CONTRATO DE TRANSAÇÃO

CONTRATO DE TRANSAÇÃO


DisciplinaCivil 3586 materiais896 seguidores
Pré-visualização2 páginas
CONTRATO DE TRANSAÇÃO
CONCEITO
NATUREZA JURIDICA
CARACTERÍSTICAS
ESPÉCIES DE TRANSAÇÃO E SUA FORMA
OBJETO DE TRANSAÇÃO
NULIDADE
EFEITOS
1
CONCEITO
É um contrato pelo qual as partes pactuam a extinção de uma obrigação mediante concessões mútuas ou recíprocas, o que também pode ocorrer de forma preventiva. A palavra transação costuma ser empregada, na linguagem comum, para designar todo e qualquer tipo de negócio, especialmente, os de compra e venda de bens.
Se ambas as partes não cedem, não há transação. Se não houver essas concessões mútuas ou recíprocas, há um mero acordo entre as partes. São denominadas transigentes ou transatores as partes do contrato. 
NATUREZA JURÍDICA
A transação é um instituto sui generis, por consistir numa modalidade especial de negócio jurídico bilateral, que se aproxima do contrato, na sua constituição, e do pagamento, nos seus efeitos, por ser causa extintiva de obrigações, possuindo dupla natureza jurídica: a de negócio jurídico bilateral e a de pagamento indireto. É um negócio jurídico bilateral declaratório, uma vez que, tão somente, reconhece ou declara direito, tornando certa uma situação jurídica controvertida e eliminando a incerteza que atinge um direito. A finalidade da transação é transformar em incontestável no futuro o que hoje é litigioso ou incerto.
CARACTERÍSTICAS 
INDIVISÍVEL - Sendo nula qualquer das cláusulas da transação, nula será esta. Quando a transação versar sobre diversos direitos contestados, independentes entre si, o fato de não prevalecer em relação a um não prejudicará os demais.
INTERPRETAÇÃO RESTRITA - A transação interpreta-se restritivamente, é de negocio jurídico declaratório - e por ela não se transmitem, apenas se declaram ou reconhecem direitos.
ART. 848 - 849 Código Civil
4
ESPÉCIES DE TRANSAÇÃO E SUA FORMA
Judicial e extrajudicial, Como regra geral, este tipo de contrato é não solene. Mas, nas obrigações em que a lei exige, a transação deverá ser feita através de escritura pública - Por exemplo, no caso de o objeto do contrato ser um bem imóvel ou recair sobre direitos contestados em juízo. Em via de instrumento particular, nas que se é admitido. Nos demais casos, é necessário pelo menos a forma escrita (Contrato formal e não solene).
O processo orientar-se-á pelos critérios da oralidade, simplicidade, informalidade, economia processual e celeridade, buscando, sempre que possível, a conciliação ou a transação.
Na audiência preliminar, presente o representante do Ministério Público, o autor do fato e a vítima e, se possível, o responsável civil, acompanhados por seus advogados, o Juiz esclarecerá sobre a possibilidade da composição dos danos e da aceitação da proposta de aplicação imediata de pena não privativa de liberdade.
5
OBJETO DA TRANSAÇÃO
Art. 841 do CC - somente podem ser objeto de transação direitos patrimoniais de caráter privado.
Pode o credor não exercer, porém lhe é vedado renunciar o direito a alimentos, sendo o respectivo crédito insuscetível de cessão, compensação ou penhora.
A transação concernente a obrigações resultantes de delito não extingue a ação penal pública.
A responsabilidade civil é independente da criminal, não se podendo questionar mais sobre a existência do fato, ou sobre quem seja o seu autor, quando estas questões se acharem decididas no juízo criminal.
NULIDADES
Art. 850 do CC é nula a transação a respeito do litígio decidido por sentença dela não tinha ciência alguns dos transatores, ou quando por título ulteriormente descoberto, se verificar passada em julgado, se que nenhum deles tinha direito sobre o objeto da transação.
EFEITOS
Nos contratos bilaterais, nenhum dos contratantes, antes de cumprida a sua obrigação, pode exigir o implemento da do outro.
Se, depois de concluído o contrato, sobrevier a uma das partes contratantes diminuição em seu patrimônio capaz de comprometer ou tornar duvidosa a prestação pela qual se obrigou, pode a outra recusar-se à prestação que lhe incumbe, até que aquela satisfaça a que lhe compete ou dê garantia bastante de satisfazê-la.
