A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
AVHistóriadoBrasilImperial

Pré-visualização | Página 1 de 2

Avaliação: CEL0517_AV_201701051184 » HISTÓRIA DO BRASIL IMPERIAL 
Tipo de Avaliação: AV 
Aluno: 201701051184 - VANESSA DE CARVALHO COSTA 
Professor: CATIA DA CONCEICAO FARIA FERNANDES Turma: 9001/AA 
Nota da Prova: 7,0 Nota de Partic.: Av. Parcial Data: 08/11/2018 10:05:15 
 
 
 1a Questão (Ref.: 201704033504) Pontos: 0,0 / 1,0 
Sabe-se que a Independência do Brasil significou: 
 
 A separação política do Brasil de Portugal. 
 
A constituição de um Estado absolutista no Brasil. 
 
O início das chamadas guerras da Independência. 
 
A constituição de um Estado democrático no Brasil. 
 O fim do pacto colonial. 
 
 
 
 2a Questão (Ref.: 201702071119) Pontos: 1,0 / 1,0 
Segundo dados levantados por João Fragoso,em 1819 cerca de 51% dos trabalhadores escravizados do Brasil 
encontravam-se na região Nordeste. Em contraste, em 1880, 59% desta força de trabalho cativa concentrava-
se no Sudeste. Considerando a promulgação da Lei Eusébio de Queirós em 1850, pode-se afirmar corretamente: 
 
 
A diminuição demográfica da escravidão no Nordeste está relacionada à queda no número de indígenas 
escravizados localmente, por conta das altas taxas de mortalidade ocasionadas pelas violentas ações dos 
traficantes internos de trabalhadores cativos. 
 
A Lei Eusébio de Queirós garantiu os direitos de compra e venda de trabalhadores escravizados no Brasil 
dando privilégios alfandegários aos produtores do Sudeste para a importação de deportados africanos. 
 Com a proibição do tráfico internacional de escravizados, as áreas produtoras de café passaram a ser 
abastecidas pelo tráfico intra e interprovincial de cativos. 
 
A escravidão no Brasil caiu consideravelmente no século XIX com a diminuição do tráfico internacional de 
trabalhadores escravizados. Isto refletiu na concentração demográfica dos cativos no Brasil, permitindo 
ao Sudeste a concentração por se encontrar geograficamente melhor localizado para receber os 
deportados africanos. 
 
O aumento do número de escravos no Sudeste está relacionado ao empobrecimento dos grandes 
produtores canavieiros do Nordeste, que se viram impossibilitados de continuarem com a compra legal 
de cativos por falta de fundos. 
 
 
 
 3a Questão (Ref.: 201701151927) Pontos: 1,0 / 1,0 
"A Constituição de 1824 simbolizava o verdadeiro caráter ideológico da aristocracia rural da época: liberal na 
forma, conservadora na pratica." 
 
Marque a alternativa que melhor explica a frase supracitada. 
 
 Com a constituição de 1824, além dos poderes executivo, legislativo e judiciário, o imperador poderia 
contar ainda com o poder moderador. Poder pessoal e exclusivo que legalizava o seu absolutismo. Era 
ainda assessorado pelo conselho de Estado, que também era vitalício e nomeado pelo imperador. 
 
Rompendo com a tradição colonial, a igreja católica não ficou mais subordinada ao Estado brasileiro. 
 
As elites que tomaram o poder, em 1822, não eram ligadas á economia de exportação e importação e, 
portanto, não tinham o interesse de manter as tradicionais estruturas de produção, cuja base era o 
trabalho escravo e a grande propriedade. Almejavam profundas mudanças estruturais. 
 
Após a independência do Brasil, alguns grupos interessados em promover o desenvolvimento da indústria 
nacional e abolir o tráfico de escravos ganharam força. 
 
O sistema político brasileiro, após a independência, era descentralizado, isto é, os governos municipais 
eram independentes dos governos provinciais e estes por sua vez eram independentes do governo 
central. 
 
 
 
 4a Questão (Ref.: 201701298903) Pontos: 1,0 / 1,0 
Uma vez formalizada a ruptura definitiva entre Brasil e Portugal, restava muito ainda por se fazer. Qual das 
respostas abaixo justifica esta afirmação? 
 
