Resumo processos básicos em psicologia v1
3 pág.

Resumo processos básicos em psicologia v1


DisciplinaPsicologia e Processos Básicos I9 materiais65 seguidores
Pré-visualização1 página
Sensação \u2013 captação de estímulos através dos órgãos sensoriais (olhos, nariz, ouvido, pele e boca) e envio para o processamento dos mesmos 
Percepção \u2013 processamento dos estímulos captados pela sensação. Sem a percepção, a sensação seria inútil, pois é ela que organiza e atribui sentido para a sensação.
O todo é maior do que a soma das partes. Pois na soma das partes há elementos que não podem ser percebidos em partes isoladas, um exemplo disso é o stop motion, que consiste na organização de fotos passadas rapidamente para que de a ideia de movimento, é assim que filmes são feitos. 
Atenção - O processo de atenção possibilita o alcance de realizações pessoais. São características da atenção o esclarecimento consciente, na concentração de uma força psíquica disponível para o esclarecimento da realidade. Processo funcional complexo, facilitador do processo de informação
3 tipos de atenção 
Atenção motora \u2013 Acontece quando a consciência está concentrada na execução de uma atividade física e muscular 
Atenção intelectual \u2013 reflexão e resolução de problemas conscientemente definidos
Atenção Sensorial \u2013 interesse e animo são condições essenciais para que haja a atenção, sem interesse não há atenção. A depressão ocasiona falta de interesse e prazer, então afeta a atenção e consequentemente a memória.
Alcance da atenção \u2013 número máximo de objetos que a atenção consegue focar de uma só vez 
A atenção se sacia, se satura \u2013 Por isso é importante mudar o foco da atenção, isso possibilita que mais aspectos sejam analisados, possibilita uma nova perspectiva 
Tenacidade \u2013 habilidade de manter a atenção voluntária em um estimulo
Vigilância \u2013 possibilidade de desviar a atenção para um novo objeto
A diferença é entre os dois é que vigilante é estar atento aos estímulos e tenacidade é prestar atenção em um específico. 
Atenção voluntária \u2013 o indivíduo tem liberdade de escolher seu foco de atenção 
Atenção involuntária \u2013 o indivíduo parece ter menos liberdade acerca da escolha de seu foco de atenção 
distração
Hipertenacidade \u2013 muita atenção voluntaria e pouca atenção involuntária
Hipotenacidade \u2013 muita atenção involuntária e pouca atenção voluntária
Hiperatividade da atenção involuntária \u2013 o indivíduo se interessa por muitos aspectos sensoriais, mas acaba não focando em nenhum específico 
Foco da atenção \u2013 Grau máximo da consciência 
Subconsciente \u2013 mais próximo do foco da atenção 
Inconsciente \u2013 mais distante do foco da atenção 
Dividir a atenção prejudica a qualidade com a qual as tarefas irão ser executadas.
Atenção concentrada \u2013 excluir outros estímulos e se concentrar em um só.
Atenção sustentada \u2013 manter a atenção em um estimulo por quanto tempo for necessário.
Atenção alternada \u2013 alternar a atenção para dois estímulos diferentes que possuem diferentes níveis de dificuldade 
Atenção dividida \u2013 multitasking. Fazer mais de uma coisa de uma vez, manter a atenção em mais de uma coisa. Ex: lavar louça e escutar música, ouvir a aula e fazer anotações 
Atenção seletiva \u2013 selecionar o foco da atenção e se concentrar nele. Excluindo estímulos internos (pensamentos) e estímulos externos (barulhos) que são distrações
Percepção 
Agrupamento \u2013 O cérebro agrupa estímulos visuais automaticamente, para facilitar a compreensão dos mesmos. 
Semelhança \u2013 Agrupar elementos semelhantes entre si 
Fechamento \u2013 preencher as lacunas afim de formar uma figura coesa 
Conexão \u2013 ligar pontos ou linhas afim de formar uma figura coesa
Proximidade \u2013 objetos próximos são vistos como um grupo 
Continuidade \u2013 Agrupar elementos para proporcionar continuidade em vez de os ver como elementos separados. (O todo é maior que a soma das partes)
Figura e fundo
O nosso cérebro ve as imagens fazendo distinções de figura e fundo 
Figura \u2013 objeto 
Fundo \u2013 ambiente 
Letras pretas (figura) num papel branco (fundo)
Figura e fundo são reversíveis 
Sensação
Tipos de processamento
Bottom-up \u2013 Captar um estimulo (sensação) e o processar, atribuindo sentido à ele (percepção). 
Top-down \u2013 Usar de percepções anteriormente experimentadas para se situar, sem a necessidade de ter o processamento do estimulo de novo. percepções baseadas na experiência e expectativas. Ex (vê uma maçã e já sabe que é uma maçã, sem ter que tocá-la e come-la para isso).
Transdução - conversão de uma forma de energia em outra. Nossos sentidos:
Recebem estimulação por meio de células receptivas
Transformam essa estimulação em impulsos neurais
Enviam a informação neural ao cérebro
Limiar absoluto \u2013 o mínimo de intensidade que um estimulo deve possuir para que possa ser captado pelos órgãos sensoriais (na maioria das vezes) 
Limiar diferencial \u2013 O quanto de alteração precisa ocorrer no estimulo para que os órgãos sensoriais percebam a alteração. 
Adaptação sensorial \u2013 diminuição da nossa sensibilidade a um estimulo constante 
Homúnculo de Pienfield \u2013 Partes aumentadas (Rosto, mãos, dedos, pés e boca) representam uma maior sensibilidade cutânea do que partes representadas menores.