Resenha critica sobre o filme A Ira De Um Anjo
4 pág.

Resenha critica sobre o filme A Ira De Um Anjo


DisciplinaPsicologia Jurídica11.057 materiais115.491 seguidores
Pré-visualização1 página
FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS - FTC 
RAÍSSA ALMEIDA SOARES
RESENHA CRÍTICA SOBRE O FILME \u201cA IRA DE UM ANJO\u201d
VITÓRIA DA CONQUISTA - BA
2018 
RAÍSSA ALMEIDA SOARES
RESENHA CRÍTICA SOBRE O FILME \u201cA IRA DE UM ANJO\u201d
Resenha crítica apresentado à Faculdade de Tecnologia e Ciências, no 2º Semestre do curso de Direito, turma B, turno matutino, para fins de avaliação da Unidade I, da disciplina de Psicologia Júridica, professora: Marta Alves Amorás.
VITÓRIA DA CONQUISTA - BA
2018
A ira de um anjo
	
O filme relata uma história veridica de uma menina chamada Beth Thomas, que foi violentada pelo proprio pai e negligenciada pela mãe que ao ser internada com pneumonia se negava a fazer o tratamento, ocasionando assim a sua morte. Tanto no filme quanto no documentario, existem alguns momentos que são intragaveis e em outros momentos você se choca com a perversidade de uma criança de apenas 7 anos. No filme, Beth tem o nome de Catherine, que mostra diversas cenas do desvio de conduta que a criança tem, a forma como ela consegue manipular os adultos e como ela consegue influenciar e maltratar o irmão e os animais. 
	Catherine e seu irmão Erik são adotados por um casal, que ao decorrer dos dias vai percebendo a personalidade sombria da garotinha, mesmo achando que era apenas devido a adptação na nova família, mesmo assim, a garotinha continuava da mesma forma. Apos alguns acontecimentos de ira, maltratos com o irmão e com o cachorro da casa, os pais adotivos decidem procurar a assistente social, com o intuito de entender o porque das atitutides de Cath. No entando, a assistente alega não poder dar detalhes sobre a vida das crianças desde que foram resgatadas da sua familia biologica e nem falar o porque de tantos pais adotivos terem se negado continuar cuidando das crianças, apos o apelo dos pais, a assistente decide contar o passado dessas duas crianças. 
	Dando assim inicio pra uma dura e longa jornada para a nova familia enfrentar. Durante a narrativa, Catherine mostra a todo tempo seu conflito com o irmão e posteriormente com o pai adotivo. Ela demonstra um comportamento cruel, sem remorsos. No momento em que a garota é apresentada para a família e conhecidos, tem uma cena em que a menina senta no colo do proprio avô e chega a dizer pra ele que ele pode fazer o que quiser com ela, pois ela é muito \u201cquente\u201d, palavra que o pai biologico dizia quando a violentava. Depois disso os pais voltam a conversar com a assistente, que dessa vez decide falar sobre a existencia de uma irmã mais velha, a mãe decide então procurar e conversar com essa menina. Chegando lá, depois de pagar, a garota decide contar que Cath sofria abuso do pai ainda quando era um bebê. O que levou aos pais à um novo direcionamento para cuidar das crianças.
 
Em um momento do filme a menina chega a empurrar o irmão da escada e apos isso, começa a bater a sua cabeça contra o chão, até quando seus pais chegam para socorrer o garotinho que já estava sangrando. São várias as cenas as quais Catharine demonstra agressividade, principalmente contra a figura masculina, evidenciando-se comportamento paranóide percecutório, ao querer matar o pai e todos os meninos, não demonstrando nenhum tipo de afetividade por qualquer outro ser vivo. Essa característica fria e premeditada é um dos sintomas de uma criança com desvio de conduta.
Os pais decidem então entender e ajudar Catherine a curar ou melhorar seu comportamento, indo em busca de tratamento com a terapeuta. Em uma das conversas com a terapeuta, a garota conta tudo que ja fez e fala sobre a vontade de matar os pais esfaqueados enquanto dormiam. A terapeuta decide então chamar os pais para conversar e contar a eles o que foi relatado pela menina, os deixando horrorizados por saber que a menina tem o desejo de mata-los. Daí então, começam a fazer varias sessões para ver até onde a raiva da garota pode ir e como vai ser o melhor jeito para tratar da menina. 
Tanto o filme quanto o documentário apresentam a clara devastação emocional e psíquica que o abuso infantil pode causar no ser humano. Ainda que retrate um caso de severas complicações, o filme é também um alerta. Ambos chocam bastante, entretanto, o documentário retrata uma realidade forte, com depoimentos e trechos das entrevistas realizadas com Beth e seu psicólogo, Dr. Ken Magid, é assustador! Nele Beth descreve o abuso do pai e suas crueldades em detalhes. O que surpreende, além das atrocidades que a menina cometeu, foi é a frieza com que ela relata cada ato. Beth conta que machucou seu irmão e que desejava matar seus pais, com a calma de como se estivesse contando que passou um dia no parque. Claramente se observa um perfil de psicopatia na menina.
Atualmente, Beth encontra-se mentalmente saudável. Vive uma vida normal e se tornou enfermeira na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, onde cuida de bebês. Chegou a escrever um livro, intitulado de \u201cMore than a Thread of Hope\u201d e junto com a sua mãe adotiva, criou uma clínica para crianças com distúrbios graves de comportamentos. Dizem que ela se casou e tem filhos, mas nada que seja realmente comprovado.