LIVRO   UNIDADE II – ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS
25 pág.

LIVRO UNIDADE II – ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS


DisciplinaAdministração Geral e Estrutura Organizacional22 materiais157 seguidores
Pré-visualização7 páginas
1
Re
vi
sã
o:
 C
ar
la
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: M
ár
ci
o 
- 
11
/0
1/
20
13
ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS
Unidade II
3 A ORGANIZAÇÃO COMO FUNÇÃO ADMINISTRATIVA
No capítulo anterior abordamos a organização enquanto entidade social. Neste, trabalharemos 
com o termo significando uma das funções administrativas, ou seja, uma das funções do próprio 
administrador. Para que não fique nenhuma dúvida sobre o assunto, antes de entrarmos no tema 
propriamente dito, faremos uma breve revisão sobre os conceitos de administração e de processo 
administrativo.
3.1 Conceitos básicos: a administração e o processo administrativo
Apesar de a administração ter passado a ser considerada como uma área do conhecimento somente 
a partir do início do século XX, sua origem se perde na Antiguidade, uma vez que está associada ao 
processo de tomada de decisões envolvendo recursos e objetivos (MAXIMIANO, 2007). Essa atividade 
esteve presente desde os primeiros agrupamentos humanos que resultaram da revolução agrícola 
(MAXIMIANO, 2006), quando nossos ancestrais começaram a abandonar o caráter nômade e passaram 
a se fixar em áreas definidas.
Encontramos na literatura um sem\u2011número de definições para a palavra administração, mas na 
maior parte das vezes o sentido básico é bastante similar. Assim, considerando os aspectos formais 
e de conveniência para este livro\u2011texto, destacamos a definição dada por Griffin (2007, p. 26) para 
o termo:
A administração é um conjunto de atividades (entre elas, planejamento 
e tomada de decisão, organização, liderança e controle) direcionadas à 
utilização dos recursos (humanos, financeiros, materiais e de informação) de 
uma empresa para que ela atinja seus objetivos de modo eficiente e efetivo.
 Lembrete
Eficiência é fazer bem e corretamente. Relaciona\u2011se com os meios.
Eficácia é atingir os objetivos e resultados desejados. Relaciona\u2011se com 
os fins.
Excelência é quando se obtêm eficiência e eficácia simultaneamente.
Fonte: Chiavenato (2009)
2
Unidade II
Re
vi
sã
o:
 C
ar
la
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: M
ár
ci
o 
- 
11
/0
1/
20
13
Com relação ao ato de administrar, Henri Fayol descreveu\u2011o, no início do século XX, como um 
processo dinâmico, composto de cinco funções interligadas e interdependentes: prever, organizar, 
comandar, coordenar e controlar (SOBRAL; PECI, 2008). Passados praticamente cem anos, não 
observamos alterações substanciais nessa proposição original. A função Previsão transformou\u2011se em 
Planejamento; Organização e Controle mantiveram as mesmas denominações; Comando e Coordenação 
foram agrupados como Liderança, mais afeita à abordagem atual de gestão de pessoas.
As funções do administrador segundo Fayol
1. Previsão \u2013 Avalia o futuro e o aprovisionamento de recursos em função dele.
2. Organização \u2013 Proporciona tudo o que é útil ao funcionamento da empresa e pode 
ser dividida em organização material e organização social.
3. Comando \u2013 Leva a organização a funcionar. Seu objetivo é alcançar o máximo 
retorno de todos os empregados tendo em vista os interesses globais do negócio.
4. Coordenação \u2013 Harmoniza todas as atividades do negócio, facilitando seu trabalho e 
sucesso. Sincroniza coisas e ações em proporções certas e adapta meios aos fins visados.
5. Controle \u2013 Consiste na verificação para certificar se tudo ocorre em conformidade 
com o plano adotado, as instruções transmitidas e os princípios estabelecidos. 
O objetivo é localizar as fraquezas e erros no intuito de retificá\u2011los e prevenir a 
recorrência.
Fonte: Chiavenato (2003)
Alguns pesquisadores consideram outras funções adicionais, como Recrutamento e Seleção, 
Comunicação ou Tomada de Decisão (Daft, 2007), mas que em essência podem ser considerados como 
parte das outras funções.
