra e harmoniza todas as formas de comportamento e características do indivíduo.
 A personalidade não é algo pronto, é sempre capaz de receber novas influências, adaptar-se a novas circunstâncias.
 Personalidade é sempre uma realidade individual.
 A personalidade de um indivíduo se desenvolve a partir de fatores genéticos e ambientais.

*

Personalidade

 Impossível negar que as primeiras experiências na vida de uma pessoa sejam as mais importantes.
 Estudos provam que privações nos primeiros anos de vida deixam problemas nas mais diversas esferas da vida do indivíduo.
 O ambiente familiar também influencia na construção e estruturação da personalidade.
 Dependendo da etapa da vida, família, amigos, escola, sociedade, cultura, religião, trabalho, etc., desempenham papéis fundamentais na vida do indivíduo.
 Estresse prolongado e eventos traumáticos podem afetar a personalidade.

*

	Qualquer ser humano diante de situações traumatizantes pode sofrer um colapso das defesas e ceder à tensão.
	Importante ressaltar que todos os indivíduos em um momento ou outro apresenta alguns comportamentos disfuncionais. Podemos ter medos ilógicos, estados de ansiedade mais intensos e tristezas profundas.
	As modificações de personalidade podem ser temporárias ou duradouras e ocorrer após uma experiência traumática, como um sequestro ou desastre.
	O que caracteriza um estado patológico é quando esses estados emocionais disfuncionais dominam a vida psicológica e quando o sofrimento psíquico passa a ocupar o primeiro plano na vida do indivíduo, impedindo-o de viver outras experiências.
	

*

	O estudo das alterações mentais ocorrem por meio de entrevista, anamnese, exame psíquico, avaliação física, avaliação neurológica, psicodiagnóstico e exames complementares. 	
	Os transtornos de personalidade se caracterizam pelo comprometimento de características normais, ou seja, quando esses traços são muito inflexíveis a mal ajustados, prejudicando a adaptação do indivíduo às situações, causando sofrimento a ele próprio e as pessoas do seu convívio.
	Segundo a Classificação Internacional de Doenças (CID 10), os transtornos representam desvios extremos ou significativos das percepções, dos pensamentos, das sensações e das relações com os outros.
	As modificações duradouras podem ocorrer por doenças psiquiátricas.

	

*

	Um Transtorno da Personalidade é um padrão persistente de vivência íntima ou comportamento que se desvia acentuadamente das expectativas da cultura do indivíduo, é invasivo e inflexível, tem seu início na adolescência ou começo da idade adulta, é estável ao longo do tempo e provoca sofrimento ou prejuízo. (DSM)
	Os traços de personalidade são padrões persistentes no modo de perceber, relacionar-se e pensar sobre o ambiente e sobre si mesmo, exibidos em uma ampla faixa de contextos sociais e pessoais.
	Apenas quando são inflexíveis e mal-adaptativos e causam prejuízo funcional ou sofrimento subjetivo significativo, os traços de personalidade constituem Transtornos da Personalidade.

*

	O termo psicopatologia é de origem grega.
Psykhé – alma
Patologia – estudo das doenças.
	A psicopatologia estuda, investiga e classifica os fenômenos patológicos da mente humana. Tem por objetivo o estudo dos fenômenos psíquicos anormais, as perturbações mentais.
	Psicopatologia é o ramo da psicologia que se ocupa dos fenômenos psíquicos patológicos e da personalidade desajustada.
O medo é um sentimento universal: todos sentem, é uma emoção inata no ser humano, necessária para a proteção e perpetuação da espécie.

*

	Pesquisas revelam que 25% das pessoas apresentam algum tipo de transtorno de ansiedade ao longo de suas vidas.
	Medo pode ser entendido como um sentimento de grande inquietação ante a noção de um perigo real ou imaginário. E ansiedade como sensação de receio e de apreensão, sem causa evidente.
	Transtorno de ansiedade é quando o medo excessivo e a ansiedade passam a trazer prejuízos expressivos para a vida da pessoa.

*

Personalidade neurótica (Psiconeurose)
Personalidade desajustada.
Embora o indivíduo se sinta infeliz, desajustado e às vezes excêntrico, as distorções da realidade não são tão profundas e substanciais como na psicose.
Geralmente é capaz de enfrentar o meio, orientar-se e administrar sua vida.
Tem medo excessivo, é desmotivado para o estudo e trabalho, é incapaz de concentrar-se, sente dores de cabeça, suores frios, tremor nas mãos, instabilidade.
A vida afetiva do indivíduo neurótico é repleta de sofrimento e angústia, se considera incapaz, impotente e fracassado.

*

 Fobias: é um medo persistente, exagerado ou irracional, de algo específico (animal, avião, sangue...) ou situação sem perigo real (falar em público, assinar um cheque...). a pessoa reconhece que o medo é desproporcional ou absurdo, mas não consegue controlá-lo.
Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): engloba crises de obsessão e compulsão. Apresenta ideias absurdas e sem fundamentos, mas que são incontroláveis. As ideias obsessivas são pensamentos, impulsos, que adentram a consciência da pessoa de modo repetitivo e estereotipado.
Transtorno ou síndrome de Pânico: é marcado pela presença recorrente de ataques de pânico. A pessoa desenvolve o medo de ter novas crises, preocupações com as implicações da crise, como o medo de ter um ataque cardíaco e morrer .

*

Transtorno de estresse pós-traumático: caracteriza-se por uma resposta retardada a uma situação ou evento estressante de curta ou longa duração, de natureza excepcionalmente ameaçadora ou catastrófica.

Transtorno bipolar do humor: altera episódios de euforia (mania) e episódios de depressão, com épocas de normalidade.
Sintomas da euforia: ausência ou prejuízo do senso crítico e da capacidade de avaliar objetivamente as coisas, irritabilidade, impaciência, pensamentos alterados, fala rápida e contínua, idéias de grandeza, gastos excessivos,
 desinibição exagerada, aumento da libido,
 redução da necessidade de dormir.

*

Depressão: estado que dura, pelo menos, duas semanas em que o humor fica melancólico. É diferente da tristeza comum. Os transtornos depressivos têm relação fundamental com vivências de perda e sofrem influência também de componentes biológicos, genéticos e neuroquímicos.
	

*

Personalidade psicótica (loucura, alienação mental, insanidade)

Personalidade com incapacidade de cuidar de si próprio. Distorção do meio como conseqüência de processos anormais das faculdades, do pensamento, da percepção e da reação emocional. Representa um perigo para si mesmo e para os demais.
O psicótico mostra perturbações cognitivas e emocionais muito graves, pode sofrer alucinações e delírios, tende a perder a compreensão de seu comportamento, pode perder o contato com a realidade.
Muitas vezes é necessária a internação de uma pessoa psicótica.

*

Esquizofrenia: (a mais freqüente) o paciente sofre de alucinações e ilusões, apresenta comportamento extremamente retraído, idéias confusas e absurdas, com anulação quase total da vida afetiva. Há fatores genéticos no