Serie Resumo 1a Fase OAB Come Marcelo Hugo da Rocha

Disciplina:Livro19.595 materiais11.769 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Como se preparar para o Exame de Ordem: 8 Comercial

 GABARITO

 1. Teoria geral do direito empresarial

 		
 1 – D

 		
 2 – D

 		
 3 – D

 		
 4 – A

 		
 5 – D

 		
 6 – D

 		
 7 – B

 		
 8 – D

 		
 9 – A

 		
 10 – A

 2. Propriedade industrial

 		
 1 – C

 		
 2 – D

 		
 3 – C

 		
 4 – D

 		
 5 – A

 		
  

 3. Direito societário

 		
 1 – C

 		
 2 – A

 		
 3 – A

 		
 4 – A

 		
 5 – D

 		
 6 – A

 		
 7 – B

 		
 8 – A

 		
 9 – A

 		
 10 – C

 		
 11 – A

 		
 12 – B

 		
 13 – A

 		
 14 – C

 		
 15 – B

 		
 16 – C

 		
 17 – B

 		
 18 – B

 		
 19 – B

 		
 20 – B

 		
 21 – A

 		
 22 – D

 		
 23 – C

 		
 24 – A

 		
 25 – C

 		
 26 – B

 		
 27 – B

 		
 28 – B

 		
 29 – D

 		
 30 – C

 		
 31 – C

 		
 32 – B

 		
 33 – A

 		
 34 – D

 4. Títulos de crédito

 		
 1 – C

 		
 2 – D

 		
 3 – D

 		
 4 – B

 		
 5 – D

 		
 6 – C

 		
 7 – A

 		
 8 – D

 		
 9 – D

 		
 10 – D

 		
 11 – A

 		
 12 – D

 		
 13 – C

 		
 14 – D

 5. Direito falimentar

 		
 1 – B

 		
 2 – B

 		
 3 – A

 		
 4 – C

 		
 5 – C

 		
 6 – B

 		
 7 – C

 		
 8 – D

 		
 9 – B

 		
 10 – D

 		
 11 – B

 		
 12 – D

 		
 13 – B

 		
  

 6. Contratos mercantis

 		
 1 – A

 		
 2 – A

 		
 3 – A

 		
 4 – A

 Como se preparar para o Exame de Ordem: 8 Comercial

 NOTA DOS AUTORES

 Com a publicação do novo Provimento do Conselho Federal da OAB, n. 144/2011, algumas importantes mudanças aconteceram, dentre elas a redução de 100 para 80 questões na 1.ª Fase, a partir do IV Exame Unificado (01/2011).

 Para nossa disciplina, Direito Comercial, esta mudança foi considerável, pois, em vez de reduzir a sua incidência, aumentou para cinco questões, mais do que o dobro do Exame 02/2010, superando, inclusive, Direito Tributário em termos de importância para o examinando.

 Se antes a preferência da banca era evidente quanto ao Direito Societário, agora a distribuição dos temas ficou mais abrangente, incluindo a retomada de questões que tratam de contratos mercantis.

 Não deixamos de lado a qualidade e o comprometimento cultivados até esta edição, ao contrário, reforçamos sua preparação, atualizando o conteúdo e as questões, pois acreditamos que a sua aprovação passa pelo Direito Comercial.

 Fiquem com Deus.

 		
 Vauledir Ribeiro Santos

 		
 Marcelo Hugo da Rocha

 		
 vauledir@grupogen.com.br

 		
 mhdarocha@gmail.com

 Como se preparar para o Exame de Ordem: 8 Comercial

 DIREITO SOCIETÁRIO

 3.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE O DIREITO SOCIETÁRIO

 O vigente Código Civil (Lei 10.406/2002), que passou a produzir efeitos a partir de 11 de janeiro de 2003, trata, na Parte Especial, em seu Livro II (arts. 966 a 1.195), do direito de empresa, no qual dispõe sobre a caracterização e a inscrição do empresário, a empresa individual de responsabilidade limitada, as sociedades de forma geral, o estabelecimento e os chamados institutos complementares (registro, nome empresarial, prepostos e escrituração). O novo diploma legal revogou a Parte Primeira do Código Comercial e manteve a vigência da Parte Segunda referente ao Comércio Marítimo.

 3.1.1 Sociedade (arts. 981 a 985, CC)

 Formam uma sociedade as pessoas que contratam uma obrigação recíproca, repartindo entre si os resultados, ainda que essa atividade seja restrita à realização de um ou mais negócios determinados (art. 981 do CC). Somente a inscrição no registro próprio, conforme a lei, concederá personalidade jurídica à sociedade (art. 985 do CC).

 3.1.2 Distinção entre empresa e sociedade

 A sociedade é o sujeito de direito; a empresa, o objeto de direito. Com efeito, a sociedade empresarial, desde que esteja regularmente constituída, adquire categoria de pessoa jurídica, tornando-se, assim, sujeito de direitos e obrigações. A sociedade empresarial é, logo, empresária, e jamais empresa. É a sociedade, como empresária, que irá exercer a atividade produtiva. A empresa é a própria atividade.

 Ademais, pode existir sociedade sem a existência da empresa. É o caso de duas pessoas que têm a intenção de formar uma sociedade; elas formam o contrato, o registram na junta comercial, porém, enquanto continuar inativo, não existe a empresa, mas tão somente a sociedade.

 E, como afirma Arnaldo Rizzardo, o conteúdo da palavra empresa corresponde ao elemento de produção econômica organizada e, quando esta produção se dá por uma sociedade, tem-se a sociedade empresária; as demais sociedades que não visam à atividade econômica organizada enquadram-se como sociedade simples.1

 3.1.3 Sociedades empresárias e sociedades