 É admissível, na transação, a pena convencional.
 Incorre de pleno direito o devedor na cláusula penal, desde que, culposamente, deixe de cumprir a obrigação ou se constitua em mora.
A cláusula penal estipulada conjuntamente com a obrigação, ou em ato posterior, pode referir-se à inexecução completa da obrigação, à de alguma cláusula especial ou simplesmente à mora.
Quando se estipular a cláusula penal para o caso de total inadimplemento da obrigação, esta converter-se-á em alternativa a benefício do credor.
CONTRATO DE COMPROMISSO
CONCEITO
CARACTERÍSTICAS
NATUREZA JURÍDICA
COMPROMISSO NO PROCEDIMENTO DE ARBITRAGEM
EXTINÇÃO DE CONTRATO DE COMPROMISSO
CONCEITO
Contrato de compromisso é a junção de interesses de pessoas sobre determinado objeto.
Um contrato pode abranger inúmeros aspectos, dependendo de sua finalidade jurídica
No entanto, para que a transação ocorra, seguindo os trâmites legais, o contrato de compromisso deverá ser redigido especificando o consentimento de ambas as partes, contratante e contratado, além de detalhar por escrito o propósito da transação. 
Da mesma forma, se houver quaisquer restrições legais, estas deverão ser mencionadas antes do ato consensual, já que, ao ser assinado, o contrato de compromisso irá gerar obrigatoriedade de uma e/ou de outra parte. 
CARACTERÍSTICAS
Como toda relação contratual, o compromisso de compra e venda tem fundamento no princípio da autonomia da vontade das partes, que por meio da sua liberdade resolvem celebrar entre si o contrato, comprometendo-se perante as obrigações oriundas da aquisição parcelada de bem imóvel.
Porém, devemos compreender que essa liberdade deve encontrar limites que a adequem às boas práticas negociais e à probidade, que significa nada mais do que lealdade entre as partes contratantes. Além disso, a mais autêntica forma de restrição da liberdade contratual se reflete no princípio da força obrigatória dos contratos, que obrigar os contratantes o cumprimento na íntegra das cláusulas estipuladas no pacto como:
Maior celeridade 
Menor formalismo de procedimentos
Sigilo do processo
Menor custos 
NATUREZA JURIDÍCA
Diverge-se a respeito da natureza jurídica do compromisso. Para uns equipara-se a um contrato, por resultar de um acordo de vontades e requerer capacidade das partes, objeto lícito e forma especial. Entretanto, considerando que o seu objetivo não é criar, modificar ou extinguir direitos, o Código civil de 1916 o incluiu entre os meios extintivos de obrigações, recebendo esse mesmo tratamento na Lei n. 9.307/96. O novo código civil, diversamente, inseriu o compromisso no Título VI ("Das várias espécies de contrato"), dispensando-lhe o tratamento de contrato nominado.  
COMPROMISSO NO PROCEDIMENTO DA ARBITRAGEM
Arbitragem é o acordo de vontades por meio do qual as partes, preferindo não se submeterem à decisão judicial, confiam a árbitros a solução de seus conflitos de interesses. É uma espécie de complemento da transação.
Compromisso Arbitral Judicial refere-se a um conflito já ajuizado perante o Poder Judiciário. Nesse caso, o compromisso arbitral é firmado, por termo nos autos do processo judicial, perante o juízo ou tribunal onde corre a demanda. Após a assinatura do compromisso arbitral pelas partes, encerra-se as funções do juiz, pois quem decidirá será o árbitro.
Compromisso Arbitral Extrajudicial caso não exista um processo judicial ajuizado, as partes podem firmar um compromisso arbitral extrajudicial. Nesse caso, celebra-se o compromisso arbitral por escritura pública ou particular, assinado pelas partes e por duas testemunhas, determinando o árbitro e/ou câmara arbitral responsável pela solução do conflito.
EXTINÇÃO DO CONTRATO DE COMPROMISSO 
A extinção ocorre com efeito, pela sua natural característica de contrato instantâneo e consensual, a sua celebração já consuma o negócio jurídico, gerando efeitos imediatamente. 
Mesmo na excepcional situação em que se pactue,