A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
TESTES DE VESTIBULAR HISTORIA

Pré-visualização | Página 31 de 50

a que,
pela sua figura e construção, chamam rosário...
IV. ...o conde enriqueceu e ornou com edifícios vilas e cidades. Construiu pontes e palá-
cios para utilidade e beleza. Erigiu, em parte por sua munificência, um templo para a
piedade e para o serviço divino. Teve consigo e favoreceu, na paz e na guerra, os mais
eminentes artistas (...) para que eles mostrassem, vencidos, (...) os lugares, as terras e
as cidades que ele próprio vencesse.
Os trechos I, II, III e IV fazem referência, respectivamente,
a) à ação dos quilombolas, aos motins coloniais, às atividades agrícolas indígenas e à
construção da cidade de Salvador;
b) à pecuária, ao batuque dos negros, à arte naval portuguesa e à transferência da Corte
portuguesa para o Rio de Janeiro;
c) ao bandeirantismo, aos engenhos de açúcar, às técnicas de mineração e à presença
holandesa no nordeste açucareiro;
d) ao tráfico negreiro, aos rituais indígenas, às moendas de açúcar e à urbanização das
vilas das Minas Gerais.
20. U.E. Maringá-PR Sobre a atuação da Igreja durante o período colonial da história do
Brasil, assinale o que for correto.
01. O padroado, ou seja, o direito de receber os dízimos devidos à Igreja, a obrigação de
pagar os salários e nomear os prelados, havia sido concedido pelo Papa aos reis de
Portugal. Essa concessão tornava o rei o patrono das missões e demais instituições
da Igreja e estabelecia uma estreita vinculação entre o poder espiritual e o poder
secular no Brasil colonial.
02. Embora os portugueses tenham realizado as “grandes navegações” em busca de ri-
quezas, o ideal da cruzada também estava presente nos homens que cruzavam o
Oceano. Assim sendo, a expansão da fé caminhava junto com a busca de riquezas.
04. Os primeiros jesuítas, membros da principal ordem religiosa que participou da coloni-
zação, chegaram ao Brasil já no século XVI (1549), junto com o Governador Geral.
08. Os interesses dos jesuítas que organizaram as missões se chocavam com as preten-
sões dos colonizadores europeus. As disputas entre jesuítas e colonos pelo controle
dos índios “pacificados” se estenderam até a expulsão dos membros da Companhia
de Jesus dos territórios portugueses em 1759.
16. Além da conversão e do pastoreio das almas, a Igreja realizava o registro civil e era
responsável por momentos de diversão da população, pois a vida social da Colônia
girava em torno das festividades religiosas.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
21. U.Federal de São Carlos-SP Sobre a economia e a sociedade do Brasil no período
colonial, é correto relacionar
a) economia diversificada de subsistência, grande propriedade agrícola e mão-de-obra livre.
b) produção para o mercado interno, policultura e exploração da mão-de-obra indígena
no litoral.
c) capitalismo industrial, exportação de matérias-primas e exploração do trabalho escra-
vo temporário.
d) produção de manufaturados, pequenas unidades agrícolas e exploração do trabalho servil.
e) capitalismo comercial, latifúndio monocultor exportador e exploração da mão-de-obra
escrava.
HISTÓRIA - A primeira etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
8
22. Unifor-CE Observe com atenção as figuras.
FIGURA 1 - Desenho de De Bry, séc XVI FIGURA 2 - Usina de Álcool São Martinho Estado de São Paulo
As figuras permitem afirmar que:
a) os engenhos e as usinas consistem em um conjunto de construções interligadas, repre-
sentadas pela casa-grande, capela e casa de purgar.
b) a existência de ampla oferta de terras, no nordeste brasileiro, estimulou a econo-
mia açucareira e a organização da pequena propriedade rural baseada no trabalho
assalariado.
c) desde o período colonial a economia canavieira desempenha papel importante na eco-
nomia brasileira. No início, para adoçar a boca dos europeus, no século XX para
abastecer de combustível a indústria automobilística.
d) desde o período colonial a economia canavieira passou por um processo de desatuali-
zação tecnológica que acabou transformando o engenho do século XVI e a usina de
álcool do século XX numa atividade agroindustrial arcaica.
e) as usinas de álcool e os engenhos de açúcar se caracterizam pela utilização de uma
tecnologia avançada que, desde o início, combina terra, técnica e trabalho compul-
sório.