Embora apresentadas separadamente, as funções administrativas estão diretamente relacionadas e 
apresentam uma forte interdependência. Esquematicamente, a figura 15 mostra essa condição:
Dirigir
ControlarObjetivos Organizar Resultados
Planejar
Recursos
Figura 15 \u2013 O processo administrativo atual
3
Re
vi
sã
o:
 C
ar
la
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: M
ár
ci
o 
- 
11
/0
1/
20
13
ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS
A seguir, apresentamos resumidamente as quatro funções administrativas:
Planejamento
Define aonde a organização quer chegar no futuro e a forma como ela pretende atingi\u2011lo. É o 
início do processo, definindo os objetivos e decidindo sobre os recursos e as ações necessárias. Através 
dele, a gestão da organização pode ser direcionada, reduzindo\u2011se a ocorrência de improvisos e 
surpresas. Segundo Daft (2007, p.5), \u201cPlanejamento significa a definição de metas para o desempenho 
organizacional futuro e a decisão sobre as tarefas e o uso dos recursos necessários para alcançá\u2011las\u201d.
Fixar metas
Desenvolver 
planos de ação 
eficazes
Criar um 
compromisso
Acompanhar o 
cumprimento das 
metas
Manter 
flexibilidade
Revisão de planos existentes ou 
início de novo processo
Figura 16 \u2013 Como criar um plano que produza resultados 
Organização
A tarefa de organizar visa atender ao que foi proposto no planejamento, através da atribuição e 
agrupamento de tarefas e a alocação dos recursos necessários. Tem como resultado a estruturação 
organizacional, dividindo e distribuindo o trabalho a ser realizado, estabelecendo as relações de 
autoridade e alocando os recursos entre todas as partes da organização, a fim que se possam atingir os 
objetivos estabelecidos.
Esta função é a base desta disciplina e será vista com mais detalhes.
Liderança
Liderança é implantar tudo aquilo que foi anteriormente planejado e organizado, procurando fazê\u2011lo 
a partir da influência e motivação e não com o uso da autoridade. Para Daft (2007, p. 7), \u201cproporcionar 
liderança significa ajudar outras pessoas a serem e fazerem o melhor para a organização\u201d.
4
Unidade II
Re
vi
sã
o:
 C
ar
la
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: M
ár
ci
o 
- 
11
/0
1/
20
13
O estilo de liderança dos executivos brasileiros
Uma pesquisa realizada pelo Hay Group com altos dirigentes brasileiros buscou identificar os 
principais estilos de liderança adotados pelos executivos brasileiros, comparando o ponto de vista 
dos empregados com o dos próprios executivos. Seis estilos de liderança foram medidos: coercitivo 
(exige submissão imediata), dirigente (mobiliza as pessoas rumo a uma visão), afetivo (cria 
harmonia e constrói laços emocionais), democrático (busca consenso pela participação), modelador 
(estabelece altos padrões de desempenho) e treinador (desenvolve pessoas para o futuro).
O estilo democrático foi considerado o estilo dominante, tanto pelos executivos (75%) 
quanto por suas equipes (71%). Porém a pesquisa mostra que os executivos brasileiros fazem 
uso, em maior ou menor grau, de todos os estilos. (...) De forma geral, a pesquisa conclui que 
os executivos brasileiros apresentam estilos gerenciais compatíveis com os executivos das 
melhores empresas do mundo.
Fonte: Adaptado de Sobral; Peci, 2008.
Controle
Por fim, a função controle, que envolve acompanhar, monitorar e avaliar o desempenho geral 
da organização, corrigindo os rumos quando necessário, de forma a mantê\u2011la na direção planejada. 
Atualmente, o uso da Tecnologia da Informação proporciona uma ferramenta adicional fundamental, 
pois o uso de sistemas cada vez mais integrados e direcionados à obtenção de dados em tempo real faz 
com que muitas das decisões administrativas ganhem qualidade e agilidade.
Monitorar as 
atividades
Corrigir os 
desvios
Monitoramento das 
atividades, de forma 
a garantir que sejam 
realizadas conforme 
planejado
Tomada de medidas 
corretivas sempre que 
se verificarem desvios 
significativos
Controle