A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Seminário embriologia

Pré-visualização | Página 1 de 1

Seminário de Embriologia
PARTO
Hormônios do parto:
Durante o processo do parto o feto, placenta e membranas fetais são expelidos do trato reprodutor materno.
Os fatores desencadeadores do trabalho de parto não são totalmente compreendidos, mas vários hormônios estão relacionados com o inicio das contrações.
O hipotálamo do feto alcança a maturação e estimula a hipófise fetal a liberar ACTH.
Hormônio lactogênio placentário humano: é um hormônio protéico,é encontrado no plasma da gestante.
Hormônio melanotrófico: atua nos melanócitos para liberação de melanina, aumentando a pigmentação da aréola, abdomên e face.
Aldosterona: mantém o equilíbrio de sódio.
Progesterona: relaxa a musculatura lisa, o que diminui a contração uterina.
As contrações peristálticas do músculo liso uterino são induzidas pela oxitocina, liberada pela hipófise posterior. 
O estrogênio: também aumenta as atividades contrátil do miométrio e estimula a liberação de oxitocina e prostaglandinas.
Funções da oxitocina:
- Promove as contrações musculares uterinas durante o parto;
- Produção de leite durante a amamentação.
Estágios do trabalho de parto:
1° - dilatação da cérvix ;
2° - estágio da expulsão;
3° - estágio placentário.
Tipos de Parto:
 
- Parto Normal:
Estágios do Parto Normal;
- Parto sem dor;
Parto cesárea :
- É caracterizado por um procedimento cirúrgico através de um corte transversal feito no abdômen, dois dedos acima da região pubiana.  
-É aplicada anestesia. 
- Existem três tipos de anestesia: a raquidiana (ou raquianestesia), a peridural e o duplo bloqueio. 
- Alem da anesteia é colocado uma sonda para urina e soro intravenoso. A frequência cardíaca da mãe é acompanhada por um monitor
- Cesariana é recomendada quando o parto vaginal pode representar um risco para a mãe ou o bebê.
- Desproporção do tamanho do bebê em relação à pelve, infecção herpética ativa, gestantes diabéticas, posição do bebê invertida e difícil ou ainda se o trabalho de parto não estiver progredindo normalmente
- A recuperação da mamãe é bem mais lenta do que em qualquer outro tipo de parto.
Parto Natural:
O que diferencia o parto natural do parto normal, é que no parto natural a mulher não faz uso de nenhum tipo de anestésico ou medicação
O médico apenas acompanha o parto.
A ideia é de que a gestante possa conduzir o parto da forma que ela quiser só tendo intervenção médica se for necessário.
Técnicas de respiração e relaxamento são importantes para o alívio das dores. A yoga também é aconselhável.
O local pode ser um hospital ou uma clínica, ou mesmo em casa se o desejar e se tal for possível. 
No fim do parto, o bebê deve estar em contato com a mãe, mantendo sua pele em contato com a dele para mantê-lo quente, ajudando assim o seu bebê a regular o batimento cardíaco.
Parto Fórceps:
É o parto via vaginal (parto normal) no qual se utiliza um instrumento cirúrgico semelhante a uma colher, que é colocado no canal genital da mulher, ajustando-se nos lados da cabeça do bebê.
-Sofrimento ou mal posicionamento do feto;
-Exaustão da mãe;
-Mas ainda utilizamos fórceps na obstetrícia moderna? E o bebê não será sempre machucado?
-Dores e complicações após o uso do fórceps;
-Episiotomia
Parto Leboyer:
19
Parto na Água:
O parto na água se caracteriza quando a mãe dá a luz com os genitais totalmente cobertos de água. 
A água cobre toda a barriga e deve estar na temperatura do corpo, a 37º C. 
A água morna deixa a gestante relaxada e alivia as dores das contrações, pois provoca um aumento da irrigação sangüínea da mãe, uma diminuição da pressão arterial, além do relaxamento muscular.
Em relação ao natural, este parto é mais rápido e menos dolorido para a mãe, além de mais tranqüilo para o bebê.
 Ele sai de um meio líquido e quente para outro meio líquido e quente.
Esse tipo de parto é muito natural para o bebê, pois ele chega ao mundo envolvido pela água que está aquecida, assim como estava dentro do útero.
Parto de cócoras: 
- Parto vertical
- Muito semelhante ao parto normal
- Consiste na posição que a parturiente pode escolher no momento do nascimento (período expulsivo)
- O parto é mais rápido e a dor é de menor intensidade
- A mulher se sente no controle da situação
- O pai tem uma participação mais ativa, fornecendo suporte físico e psíquico 
- Só pode ser realizado se o feto estiver na posição cefálica 
- Indicado para as mulheres que tiveram uma gestação saudável
Parto Humanizado:
O parto humanizado, geralmente é feito em casa.
Ele busca reencontrar o verdadeiro sentido de dar a luz a uma criança, no âmbito familiar, buscando o respeito e a privacidade.
Acompanhados de profissionais "observadores" que deixam que os pais definam suas necessidades e prioridades. Um número reduzido de médicos assistem partos em casa, mas são as parteiras em sua grande maioria que acompanham os casais nessa escolha. 
Nenhum estudo demonstrou que dar à luz no hospital contribuiu para melhorar a condição da mulher sadia. Existem, sim, fatos que comprovam que a saúde da mãe e da criança pode melhorar e muito com uma boa alimentação, com a qualidade do saneamento básico (esgoto, água e instalações sanitárias), com melhores condições de vida em geral. 
O primeiro contato do bebê com o nosso mundo dentro do ambiente hospitalar se faz na maioria das vezes em meio a indiferença, tensão e nervosismo. Pessoas que não mantêm laços afetivos com a família e, portanto, estranhas, recebem o bebê, o manipulam, levam de cá para lá, como se ele fosse uma "coisa", um objeto, não um ser profundamente sensível e sujeito às influências do meio.
Aborto Espontâneo:
Doenças pós parto:
Alguns transtornos psiquiátricos podem estar ligados a fase gestacional e ao puerpério (período após descolamento da placenta até a volta do organismo antes da gestação):
-Transtorno de pânico;
-Transtorno Obsessivo Compulsivo;
-Disforia puerperal, ou Blues;
-Depressão pós-parto: ;
-Psicose Puerperal;
Referências bibliográficas:
http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI119077-15543,00.html
http://www.vidamental.com.br/index.php/blog/avaliacao-de-sanidade-mental/item/109-quais-doen%C3%A7as-a-mulher-pode-desenvolver-no-p%C3%B3s-parto
http://drauziovarella.com.br/mulher-2/depressao-pos-parto-3/
http://semprematerna.uol.com.br/entrevistas/depressao-pos-parto-doenca-requer-atencao
http://www.paisefilhos.pt/index.php/gravidez/pos-parto/5470-analise-no-pos-parto-despista-doencas-raras
http://www.partohumanizado.com.br/cap
http://demaeparamae.pt/artigos/15-dicas-para-parto-natural 6.html