A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
paper seminario da pratica ii  EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

Pré-visualização | Página 3 de 4

pode realizar palestras sobre assuntos relevantes e convidar a todos. O convite pode ser estendido também em culminâncias de projetos e exposições dos trabalhos das crianças. As festas tradicionais para a nossa cultura, como o natal, podem ser aproveitadas como momento de confraternização entre todos.
Com ações como essas, a relação entre escola e comunidade se fortalece em uma verdadeira parceria e as pessoas passam a respeitar e reconhecer ainda mais a equipe pedagógica. Uma escola cidadã e socialmente responsável se integra à comunidade e faz a diferença!
�
A escola é um lugar de aprendizado, socialização e de troca de conhecimentos. Espaço no qual se descobre talentos e se faz novas amizades. Mas o que muitos não sabem é que escola não é somente um lugar que recebe alunos e professores. Muitas vezes, ponto de referência de um bairro, o espaço pode ser, também, ponto de encontro, lazer, esporte, formação e cultura para toda a comunidade. 
A foto acima foi retirada do site da Prefeitura municipal de Belo horizonte, e representa a relação entre a comunidade e uma Escola Municipal de BH.  A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Smed), realiza o Programa Escola Aberta, que oferece uma diversificada programação, aos sábados e domingos, em 170 escolas municipais da cidade.
Como podemos ver claramente a comunidade está inserida dentro do contexto escolar de modo flexível, onde todos só têm a ganhar e nada a perder, e quando falamos de contexto escolar queremos citar o ato de ensinar e aprender que se estende a comunidade. Os professores ensinam a comunidade, a comunidade apende e ao mesmo tempo ensina; ensina aquele aluno que certamente está observando e aprendendo tanto com o professor quanto com a comunidade. 
 “Quando a escola e a comunidade trabalham juntas e com os mesmos critérios, as diferenças entre os dois ambientes se reduzem, e quem ganha é a criança. ’’ (RAMAL, 2008, p. 61)
Podemos dizer que a aproximação da família com a escola possibilitou a todos, professores, equipe pedagógica, funcionários, direção geral e auxiliar, pais e alunos um diálogo antes considerado difícil, principalmente para a família. Os pais e/ou responsáveis sentiram-se valorizados ao perceber que a escola está lhe proporcionando opinar, trocar experiências, influir e ter mais espaço dentro da escola de seus filhos, além do que, conhecer e conversar abertamente com os pais e/ou responsáveis proporcionou aos professores e a equipe pedagógica conhecimentos a respeito dos alunos que só foi possível mediante as reuniões realizadas com mais descontração.
A família e a escola formam uma equipe. É fundamental que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, bem como a mesma direção em relação aos objetivos que desejam atingir.
Ressalta-se que mesmo tendo objetivos em comum, cada uma deve fazer sua parte para que atinja o caminho do sucesso, que visa conduzir crianças e jovens a um futuro melhor. O ideal é que família e escola tracem as mesmas metas de forma simultânea, propiciando ao aluno uma segurança na aprendizagem de forma que venha criar cidadãos críticos capazes de enfrentar a complexidade de situações que surgem na sociedade.
Existem diversas contribuições que tanto a família quanto a escola podem oferecer, propiciando o desenvolvimento pleno respectivamente dos seus filhos e dos seus alunos. Alguns critérios devem ser considerados como prioridade para ambas as partes. O envolvimento dos pais nas atividades escolares exige planejamento, compreensão das partes envolvidas sobre as expectativas em relação à educação escolar da criança. É preciso estabelecer atividades que sejam coerentes com o tipo de envolvimento que se quer construir com as famílias. Não basta chamar a família para a escola sem objetivo claro.
Segundo Marques (2002), baseado na tipologia de Joyce Epstein há seis tipos de atividades para envolvimento entre escola e família:
