A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Bioclimatologia

Pré-visualização | Página 1 de 7

Aula 1 – 27 de julho de 2018
Princípios da Bioclimatologia animal
Termogênese Produção de calor
Termólise Dissipação do calor
Calor endógeno Calor produzido para o animal se manter vivo (metabolismo basal)
Estresse térmico Inabilidade do animal de trocar calor com o ambiente (não consegue dissipar calor)
Conforto térmico Habilidade do animal de trocar calor com o ambiente
Há três formas de troca de calor:
		Condução Troca de calor até os corpos se igualarem, ficarem em equilíbrio.
		Convecção Troca o ar. O ar mais quente é mais leve, sobe e o ar mais frio que é mais pesado, desce.
Radiação Troca de calor por meio de ondas eletromagnéticas. Pode ir direto para o animal ou pode refletir em outra coisa e ir para o animal
Clima É a somatória de todas as variáveis (temperatura, umidade relativa, vento, radiação e precipitação)
 
Meio ambiente Meio que o animal vive e pode afetar diretamente ou indiretamente os animais. É o conjunto de todas as variáveis mais a interação homem animal, a vegetação, etc.
Variáveis 
TEMPERATURA
	É a variável mais facilmente percebida. A sensação térmica é o que a gente consegue perceber da temperatura e está correlacionada com a umidade. A amplitude térmica é a diferença de temperatura máxima e temperatura mínima.
umidade relativa
	A umidade relativa é quanto o ar consegue reter de água. Quanto maior for a temperatura, menor a umidade relativa. Quando a umidade está muito baixa, há ressecamento da mucosa, da pele e das vias aéreas. E quando está muito alta é prejudicial pois também predispõe os animais há problemas respiratórios como pneumonia e bronquite.
Vento	
	Vento é a movimentação das massas de ar. As barreiras naturais impedem a movimentação dos ventos. É importante na dissipação do calor nos animais por convecção. A ventilação é importante no inverno e no verão. No verão serve para refrigerar os animais e renovar o ar dentro das instalações (higiene). Já no inverno há ventilação também, mas não encontra os animais, é pela parte de cima das instalações. 
	O anemômetro mede a velocidade do vento.
Radiação
	A radiação é o calor recebido pelo animal de tudo o que o rodeia. Há ondas longas e curtas: as curtas é quando ele recebe diretamente calor do sol; já as longas, é quando ele recebe calor de outros objetos (radiação vai para o solo, reflete em diversos objetivos e volta para o animal).
CHUVAS
	A chuva é a precipitação de água no estado líquido. Ela exerce influência na umidade. Tem que ter cuidado com excesso de umidade dentro das instalações pois pode trazer problemas respiratórios e dele pele.
	O pluviômetro mede a quantidade de chuva em determinada região.
ALTITUDE
	Quanto maior a altitude, menos a temperatura e menor a disponibilidade de oxigênio. Pode haver taquicardia, redução na produtividade e falta de ar.
ÍNDICES climáticos
Cálculos matemáticos que dizem o quanto o ambiente é confortável para o animal. O índice climático serve para mensurar o conforto térmico dos animais em determinado ambiente. 
Índices usados para avaliação nos animais:
Observação livre Vai observar o ritmo cardíaco, frequência de alimentação e bebida, estado físico e comportamento.
Observação dirigida Limite-se a duas ou três variáveis das acimas avaliando-os com maior qualificação. 
Provas ibéricas Realizada num dia calmo, sem agua e sem abrigo de sol. Medir a temperatura retal desde 10h até 15h por três dias. Se ele aumentar muito de temperatura, ele está desprendendo muitos mecanismos para se autorregular. 
Teste de Benezra Obter o coeficiente de adaptabilidade por uma fórmula 
AULA 2 –3 DE agosto DE 2018
TERMOGÊNESE 
	É a produção de calor. 
MECANISMOS PARA GANHAR/perder CALOR
	Fisiológicos:
Metabolismo basal É o calor gerado pelo normal funcionamento dos órgãos mesmo quando estão em repouso (logo, um animal produz calor mesmo quando está parado pois os órgãos produzem calor só por estarem ativos).