 
Era desnecessário que a comunidade internacional reconhecesse a nova nação e, principalmente, era 
indispensável a construção de uma estrutura político/jurídico de dominação forte o suficiente para se 
fazer soberana no território nacional. 
 
Era desnecessário que a comunidade internacional reconhecesse a nova nação e, principalmente, era 
dispensável a construção de uma estrutura político/jurídico de dominação forte o suficiente para se fazer 
soberana no território nacional. 
 
Era necessário que a comunidade internacional reconhecesse a nova nação e, principalmente, era 
dispensável a construção de uma estrutura político/jurídico de dominação forte o suficiente para se fazer 
soberana no território nacional. 
 
Era necessário que a comunidade chinesa reconhecesse a nova nação e, principalmente, era 
indispensável a construção de uma estrutura político/jurídico de dominação forte o suficiente para se 
fazer soberana no território nacional. 
 Era necessário que a comunidade internacional reconhecesse a nova nação e, principalmente, era 
indispensável a construção de uma estrutura político/jurídico de dominação forte o suficiente para se 
fazer soberana no território nacional. 
 
 
 
 5a Questão (Ref.: 201701151931) Pontos: 1,0 / 1,0 
Brasil e Cuba durante muitos anos foram expoentes produtores de café. A partir de 1820, a produção brasileira 
no Vale do Paraíba, ultrapassa em larga escala a cubana. "a incapacidade de os produtores cubanos competirem 
com os produtores brasileiros em um quadro de queda acentuada dos preços, somada á sua exclusão do 
mercado dos Estados Unidos, selou o destino da cafeicultura na ilha". 
(MARQUESE, Rafael e TOMICH, Dale. In: GRINBERG, Keila e SALLES, Ricardo. O Brasil Imperial Volume II. Rio 
de Janeiro, Civilização Brasileira, 2009, pág. 363). 
 
Em relação ao tema em destaque é correto afirmar: 
 
 
O aumento crescente do tráfico negreiro no período que antecede a 1830, ano emblemático para o fim do 
tráfico proposto pela convenção ente Inglaterra e Brasil, em nada influenciou a questão do aumento de 
escravos neste período. 
 
A produção brasileira de café nunca competiu com a cubana, o que ocorreu neste período, foi uma queda 
na produção em Cuba em função de diversos furacões que assolaram a ilha, inutilizando as terras férteis. 
 
A produção agrícola no vale do Paraíba não era exclusiva da cultura do café, por isso o grande esforço 
dos cafeicultores desta região em contratar muita mão de obra para tentar alavancar a produção do café. 
 
Cuba, a partir desse período, perdeu o interesse na produção do café por este produto já não ser mais 
tão rentável no mercado internacional. 
 O aumento da entrada de negros escravos no Brasil, entre 1821 e 1830, para trabalharem nas lavouras 
do Vale do Paraíba é uma das justificativas que corroboram para o aumento da produção Brasileira. 
 
 
 
 6a Questão (Ref.: 201702080356) Pontos: 0,0 / 1,0 
O período da regência de Diogo Antônio Feijó foi extremamente conturbado, com revoltas provinciais e uma 
grande agitação politica. Esse estado de coisas levou a uma forte oposição que resultou: 
 
 
Na Revolução Praieira. 
 No Golpe da maioridade. 
 
Na Restauração. 
 Na formação do ¿partido¿ do Regresso. 
 
Na Revolução Liberal 
 
 
 
 7a Questão (Ref.: 201702215266) Pontos: 1,0 / 1,0 
(FGV/2000) Leia atentamente as afirmações abaixo sobre a Guerra dos Farrapos e assinale a alternativa 
correta. I. Foi a mais longa Guerra Civil do Brasil. II. Constituíram-se, em meio à luta, duas efêmeras 
Repúblicas: a Juliana, em Santa Catarina, e a Piratini, no Rio Grande do Sul. III. Entre os participantes desse 
movimento estava a "heroina de dois mundos", a republicana revolucionária Ana Maria de Jesus Ribeiro - Anita 
Garibaldi. IV. Trata-se de uma revolução de caráter popular em que as elites foram postas à margem durante 
todo o processo. V. O desfecho da revolução foi sangrento. Não houve concessões nem anistia aos Farrapos. 
Todos foram executados.