A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
70 pág.
Livro Texto   Unidade II

Pré-visualização | Página 11 de 15

S
ou
za
 -
 d
at
a 
18
/0
1/
20
17
Unidade II
Quadro 15 – Vantagens e desvantagens do sistema ofensivo posicional 5x1
Vantagens Desvantagens
Os postos inerentes possuem espaços adequados para a 
eficácia do ataque
Se não houver uma boa base tática individual, de grupo 
e coletiva, é um sistema monótono que poderá levar ao 
jogo passivo
Oferece perigo de todos os postos específicos ofensivos Os pivôs dependem das ações dos armadores para poderem ter êxito em suas ações
Os armadores têm uma visão ampliada pelo seu 
posicionamento em quadra
O ataque depende da criatividade e das tomadas de 
decisão dos atacantes
Imprevisível, pois para cada ataque não existe uma 
jogada preestabelecida
7.7 Sistema de ataque com dois pivôs – 4x2
Esse sistema é uma variação do sistema anterior (5x1), utilizado principalmente quando a defesa 
adversária atua com sistemas defensivos abertos, tática que possui como uma de suas fragilidades a 
constante saída dos defensores dos 6 para os 9 m; é constituído por duas e três linhas defensivas.
CA
D
E EF
Figura 66 - Sistema ofensivo posicional 4x2
7.7.1 Função dos jogadores
Equipes que jogam com dois pivôs organizam-se de forma diferente, geralmente acontece a saída 
do armador central, ficam dois armadores mais lateralizados, eles dividem a faixa central da quadra, 
enquanto que os pivôs se posicionam entre os quatro defensores centrais, cada um atuando em meia 
quadra, ou cruzando de um lado para o outro, já os pontas procedem da mesma forma do sistema 5x1.
Preferencialmente, nos postos específicos C, D e E, temos jogadores canhotos (sinistro), para aumentar 
o ângulo de arremesso nas finalizações a gol, e nas demais, destros pelo mesmo motivo.
87
Re
vi
sã
o:
 K
le
be
r N
as
ci
m
en
to
 d
e 
So
uz
a 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: E
ve
rt
on
 M
ar
tin
s S
ou
za
 -
 d
at
a 
18
/0
1/
20
17
HANDEBOL: ASPECTOS PEDAGÓGICOS E APROFUNDAMENTOS
7.7.2 Erros comuns
Dentre as falhas mais usuais, destacamos:
• os jogadores não se movimentarem de forma frontal em relação à meta, permanecendo parados 
em seus postos específicos, sem ofensividade;
• receber e passar a bola sem movimentação;
• falta de recursos táticos individuais e de grupo;
• diminuição de ofensividade, principalmente em inferioridade numérica;
• a equipe não oferecer perigo à meta adversária de todos os postos específicos ofensivos;
• falta de serviços aos pivôs.
• ausência de sincronismo nas movimentações dos pivôs.
7.7.3 Vantagens e desvantagens do sistema ofensivo posicional 4x2
Consta, a seguir, apresentação dos principais pontos do referido sistema:
Quadro 16 - Vantagens e desvantagens do sistema ofensivo posicional 4x2
Vantagens Desvantagens
Os postos inerentes possuem espaços adequados para a 
eficácia do ataque
Se não houver uma boa base tática individual, de grupo 
e coletiva, é um sistema monótono que poderá levar ao 
jogo passivo
Oferece perigo de todos os postos específicos ofensivos Os pivôs dependem das ações dos armadores para poderem ter êxito em suas ações
Os armadores têm uma visão ampliada pelo seu 
posicionamento em quadra
O ataque depende da criatividade e das tomadas de 
decisão dos atacantes
Imprevisível, pois para cada ataque não existe uma 
jogada preestabelecida
Com um armador a menos, a distribuição de jogo fica 
diminuída
Com dois pivôs os bloqueios ofensivos e as infiltrações 
ficam favorecidas Coordenar a movimentação e ação dos dois pivôs
88
Re
vi
sã
o:
 K
le
be
r N
as
ci
m
en
to
 d
e 
So
uz
a 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: E
ve
rt
on
 M
ar
tin
s S
ou
za
 -
 d
at
a 
18
/0
1/
20
17
Unidade II
 Saiba mais
O livro a seguir poderá propiciar uma relação com os conteúdos ora 
mencionados: DANELLO, M. Raça, Brasil – Os bastidores da conquista 
inédita do mundial de handebol. Rio de Janeiro: BB Editora, 2014.
