A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
Anticoncepcionais

Pré-visualização | Página 1 de 1

1
Anticoncepcionais (contraceptivos) combinados:
estrógeno + progestágeno
Epidemiologia:
uso clínico subestimado devido à venda sem prescrição
médica
Anticoncepcionais Hormonais
2
Primeiras formulações:
150 µg mestranol e 9,85 mg noretinodrel (1960)
Anticoncepcionais Hormonais
3
Primeiras formulações:
150 µg mestranol e 9,85 mg noretinodrel (1960)
Formulações atuais:
20-35 µg etinilestradiol + progestagênio
Contraceptivo oral a base de progestagênio: “minipílula”
Anticoncepcionais Hormonais
4
Síntese do estrogênio e receptores: ERα e ERβ
Receptores de progesterona: PR-A e PR-B
Receptor Progesterona (PR) Receptor Estrogênio (ER)
6
Eixo neuroendócrino
GnRH
- inibina
Activina A
(fase pré-ovulação)
+
7
Eixo neuroendócrino
Inibina B:  FSH
Activina A:  FSH (fase pré-ovulação)
E: síntese de receptores de progesterona
*
*
diferenciação
mitose
8
Mecanismo de ação dos 
Anticoncepcionais combinados
Falha em caso de uso correto: 0.3% (8%)
Locais de ação: 
hipotálamo e hipófise (E/P)
Sistema reprodutor (P)
 Ações:
Diminuição dos pulsos de GnRH (P)
Diminuição da liberação de LH (frequência); não há pico LH no meio do ciclo
Inibição da liberação de FSH (amplitude)
9
Mecanismo de ação da “minipílula”
na lactação: ação potencializada pela prolactina; > 40 anos
falha com uso correto: 0.5% ; depósito IM: 0.3%
(?; uso contínuo)
Espessamento do muco cervical
 viabilidade e função sptz
Inibe implantação do blastocisto
Lentifica transporte tubário
10
Receptores de estrogênio (ERs): agonistas
fitoestrógeno
pesticida
etinilestradiol
11
Receptores de estrogênio (ERs): 
fatores de transcrição estrogênio-dependentes
Ações genômicas (ERE)
ERs: 44% homologia; na ausência
de E forma monomérica
Alfa
(útero, vagina, ovário, mama, ossos, 
endotélio, câncer de mama)
Beta (próstata, ovário, vasos)
Ações não-genômicas (GPCR30?)
ativação
Dimerização
e ativação 
fatores de transcrição
Ligação ao DNA
Regulação de expressão
gênica
EREs
elementos responsivos ao estrogênio
12
Ações dos “estrógenos”
Cardiovascular ( fatores da coagulação: II, VII, IX, X e XII)
Mama 
Osso ( apoptose de osteoclastos, ativação osteoblástica,  colágeno, 
osteocalcina,  apoptose dos osteócitos)
Fígado: metabolismo de lipoproteínas
Metabolismo lipídico ( LDL, LPA, HDL e TAG)
Alteração da secreção biliar (favorece cálculos)
Eixo neuro-endócrino () e sistema reprodutor (trófica)
13
Ações da “progesterona” 
Humor ()
Metabolismo lipídico (LDL; 19-norprogestágenos) e glicemia ( )
Aumentam vias pró-coagulantes em diferentes graus
Mama (efeito pró-mitótico do epitélio glândula mamária)
Eixo neuro-endócrino ()
Sistema reprodutor ( secreção, antagoniza as ações
tróficas do estrogênio no endométrio)
14
•Agonistas: 
estradiol: efeito de 1a passagem; 
Etinil-estradiol (C17):  efeito de 1a passagem;
Estrógenos conjugados; 
•Moduladores seletivos de ER:
ações específicas em diferentes tecidos
Agonistas parciais que reduzem atividade “fator de transcrição”: tamoxifeno
• ER downregulators:
Fulvestranto
Receptores de estrogênio (ERs): agonistas
U
tiliz
a
d
o
s
 n
o
 C
A
 m
a
m
a
 E
+
15
Progesterona:
Efeito 1a passagem 
Pregnanas (~progesterona; baixa biodisponibilidade oral -> injetável)
Estranas: 1ª geração
Gonanas: 2ª e 3ª gerações
21C
PS: ciproterona (pregnana; anti-androgênico; toxicidade hepática)
16
gestodeno
19-nortestosterona
norgestrel norgestimato
noretindrona
vs. receptor androgênico; 1ª geração
2ª geração 3ª geração
Pregnanas (~progesterona)
Estranas: 1ª geração
Gonanas: 2ª e 3ª gerações
19C
C19 + etil Norelgestromin -> metabolizado a norgestimato
17
vs. mineralocorticóide, 
androgênio
drospirenona
(análogo da espironolactona); ~4ª geração
Risco de hipercalemia
18
Evolução (geração) das formulações:
1a geração: 150 g de estrogênio (+ componente progestagênico)
2a geração: 35-50 g etinilestradiol (+ componente progestagênico 1ª geração; 
Ex: levonorgestrel, noretisterona)
SUS. Pacientes que necessitem de maior dosagem.