23. UNICAMP-SP Uma jogadora de vôlei do Brasil nas Olimpíadas de Sidney fez esta
declaração à imprensa: “Agora vamos pegar as cubanas, aquelas negas, e vamos ganhar
delas” (O Estado de S. Paulo, 27/09/2000). Ainda segundo o jornal: “A coordenadora do
Programa dos Direitos Humanos do Instituto da Mulher Negra classifica as palavras da
atacante como preconceituosas e alerta as autoridades para erradicarem esse tipo de com-
portamento, combatendo o racismo”.
a) Compare os processos de colonização ocorridos em Cuba e no Brasil, apontando suas
semelhanças.
b) Qual a atividade econômica predominante em Cuba e no Nordeste brasileiro durante
a colonização e suas relações com o comércio internacional?
c) Qual a condição social dos negros no Brasil depois do fim da escravidão?
24. UFRN Sobre as Capitanias Hereditárias, sistema administrativo adotado no Brasil por
iniciativa de D. João III, é correto afirmar:
a) O sistema já fora experimentado, com êxito, pelos portugueses em suas possessões
nas ilhas atlânticas e marcou o início efetivo da colonização lusa no Brasil.
b) Os donatários tornavam-se proprietários das capitanias através da Carta de Doação, a
qual lhes dava o direito de vendê-las, de acordo com seus interesses.
c) A maioria dos donatários era representante da grande nobreza de Portugal e demons-
trava forte interesse pelo sistema de capitanias.
d) O fracasso do sistema é associado às lutas ocorridas na disputa pelas terras e aos
conflitos com estrangeiros que freqüentavam as costas brasileiras.
HISTÓRIA - A primeira etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
9
25. UFMG Leia este trecho de documento:
“Mando que todos e quaisquer naturais ou moradores dos meus reinos e domínios de qualquer
estado, sexo ou condição que seja que (na boa fé de que se trata somente de espiritualidade) se
acharem ou incorporados na dita companhia chamada de Jesus ou nela professar ou associar a
alguma confraria que haja sido estabelecida debaixo da direção da mesma companhia, sejam
obrigados debaixo de penas a se manifestarem aos juízes e magistrados, depois dos quais serão as
penas irremissivelmente neles executadas.”
Palácio de Nossa Senhora D’Ajuda, 28 de agosto de 1767.
Esse trecho faz referência à conjuntura da:
a) expulsão dos jesuítas das colônias portuguesas, em razão da política do Reino de
reafirmar a subordinação da Igreja ao Estado;
b) guerra entre Portugal e França, devido ao avanço das idéias defendidas pelos hugue-
notes nos reinos portugueses;
c) proibição da presença de ordens religiosas regulares nos países ibéricos, determinada
pela bula papal Animarum Saluti;
d) visitação do Santo Ofício aos domínios ultramarinos de Portugal, em busca de here-
ges, integrantes de confrarias e irmandades.
26. UFSC A lavoura da cana-de-açúcar tornou-se, no século XVII, a base da economia
brasileira. Sobre a lavoura canavieira e suas conseqüências, é verdadeiro:
01. O engenho era a unidade de produção. Compreendia, além das instalações usadas
para produzir açúcar, a casa-grande, a capela e a senzala.
02. A mão-de-obra predominante era a do trabalhador escravo. Este, reduzido à condi-
ção de coisa, era tratado e marcado com fogo como animal. Podia ser vendido ou
castigado.
04. A sociedade que se organizou, na época de apogeu do cultivo da cana-de-açúcar,
possuía um caráter aristocrático. Embora fosse grande a mobilidade social, era mui-
to difícil para um escravo tornar-se trabalhador livre e este transformar-se em senhor
de engenho.
08. A família, que se formou nesta época,