(Estudos em Comunicação #7   Volume 1   Maio 2010 1 7) LabCom UBI. 1 LabCom 2010 (2010)
283 pág.

(Estudos em Comunicação #7 Volume 1 Maio 2010 1 7) LabCom UBI. 1 LabCom 2010 (2010)

Disciplina:Análise de Campanhas de Comunicação11 materiais27 seguidores
Pré-visualização50 páginas
i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

i
i

DIRECTOR

João Carlos Correia (Universidade da Beira Interior, Portugal)

EDITORES [EDITORS]

João Carlos Correia (Universidade da Beira Interior, Portugal)
Anabela Gradim (Universidade da Beira Interior, Portugal)

PAINEL CIENTÍFICO INTERNACIONAL [INTERNATIONAL SCIENTIFIC BOARD]

António Fidalgo (Universidade da Beira Interior, Portugal)

Afonso Albuquerque (Universidade Federal Fluminense, Brasil)
Alfredo Vizeu (Universidade Federal de Pernambuco, Brasil)
António Bento (Universidade da Beira Interior, Portugal)
Barbie Zelizer (University of Pennsylvania, USA)
Colin Sparks (University of Westminster, United Kingdom)
Eduardo Camilo (Universidade da Beira Interior, Portugal)
Eduardo Meditsch (Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil)
François Heinderyckx (Université Libre de Bruxelles, Belgique)
Elias Machado (Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil)
Francisco Costa Pereira (Escola Superior de Comunicação Social, Portugal)
Gil Ferreira (Universidade Católica Portuguesa)
Helena Sousa (Universidade do Minho, Portugal)
Javier Díaz Noci (Universidad del País Vasco, Espanã)
Jean Marc-Ferry (Université Libre de Bruxelles, Institut d’Études Européennes, Belgique)
João Pissarra Esteves (Universidade Nova de Lisboa, Portugal)
João Canavilhas (Universidade da Beira Interior, Portugal)
Joaquim Paulo Serra (Universidade da Beira Interior, Portugal)
Jorge Pedro Sousa (Universidade Fernando Pessoa, Portugal)
José Bragança de Miranda (Universidade Lusófona; Universidade Nova de Lisboa, Portugal)
Liesbet van Zoonen (University of Amsterdam, Holanda)
Manuel Pinto (Universidade do Minho, Portugal)
Mark Deuze (Indiana University, USA)
Maria João Silveirinha (Universidade de Coimbra, Portugal)
Mário Mesquita (Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa, Portugal)
Marcos Palácios (Universidade Federal da Bahia, Brasil)
Martin Jay (University of California, Berkeley, USA)
Miguel Rodrigo Alsina (Universitat Pompeu Fabra, España)
Michael Gurevitch (University of Maryland, USA)
Nelson Traquina (Universidade Nova de Lisboa, Portugal)
Nico Carpentier (Vrije Universiteit Brussel -VUB- , Katholieke Universiteit Brussel - KUB)
Nathalie Zaccai - Reyners (Université Libre de Bruxelles, Belgique)

i
i

i
i

i
i

i
i

Paula Espírito Santo (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Universidade Técnica
de Lisboa, Portugal)
Peter Dahlgren (Lunds Universitet, Sweden)
Pedro Coelho (SIC, Jornalista; Investigador)
Ramón Salaverría (Universidad de Navarra, España)
Stephen K. White (University of Virgínia, EUA)
Rosental Calmon Alves (University of Texas, USA)
Steve Reese (University of Texas, USA)
Susan Buck-Morss (Cornell University)
Tito Cardoso e Cunha (Universidade da Beira Interior, Portugal)
Todd Gitlin (Columbia University, USA)
Xosé Lópes García (Universidad Santiago de Compostela, España)

DIRECÇÃO GRÁFICA
Catarina Moura (Labcom – Universidade da Beira Interior)
Catarina Rodrigues (Labcom – Universidade da Beira Interior)
AGRADECIMENTOS
Marco Oliveira, António Tomé, Ivone Ferreira e Manuela Penafria (UBI)

© Estudos em Comunicação [Communication Studies]
LabCom – Laboratório de Comunicação e Conteúdos On-Line – www.labcom.ubi.pt
UBI – Universidade da Beira Interior http://www.ubi.pt – www.ubi.pt
Maio de 2010
ISSN: 1646-4974
Periodicidade semestral [Semestral periodicity]
Contacto dos Editores: joaocarloscorreia@ubi.pt, agradim@ubi.pt

i
i

i
i

i
i

i
i

Índice

Deliberação mediada: Uma tipologia das funções dos media para a formação do
debate público
por Francisco Paulo Jamil Almeida Marques & Edna Miola 1

