A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
55 pág.
FUND. TRIBUTOS(COMPLETOS)

Pré-visualização | Página 7 de 16

no momento em que é criada a lei tributária pela pessoa política competente;
	
	quando é realizada a prática do fato gerador pelo sujeito ativo;
	
Explicação:
Assim que verificada no mundo dos fatos a situação definida em lei como hipótese de incidência tributária, nasce a obrigação tributária, que é um vínculo jurídico entre credor e devedor tendo por objeto uma prestação em dinheiro nos moldes do art. 3º do CTN.
	
	
	 
	
	 4a Questão
	
	
	
	
	A cobrança do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) depende de lei:
		
	
	imposto predial e territorial urbano.
	 
	(a) exclusivamente municipal, observadas as regras do Código Tributário Nacional.
	
	(c) relativamente municipal, observadas as regras do Código Tributário Municipal.
	
	(d) relativamente federal, observadas as regras do Código Tributário Nacional.
	
	(b) exclusivamente federal, observadas as regras do Código Tributário Nacional.
	
	
	 
	
	 5a Questão
	
	
	
	
	Acerca do previsto na legislação tributária, após analisar as assertivas abaixo e marque a alternativa INCORRETA:
		
	
	Já nos casos de sanções tributárias o CTN em seu Artigo 106, II, "c", manda aplicar retroativamente a lei nova, quando mais favorável ao acusado do que a lei vigente à época da ocorrência do fato, prevalece assim, a lei mais branda. É a chamada retroatividade benigna em matéria de infrações.
	
	Eficácia social ou efetividade: é a repercussão dos efeitos normativos ocorridos no mundo real, na ordem dos fatos sociais, por força da incidência que produz efeito na realidade.
	 
	A legislação tributária não prevê nenhuma das hipóteses acima.
	 
	No Direito Tributário, em nenhuma hipótese se admite a retroatividade da lei, frente ao Princípio da Irretroatividade Tributária.
	
	Vigência ou eficácia jurídica: é qualidade da regra jurídica (que existe é válida ou inválida) e que está apta a produzir efeitos jurídicos, isto é, incidir/juridicizar o fato ocorrido no mundo real que anteriormente foi previsto em abstrato.
	
Explicação:
Item D - 
Explicação: 
Princípio da Irretroatividade
Oliveria novamente enfatiza que:
Em matéria tributária, o princípio da irretroatividade tributária está contemplado no art. 150, III, ¿a¿ da Constituição Federal, que veda a cobrança de tributos ¿em relação a fatos geradores ocorridos antes do início da vigência da lei que os houver instituído ou aumentado¿. O Código Tributário Nacional consignou este princípio ao dispor em seu art. 105 que ¿a legislação tributária aplica-se aos fatos geradores futuros e aos pendentes¿, implicitamente exclui da aplicação os fatos geradores passados.
Neste sentido, este princípio significa que a lei tributária não se aplica a fatos pretéritos, mas há duas exceções:
A ¿ Quando for interpretativa;
B ¿ Quando for mais benéfica em matéria de infração.
	
	
	 
	
	 6a Questão
	
	
	
	
	Quanto às regras de direito tributário, não representa matéria reservada à lei complementar:
		
	
	Deve ser instituída por meio de lei complementar a contribuição social que tenha por base de cálculo os valores pagos a trabalhadores autônomos.
	
	(a) empréstimos compulsórios
	 
	(d) criação de novos impostos, não regulamentados pela Constituição Federal
	
	(b) contribuições de melhoria
	 
	(c) definições de fatos geradores e bases de cálculo.
	
	
	 
	
	 7a Questão
	
	
	
	
	Assinale a alternativa correta no que se refere ao sujeito passivo da obrigação tributária.
		
	
	Somente o tutores respondem pelos tributos devidos por menores.
	
	Os pais são unicamente responsáveis pelos tributos devidos por seus filhos menores.
	
	A faculdade de escolha do domicílio tributário não pode sofrer restrições impostas pela autoridade administrativa.
	