3a geração: 20-30 g etinilestradiol
+ progestágeno de 2ª e 3ª geração sem atividade androgênica
ex: gestodeno, desogestrel, norgestimato
(FDA: risco acidente vascular com alguns fármacos. Ex: gestodeno) 
4ª geração: 30 g etinilestradiol + progestágeno
ex: drospirerona (4a geração; análogo da espironolactona; custo maior)
(FDA: risco de tromboembolismo)
pode ter formulações com 28 comprimidos quando a dose do progestágeno for
muito pequena (~0.09 mg)
19
Formulações “COC”
monofásica
bifásica
trifásica
E
P
E
P
E
P
E=estrógeno; P=progestágeno
20
Formulações a base de progestagênio
exemplos:
Levonorgestrel 30 µg
Noretisterona 35 µg
Desogestrel 75 µg (metabólito ativo: etonogestrel)
Uso contínuo
21
22
Anticoncepcionais (contraceptivos) combinados:
Oral (cartelas 21, 24 ou 28 comprimidos com fármacos, com 
ou sem placebo)
Injetável
adesivo transdérmico
Anel vaginal (etonogestrel +
etinilestradiol)
ex: trifásica (21 pil + 7 pil placebo)
Não pode trocar comprimido.
Principals formulações contraceptivos hormonais 
23
Contraceptivo a base de progestagênio: 
uso contínuo oral: minipílula
injetável (mensal, trimestral)
DIU (endoceptivo)
implante hormonal
(ex: 68 mg etonogestrel; 3 anos*)
Hyalutin®
Depo-provera ®
Formulações contraceptivos hormonais 
*A taxa de liberação é de 60-70 mcg/dia na 5ª-6ª semana e reduz a cerca de 35-45 mcg/dia no final do primeiro ano;
aproximadamente 30-40 mcg/dia no final do segundo ano e aproximadamente 25-30 mcg/dia no final do terceiro ano.
24
Indicações clínicas dos contraceptivos hormonais:
Contracepção
Contracepção de emergência (levonorgestrel; associado à
antiemético).
Uso sob critério médico*
*Eficácia 95%: 1º comprimido até 18 h; 2º comprimido até 30 h
Após 72 h: sem eficácia
25
Indicações clínicas dos contraceptivos hormonais:
Acne
Dismenorréia
Endometriose
Ovário policístico
Reposição hormonal e osteoporose (menor dosagem)
26
Efeitos adversos: potencializados pelo tabagismo
Leves: náuseas, cefaléia, edema;
Moderados: aumento da glicemia e LDL, hirsutismo, amenorréia;
Graves: cardiovascular: tromboembolismo (importante: pílula 3ª
geração com gestodeno ou desogestrel), infarto do miocárdio, acidente
vascular cerebral;
icterícia colestática; depressão;
carcinoma hepático e outras neoplasias estrogênio-dependentes
(ex: mama)
27
Contra-indicações:
associação ao tabagismo,
gravidez, lactação (COC),
tromboflebite, distúrbios tromboembólicos,
hipertensão arterial,
câncer de mama e neoplasias estrogênio-dependentes,
diabetes, hiperlipidemia, depressão
28
Lancet 2003, 362: 419-427.
ANEXO I