Asymmetrical power in discourse: The case of ‘experts’ and ‘laypeople’ on the radio
phone-in programme Antena Aberta
por Filipa Perdigão Ribeiro 29

“Veja Só o Brasil” - a construção social da realidade em duas mil capas da Revista
Veja.
por Valquíria Michela John & Taiana Steffen Eberle 55

Multimedia, digital press and journalistic genres in Catalonia and in Spain: an em-
pirical analysis
por Joan Francesc Fondevila Gascón 81

Da Imprensa aos Media Locais Digitais: O caso do distrito de Leiria
por Pedro Jerónimo 97

Jornalismo Público como mudança no processo de produção da notícia ou simples
apelo comercial
por Emerson U. Cervi & Michele G. Massuchin & Camila W. En-
gelbrecht 125

Jornalista cidadão ou fonte de informação: estudo exploratório do papel do público
no jornalismo participativo dos grandes portais brasileiros
por Elizabeth Saad Corrêa & Francisco Madureira 157

Jornalismo em tempos de internet: sob a aparência de radical ruptura, consolida-se
um modelo
por Márcia Fantinatti 185

i

i
i

i
i

i
i

i
i

Sobre transportes e discursos coletivos: o povo e seu lugar de fala no telejornalismo
local
por Jhonatan Mata & Iluska Coutinho 205

América Latina na imprensa: uma análise a partir de textos acadêmicos brasileiros
do período 1980-2005
por Angela Zamin 219

Histórias de vida no jornalismo alternativo brasileiro
por Aline Strelow 235

Constructivism and Spin doctoring in Indian Mass Media since Globalization-Prospects
of Credible Alternative Media – An Analytical Study
por C. S. H. N. Murthy 249

ii

i
i

i
i

i
i

i
i

Deliberação mediada: Uma tipologia das funções dos
media para a formação do debate público

Francisco Paulo Jamil Almeida Marques & Edna Miola
Universidade Federal do Maranhão, Brasil

E-mail: marquesjamil@yahoo.com.br, ednamiola@yahoo.com.br

A ideia de deliberação pública vem se mostrando uma das mais proemi-nentes em Teoria Democrática nos últimos anos. Desde a confluência
entre alguns dos princípios da Filosofia de Jürgen Habermas (2003) e de John
Rawls (1999), até o lançamento das obras pioneiras para o desenvolvimento
do deliberacionismo, alega-se que o modelo discursivo se coloca como alter-
nativa voltada para lidar com os problemas teóricos e práticos não resolvidos
de forma satisfatória pelas tradições Liberal e Republicana (Benhabib, 1996;
Bohman, 1996; Gutmann e Thompson, 1996 e 2004; Dryzek, 2000). Não que
a vertente deliberativa rejeite os pressupostos destas concepções anteriores;
na verdade, os investigadores ligados ao modelo discursivo rearticulam mui-
tas das contribuições clássicas em uma tentativa de responder a reivindicações
crescentes (como maior permeabilidade à participação política da esfera civil;
transparência no trato dos assuntos públicos; administração mais adequada
dos conflitos que marcam as democracias plurais e multiculturais contempo-
râneas) que recaem sobre os processos institucionais de produção da decisão
política.

Nesse sentido, dentre as ideias primordiais do modelo deliberativo se en-
contra a defesa da discussão pública enquanto mecanismo de produção e legi-
timação das decisões políticas. Um conjunto de princípios normativos a regu-
larem o curso das discussões democráticas teria em alta conta a necessidade
de se lançar mão da ideia de razão pública na elaboração e apresentação dos
argumentos; defende-se, adicionalmente, uma consideração cuidadosa da va-
riedade de agentes, visões de mundo e interesses a caracterizar as sociedades
complexas contemporâneas.

Ora, uma das maiores dificuldades encontradas pelos teóricos vinculados
à noção de deliberação pública é, justamente, operacionalizar a existência de
ambientes que possibilitem troca de razões entre indivíduos, grupos e institui-
ções com perspectivas divergentes. Mais especificamente, como seria possível

Estudos em Comunicação nº7 - Volume 1, 1-28 Maio de 2010

i
i

i
i

i
i

i
i

2 Francisco Paulo Jamil Almeida Marques & Edna Miola

tornar os debates de questões de concernência pública cada vez mais visíveis
e, ao mesmo tempo, convidativos e aptos a receberem contribuições de fontes
distintas e plurais?

Não parece haver