(DES)CONTINUIDADE DOS PROJETOS ACERCA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO DE UM MUNICÍPIO DO VALE DO JAGUARIBE

Disciplina:Ciencias Bilogicas61 materiais308 seguidores
Pré-visualização4 páginas
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ
UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL
CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

RAFAEL ROCHA SEGUNDO

(DES)CONTINUIDADE DOS PROJETOS ACERCA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO DE UM MUNICÍPIO DO VALE DO JAGUARIBE

RUSSAS – CEARÁ
2017

RAFAEL ROCHA SEGUNDO

(DES)CONTINUIDADE DOS PROJETOS ACERCA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO DE UM MUNICÍPIO DO VALE DO JAGUARIBE

Projeto de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual do Ceará (UECE/UAB), como requisito parcial à obtenção do grau de Licenciado em Ciências Biológicas.

Orientador: Prof. Me Francisco Wagner de Sousa Paula

RUSSAS – CEARÁ
2017
RAFAEL ROCHA SEGUNDO

(DES)CONTINUIDADE DOS PROJETOS ACERCA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO DE UM MUNICÍPIO DO VALE DO JAGUARIBE

Projeto de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual do Ceará (UECE/UAB), como requisito parcial à obtenção do grau de Licenciado em Ciências Biológicas.

Aprovado em:

AVALIAÇÃO

_________________________________________________________________
Prof. Me Francisco Wagner de Sousa Paula (orientador)

1 INTRODUÇÃO
	
	Diante das mudanças climáticas e as grandes catástrofes se faz necessário despertar o interesse da população para essa problemática e buscar soluções para combater esses acontecimentos. A relação do ser humano com a natureza veio se transformando ao longo da história através da necessidade humana de extrair os recursos naturais para a sua sobrevivência. De acordo com a Constituição Federal de 1988 (BRASIL, 1988), em seu Art. 225“todos têm o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.
	A Educação Ambiental representa uma ferramenta importante para a promoção de ações que venham orientar a melhoria do meio ambiente. Nesse contexto, a escola surge como grande parceira e indutora de tais ações e principalmente propagadora do conhecimento, sendo parte fundamental do processo de conscientização quanto à necessidade de se preservar o meio ambiente, formando cidadãos críticos e capazes de opinar e atuar dentro da sociedade que vivem.
	É importante que ocorra um processo participativo permanente, de maneira que não seja apenas e exclusivamente informativa, é imprescindível a prática, de modo a desenvolver e incutir uma consciência crítica sobre os problemas ambientais (MEDEIROS et al, 2011).
	Portanto, a educação ambiental como prevista na Constituição Federal de 1988 deve ser inserida em todos os níveis de ensino, para que futuramente possam se ter pessoas conscientes da importância de um meio ambiente ecologicamente equilibrado. A Educação Ambiental mostra-se como uma ferramenta de orientação para a conscientização dos indivíduos diante dos problemas ambientais
	Pensar em Educação Ambiental é muito mais do que estudar Ecologia, Biologia ou fenômenos da natureza, é relacionar questões que fazem parte do cotidiano e que muitas vezes não se olha com o real valor. Praticar a Educação Ambiental é, antes de qualquer coisa, demonstrar amor a si, ao seu próximo e a natureza que nos cerca e nos sustenta.
	Neste sentido, segundo Dickman (2010), a Educação Ambiental não compreende somente como uma disciplina isolada no currículo escolar, mas sim uma dimensão educacional a ser trabalhada de forma interdisciplinar no meio escolar.
	Nesta perspectiva, para falar de Educação Ambiental de forma mais ampla e consistente não basta apenas os conteúdos de sala, faz-se necessário também que hajam projetos relacionados ao tema, uma vez que estes ampliam a visão do aluno, aguça os sentidos, desperta a curiosidade, eleva a autoestima, uma vez que os adolescentes quando mantém contato com algum tipo de atividade onde eles são os sujeitos participativos da ação, estes se sentem mais motivados e empolgados a participarem do processo, por este motivo, é de suma importância as escolas não apenas falarem de educação ambiental, mas sobretudo, mostrarem na prática do dia a dia como se faz.
	Entretanto, projetos são desenvolvidos nas escolas, mas não prosseguem até sua conclusão e neste contexto, questiona-se sobre a descontinuidade dos projetos acerca de educação ambiental nas escolas de ensino médio de um município do Vale do Jaguaribe?
	A pesquisa torna-se relevante pois procura-se contribuir, de forma reflexiva e crítica, para os problemas relacionados a Educação Ambiental dentro da escola, encontrar e atualizar dados relacionados ao tema, contribuindo como fonte de informação para a sociedade e favorecer o desenvolvimento de novas pesquisas e técnicas para solucionar o problema estudado.
	As pessoas envolvidas terão a chance de familiarizar-se com o tema da educação ambiental, entendendo os conceitos fundamentais e os princípios para que possam perceber a inter-relação entre a escola, a educação ambiental e a comunidade.
	Portanto, a Educação Ambiental, não pode se duvidar do seu caráter e de sua função transformadora, que visa a emancipar e a libertar os indivíduos das amarras impostas pelos interesses econômicos. Nesse sentido, “o desafio de um projeto de educação ambiental é incentivar as pessoas a se reconhecerem capazes de tomar atitudes” (MEIRELLES; SANTOS, 2005, p.35).
	Segundo Andrade (2015) a Educação Ambiental não deve ser a educação que comemora datas do meio ambiente impostas nos calendários, mas deve ser um processo contínuo, que tenha como objeto a transformação social.
	O ambiente escolar constitui-se de um importante ambiente para sensibilizar os alunos para a temática, além de fornecer o conhecimento necessário para que desde cedo tomem atitudes e decisões pautadas na conservação. Ainda permite que o aprendizado seja disseminado no ambiente familiar e no convívio social dos alunos.

2 OBJETIVOS

2.1 GERAL

	Compreender a (des)continuidade dos projetos acerca da educação ambiental nas escolas do ensino médio de um município do Vale do Jaguaribe.

2.2 ESPECÍFICOS

Identificar os projetos existentes nas escolas;
Descrever a execução dos projetos desenvolvidos nas escolas;
Entender a (des)continuidade da execução dos projetos nas escolas.

3 REFERENCIAL TEÓRICO

3.1 CONCEITOS E CARACTERÍSTICAS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

	A Educação Ambiental é um dos assuntos mais polêmicos e mais falados dos últimos tempos, principalmente porque o assunto tem gerado uma série de especulações entre a comunidade de educandos e educadores. O homem tem praticado uma série de atividades que tem destruído o ambiente como um todo. Ações negativas, destruidoras e ações poluentes têm aumentado a degeneração do meio ambiente.
	Conforme Baum e Povaluck (2012), a nomenclatura “Educação Ambiental” surgiu historicamente para denominar o uso de práticas educativas que eram associadas às questões ambientais. Essa expressão, foi registrada pela primeira vez em 1965 na Conferência da Educação em Grã-Bretanha, com o objetivo de introduzir na educação dos cidadãos, princípios de ecologia e conservação dos recursos (LIMA, 2011, p. 13 apud LAYRARGUES, 2003).
	Na visão de Braga (2013, p. 9), ele diz que “a partir da formação de cidadãos consciente os benefícios, embora sejam em longo prazo, são enormes. Ao desenvolverem-se práticas sustentáveis podemos constatar redução de impactos tanto na fauna como na flora, nos recursos hídricos, no solo, no clima e na natureza como um todo”. Assim, a escola assume seu papel de destaque nesse cenário, uma vez que ela é corresponsável pelos trabalhos relativos à conscientização do homem no que se refere ao seu papel