8 O GOLEIRO
O goleiro de handebol é considerado o último jogador da defesa e o primeiro do ataque, tendo como 
funções principais: a defesa da meta, a orientação de seus companheiros e a participação das ações 
ofensivas de seu time.
Em uma equipe de handebol, esse jogador possui características bem diferenciadas dos demais, até 
mesmo em relação aos seus treinamentos.
Autores como Barela (1998) e Tenroller (2004) consideram que 50% do rendimento de uma equipe 
é fruto do trabalho do seu goleiro, justificando suas peculiaridades e exigências. Já Lisboa (1983), 
argumentou que um bom goleiro pode ser considerado 70% da equipe. O percentual atribuído à 
importância da atuação desse atleta pode até variar, porém há consenso sobre a real importância deles 
para todas as equipes.
Além do caráter defensivo, podemos atribuir ao goleiro outras funções relevantes, das suas ações 
de reposição deve partir a mais estimada manobra ofensiva da equipe, aquela que favorece se chegar à 
meta adversária com mais rapidez e que se denomina contra-ataque.
O contra-ataque da equipe se sustenta principalmente na capacidade de reposição com rapidez, 
visão de jogo e capacidade técnica de lançamentos e passe a longa distância. Não se pode conceber 
uma equipe competitiva sem que o goleiro seja capaz de desempenhar eficientemente as funções que 
lhe são atribuídas.
Há grande responsabilidade do goleiro na orientação tática de sua equipe, pois o seu posicionamento 
em quadra lhe oferece visão privilegiada, podendo de forma segura orientar seus companheiros, tanto 
nas atitudes defensivas como também nas práticas ofensivas, sendo ele muitas vezes utilizado como 
capitão da equipe por apresentar grande liderança (BARELA, 1998).
Atualmente, com a mudança de regras (2016), no que se refere ao sétimo jogador atacante 
(goleiro linha), alguns técnicos têm optado pela retirada momentânea do goleiro, para colocar 
o sétimo jogador atacando, e outros têm apostado que os goleiros sejam especializados em 
setores de finalização do ataque, para que ele possa efetivamente atacar e finalizar contra a 
meta adversária.
89
Re
vi
sã
o:
 K
le
be
r N
as
ci
m
en
to
 d
e 
So
uz
a 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: E
ve
rt
on
 M
ar
tin
s S
ou
za
 -
 d
at
a 
18
/0
1/
20
17
HANDEBOL: ASPECTOS PEDAGÓGICOS E APROFUNDAMENTOS
O trabalho de goleiro é complexo e de enorme responsabilidade, pois através de seu desempenho, 
comportamento e intervenções seguras, ele reforça os princípios de equipe, dando a seus companheiros 
a sensação de segurança, combatividade e espírito de equipe, o que definitivamente irá refletir no 
resultado da partida.
Para a ocupação de tal posto específico defensivo com sucesso e eficácia, se faz necessário que esse 
jogador reúna características físicas, técnicas, táticas e psicológicas que se enquadrem nas particularidades 
e exigências das partidas, sendo que elas podem facilitar a otimização do seu desempenho.
No entanto, se houver um déficit de alguns aspectos inerentes ao goleiro, não devemos entender 
como um fator limitante na escolha de jovens para a função, pois poderemos compensar com a 
otimização de outras capacidades, porém quanto maior for o número de atributos presentes no goleiro, 
maior será a sua chance na obtenção do sucesso perante as dificuldades impostas no desenrolar da sua 
vida esportiva.
Para Greco (2002), a capacidade individual para ser goleiro, aliada ao treinamento do ato específico, 
da técnica, leva ao sucesso; a condição para aquisição da técnica é a prática, e a prática aliada à 
qualidade levam à perfeição.
8.1 Características físicas dos goleiros
De acordo com Bayer (1987), a Federação Romena de Handebol considera diferentes fatores na 
seleção de goleiros, sendo que, aos aspectos morfológicos