	A obrigação principal desobriga o sujeito passivo do pagamento relativo a tributos.
	 
	Em se tratando de obrigação acessória, o sujeito passivo pode ser tanto o contribuinte quanto uma pessoa responsável que não tenha relação direta com o fato gerador da obrigação principal.
	
Explicação:
O Sujeito Passivo, que é a pessoa obrigada ao pagamento de tributo ou multa. Tal pessoa pode ser contribuinte ou o responsável. O Contribuinte é obrigado em uma relação contributiva instituída por lei, devendo pagar tributos. O responsável é obrigado em uma relação de colaboração com a Administração para simplificar, facilitar ou garantir a arrecadação do tributo.
	
	
	 
	
	 8a Questão
	
	
	
	
	Considerando as definições correspondentes à obrigação tributária: I. A obrigação de pagar ISS (imposto sobre serviço) é tipo de obrigação principal. II. A obrigação de emitir nota fiscal de serviço em operações tributáveis é tipo de obrigação principal. III. Tanto o ISS (imposto sobre serviço) quanto a emissão de nota fiscal de serviço em operações tributáveis são exemplos de obrigação acessória. Assinale a alternativa que indique todas as afirmativas corretas.
		
	
	Somente a afirmativa II está correta.
	
	Somente a afirmativa III é a correta.
	 
	Somente a afirmativa I está correta.
	
	Somente as afirmativas II e III estão corretas.
	 
	As afirmativas I, II e III estão corretas.
	
Explicação:
A obrigação é principal quando o contribuinte tem por prestação (por dever) o pagamento de tributo ou penalidade pecuniária (multa em dinheiro). A obrigação tributária principal surge com a ocorrência do fato gerador e extingue-se juntamente com o crédito tributário dela decorrente (artigo 113, § 1, do CTN).
A obrigação é acessória quando, por força de lei, a prestação a ser cumprida é a de fazer ou não fazer alguma coisa, ou permitir que ela seja feita pelo Fisco, tudo no interesse da arrecadação ou da fiscalização dos tributos (artigo 113, § 2, do CTN).
	
	
	
	
	 1a Questão
	
	
	
	
	O sujeito passivo da relação tributária é:
		
	 
	o contribuinte ou o responsável
	
	somente o contribuinte
	
	somente o responsável
	
	nunca o responsável
	
	somente quem praticou o fato gerador
	
Explicação:
Item B.
Explicação: A regra-matriz é a representação de uma norma de conduta que leva o contribuinte a entregar dinheiro ao Estado, então podemos concluir que o contribuinte só entrega o dinheiro ao Estado se tiver um motivo. Os motivos da entrega estão descritos nos critérios apontados na regra-matriz de incidência, por isso nenhum tributo poderá ser cobrado sem a composição de todos os elementos dispostos na regra-matriz de incidência tributária.
É a ocorrência conjunta destes elementos que dará ensejo ao nascimento da obrigação tributária. A partir desse momento, ou seja, quando ocorre a ação descrita no critério material da regra-matriz, é que surgirá a conduta obrigatória a ser cumprida pelo sujeito passivo, em benefício do sujeito ativo fazendo nascer a relação jurídica tributária e desta surge a obrigação tributária do sujeito passivo de pagar ao sujeito ativo uma prestação em dinheiro.
Mas junto ao estudo devemos também entender quem é o sujeito ativo e quem é o sujeito passivo, quais são suas responsabilidades e por que fazem parte principal da relação da obrigação tributária.
	
	
	 
	
	 2a Questão
	
	
	
	
	(FCC/2011) Em nosso sistema tributário, a diferença entre o contribuinte e o responsável tributário é que
		
	 
	somente o contribuinte pode impugnar a constituição do crédito tributário, mediante oferecimento de defesa fiscal.  
	
	aquele responde pelos impostos e estes pelas taxas regularmente instituídas.
	
	este último é sempre uma pessoa física.
	 
	enquanto o contribuinte realiza o fato gerador, a responsabilidade deste último deriva exclusivamente da lei.
	
	este último somente