Produção de calor e a categoria do animal Existe uma variação entre as espécies, por exemplo um pintinho tem uma temperatura de conforto diferente de um frango/galinha. Quando filhote o sistema de termoregulação ainda está em construção, então a perda de calor é mais rápida de quando adulto
Pelos e deposição de gordura Crescimento dos pelos e deposição de gordura ocorre e assim, os animais mais protegidos no frio mas com dificuldade de perder calor quando quente.
Tamanho dos órgãos no frio e no calor No frio os animais aumentam o tamanho dos órgãos pois quando fazem isso aumentam a atividade relativa deles e assim, aumentam o calor. No calor ocorre o contrário, a diminuição dos órgãos.
No frio: Vasoconstrição, reduz a frequência cardíaca, aumenta hormônio tireoidianos (diminuindo o metabolismo)
No calor: Vasodilatação, aumenta a frequência cardíaca (pois precisa de mais sangue para passar nos vasos) e diminui hormônio tireoidianos. 
Comportamentais:
Animais agressivos X animais tranquilos Os animais agressivos tendem a produzir mais calor pela sua maior movimentação. Os animais mais tranquilos tendem a produzir menos calor.
Tremores É uma forma ineficiente do animal ganhar calor
Aglomeração No frio os animais trocam calor entre si ficando uns mais próximos do outro. No calor os animais tendem a ficar mais afastados uns dos outros.
Cite três mecanismos que o animal utiliza para perder calor. R: Suar, ficar mais afastado um do outro e reduzir a frequência cardíaca. Termólise NÃO é um dos mecanismos!!
Cite três exemplos de comportamento que os animais realizam quando estão estresse com frio e com calor. R: Tremores, aglomeração e movimentação. Comportamental é diferente de fisiológico!
dESEMPENHO E PRODUÇÃO DE CALOR
	Quanto mais produtivo o animal for, mais energia ele precisa para manter essa produção, logo mais calor.
manejo e produção de calor
	Reduzir a distância de comedouro e bebedouro Reduz ração e aumenta a quantidade de água 
	Exposição aos ventos Ventilação porém não muito forte pois acarreta problemas
	Fornecimento de alimento nas horas mais frescas do dia para: porcas em gestação, suínos em terminação e frangos de corte
	Perfil do tratador Se o tratador for estressado ou agitado, acaba passando esse sentimento para o animal, que acaba produzindo mais calor.
	Evitar manejo dos animais nas horas mais quentes do dia
termólise 
Os animais trocam calor com o ambiente em que vivem por meio de duas formas: sensíveis e latentes.
formas sensíveis 
Condução Troca de calor por contato de dois corpos com temperaturas diferentes. O calor vai do corpo mais quente para o corpo mais frio para manter o equilíbrio. O corpo pode ser também um objeto. A condução em agua parada pode ocorrer quando o ser troca calor com a agua por meio de condução. A condução é muito influenciada pelo isolamento térmico. 
No fluxo de calor por condução são envolvidos os seguintes componentes:
Núcleo corporal (temperatura de cada animal, quanto mais quente maior a transferência), pele, camada de cobertura (penas ou pelos) e camada limite (camada delgada de ar que separa o ambiente da superfície de cobertura do animal. É uma camada que vem acima da pele)
Convecção Forma eficiente de transferência de calor que se dá por movimentação do ar, removendo o calor do corpo aquecido. É também relacionada à camada limite.
A camada limite quente existe, vem uma fonte de ventilação e faz com que o ar frio desça para a camada limite e o ar quente saia do corpo.
Processo convectivo livre Vento
Processo convectivo forçado Ventilador
Exemplo: Aves tem como processo convectivo abrir as asas para aumentar a entrada de ar para que este atinja a camada limite e ela consiga se termorregular. 
Na água em movimento faz trocas térmicas entre as correntes de agua fria e agua quente. Há perda por convecção. 
Radiação Radiação vem de todos os lados para atingir o animal. Pode ir direto para o animal ou refletir em diversos lugares e ir para ele. A cor do animal influencia na absorção/reflexão do calor. Cores escuras