A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Contracepção e Interrupção de prenhez em cadelas e gatas

Pré-visualização | Página 3 de 3

dois dias, totalizando duas aplicações. Gatas: 0,50 ml/Kg/dia (15 mg de aglepristone/ kg/dia) por via SC na região da escápula, a cada 24 horas, durante dois dias.
Agente agonista da dopamina: A prolactina é o principal hormônio luteotrópico em caninos. A inibição da síntese e da liberação de prolactina causa privação do suprimento necessário a continuação da função do corpo lúteo. Assim há parada da função luteínica, queda na secreção de progesterona e ocorrência de luteólise. Existem duas classes principais de inibidores da prolactina, os agonistas diretos da dopamina e os antagonistas indiretos da serotonina. A bromocriptina e a cabergolina pertencem à primeira classe elas são agonistas D2 da dopamina que inibem a secreção de prolactinas pela ação direta sobre os receptores D2 hipofisários. A metergolina pertence essencialmente à segunda classe, é um antagonista da serotonina que aumenta o tônus de inibição da dopamina no hipotálamo e indiretamente inibe a liberação de prolactina. A bromocriptina foi o primeiro inibidor para o qual se estabeleceu uma dose eficaz, sua utilização não foi extensiva em razão da alta incidência de êmese observadas após o emprego de doses que variam de 50 a 100ug/kg uma vez ou duas vezes ao dia. A bromocriptina administrada por via oral está longe de ser eficaz como indutora de abortamento. A cabergolina um agonista mais especifico da dopamina comercialmente disponível na Europa e nos Estados Unidos, é segura e eficaz, possui ação prolongada e está disponível como xarope facilmente administrados. Demonstrou-se que a cabergolina por via oral na dose de 5ug/kg dia por 5 dias induz abortamento em 100% de cadelas tratadas a partir do quadragésimo dia após a onda de LH. Por causa de sua atividade relativamente baixa de inibição da prolactina, de sua ação curta e da indução de efeitos adversos relacionados a suas atividades serotoninérgicas, a metergolina não é empregada para estimular abortamento em cadelas e gatas.
Combinação de prostaglandinas e agonistas da dopamina em doses baixas: Resultados encorajadores foram publicados a respeito do uso simultâneo de prostaglandinas e agonistas da dopamina em doses baixas. A combinação de cloprostenol 1ug/kg em duas injeções subcutâneas com intervalo de 4 dias e cabergolina administrada por via oral na dose de 5ug/kg ao dia por 7 dias, induz abortamento em 100% das cadelas tratadas a partir do 25º dia após a onda de LH. Não foram registrados efeitos adversos. 
Tratamento com corticosteroides: Administração de glicocorticoides induz abortamento em caninos quando doses de 5mg/kg são administradas por via IM a cada 12hs por 10 dias, iniciando-se no 30º ou no 40º dia de gestação, a dexametasona por via oral é capaz de interromper a prenhez, a partir do 30 º dia de prenhez na dose de 0,2mg/kg duas ou três vezes ao dia seguidos por outro 3 a 5 dias. O Meticorten (corticóide oral) 1mg/Kg VO 1 vez ao dia por 7 dias. Foi observado em todos os animais abortamento dentro de poucos dias do final do tratamento.
 6 - CONCLUSÃO 
 Sabe-se que há diversas formas de se evitar uma ninhada indesejada. Deve-se sempre levar em conta os riscos de cada um e a sua real necessidade. Pensamos que os animais que os proprietários não têm a vontade de usa-los para procriação, devem passar por contracepção cirúrgica para evitar-se assim aumento populacional, incômodos com comportamentos sexuais e doenças. Os animais que cruzam acidentalmente e que não se deseja a ninhada, porém posteriormente há desejo que o animal procrie, pode utilizar de fármacos para contracepção e/ou interrupção desde que esteja ciente dos riscos e assuma os mesmos.
7 - REFERÊNCIAS:
- ETTINGER, Stephen Joel; FELDMAN, Edward C. Tratado de medicina interna veterinária: doenças do cão e do gato. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan, c2004. 2 v.
- ALLEN, W. Edward. Fertilidade e obstetrícia no cão. São Paulo (SP): Livraria Varela, 1995. 
- SANTOS, L.C. Hormonioterapia em pequenos animais. Rio Grande do Sul: 2004. Disponível em: http://www.ufrgs.br/lacvet/restrito/pdf/hormonioterapia_peq.pdf
- FONINI, A.L. Métodos de esterilização em cadelas e gatas. Porto Alegre: 2010. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/39011/000792123.pdf?sequence=1
 - http://file.biovet.com.br/Bula/PreveGest/bula_prevegest.pdf
- http://www.olharanimal.org/adocao/olhar-veterinario/4764-contracepcao-em-cadelas
- http://www.pfizer.com.br/sites/g/files/g10016821/f/productattachments/DepoProvera150mgPS.pdf
- http://www.racavirtual.com.br/anticion-1ml-anticoncepcional-com-agulha-e-seringa-inibidor-do-estro-cio-em-gatas-e-cadelas-ucb-pr-135-375048.htm
- http://www.virbac.com.br/produtos/detalhes/15/caes/36/alizin

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.