Tipo 1 - ajuda da escola às famílias - as escolas proporcionam assistência às famílias para que estas consigam cumprir as suas obrigações básicas com o vestuário, alimentação e saúde; tipo 2 - comunicação escola-famílias - as escolas comunicam regularmente às famílias acerca do progresso dos alunos e sobre o programa educativo; tipo 3 - ajuda da família à escola - envolvimento da família em atividades de voluntariado na escola; tipo 4 - envolvimento da família no processo educativo em casa - apoio na realização dos trabalhos de casa e apoio ao estudo;
. 
Tipo 5 -participação na tomada de decisões e na direção da escola - desempenho de tarefas nos órgãos da escola; tipo 6 - intercâmbio com a comunidade - partilha de responsabilidades e recursos entre a escola e as instituições comunitárias que trabalham com as crianças e os jovens. (MARQUES, 2002 spp.)
A escola deve estabelecer relações que permitam o diálogo visando aproximar as duas instituições, pois quanto maior for a interação entre os dois ambientes, melhores serão os resultados na aprendizagem, dessa maneira estarão mais próximas de atingir seus objetivos que caminham para um mesmo fim. Vários estudos indicam que o fato da escola e a família realizarem um trabalho coletivo leva a criança a ter maior rendimento e consequentemente a um sucesso maior quer no cotidiano escolar, quer em outros ambientes de convívio social.
Ao termino desse trabalho e após a realização de toda revisão bibliográfica aqui citada conseguimos entender o quanto é importante e benéfica à relação Família/Escola no processo educativo da criança. Tanto a família quanto a escola são referenciais que ajudam a construir o bom desempenho escolar, portanto, quanto melhor for o relacionamento entre estas duas instituições mais positivo será esse desempenho. 
Todavia, a participação da família na educação formal dos filhos precisa ser constante e consciente, pois vida familiar e vida escolar se complementam. A família, em harmonia com a escola e vice-versa, são peças fundamentais para o pleno desenvolvimento da criança e consequentemente são pilares imprescindíveis no desempenho escolar. Entretanto, para conhecer a família é necessário que a escola abra suas portas, intensificando e garantindo sua permanência.
Porém, não existe uma fórmula mágica para se efetivar a relação família/escola, pois, cada família, cada escola vive uma realidade diferente. Igualmente, a interação família/escola se faz necessário para que ambas conheçam suas realidades e construam coletivamente uma relação de diálogo mútuo, buscando meios para que se concretize essa parceria, apesar das dificuldades e diversidades que as envolvem. O diálogo promove uma maior aproximação e pode ser o começo de uma grande mudança no relacionamento entre a Família e a Escola.
É necessário que as famílias criem o hábito de participar da vida escolar das crianças, que perceba a importância de se relacionar com a escola na busca de um objetivo em comum, “educação de qualidade para as crianças. Por outro lado, a escola deve ser a responsável por criar meios de aproximação com as famílias e a comunidade, orientando e mostrando que educar não é papel exclusivo das escolas, é papel de todos. Todos juntos lutando por uma melhor educação.
Portal fslf. Presença da Família na Escola. Disponível em:<� HYPERLINK "https://portal.fslf.edu.br/wp-content/uploads/2016/12/tcc17-1.pdf" ��https://portal.fslf.edu.br/wp-content/uploads/2016/12/tcc17-1.pdf�>. Acesso em: 05 out. de 2018 
Brasil Escola. Relação Família e Escola: Uma Parceria Importante no Processo Educativo. Disponível em:<� HYPERLINK "https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/pedagogia/relacao-familia-escola-uma-parceria-importante-no-processo.htm" �https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/pedagogia/relacao-familia-escola-uma-parceria-importante-no-processo.htm�>. Acesso em: 05 out. de 2018
Uniasselvi. Portal do Aluno: Trilha de Aprendizagem. Disponível em: <� HYPERLINK "https://portaldoalunoead.uniasselvi.com.br/ava/trilha_aprendizagem/trilha_aprendizagem.php"

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.