A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
GD histologia endocrina

Pré-visualização | Página 1 de 1

GD - HISTOLOGIA DO TECIDO ENDÓCRINO
HORMÔNIOS
Produzidos por células endócrinas que podem estar organizadas em glândulas endócrinas ou permanecerem isolados. 
As células-alvo possuem receptores de superfície -> especificidade e eficácia de atuação do hormônio com uma pequena concentração deste.
O controle de secreção de hormônios é feita pelo mecanismo de feedback negativo.
Tipos de hormônio
Parácrinos: Ação em uma curta distância do local onde o hormônio foi produzido. Ex.: Gastrina produzida pelas células G do piloro.
Justácrinos: O hormônio difunde-se pela matriz e atua em células situadas a uma distância muito curta de onde foram liberadas. Ex.: Somatostatina produzida pelas células D das ilhotas pancreáticas.
Autócrinos: As células produzem moléculas que agem nelas próprias ou em células do mesmo tipo. Ex.: IGF produzido por vários tipos celulares.
HIPÓFISE
Classificação: Neurohipófise e Adenohipófise.
Cápsula: Revestida de tecido conjuntivo. Sustenta as células secretoras. 
Se liga ao hipotálamo por meio de um pedículo.
Hormônios produzidos pelos neurônios dos núcleos paraventricular (ocitocina) e supraóptico (vasopressina) no hipotálamo se acumulam nas terminações nervosas situadas na pars nervosa da hipófise posterior (neurohipófise);
Hormônios produzidos pelos neurônios dos núcleos dorsomediano, dorsoventral e infundibular no hipotálamo são armazenados nas terminações nervosas da pars distalis e são responsáveis pela produção de hormônios ou da inibição da produção pela adenohipófise. 
ADENOHIPÓFISE
Porção mais anterior. Os hormônios liberados são produzidos em picos, na pars distalis. A pars tuberalis cerca o infundíbulo da neurohipófise, e a pars intermedia é a região dorsal da bolsa de Rathke.
- As células cromófobas não se coram e aparecem em grupos.
- As células cromófilas se coram, e se dividem em acidófilas (células grandes, poliédricas e com citoplasma corado em vermelho), como Somatotrofos (GH) e Lactotrofas (Prolactina). Já as células basófilas (células poliédricas, com citoplasma corada em azul) se dividem em Gonadotrofas (LH e FSH), Tireotroficas (TSH) e Corticotroficas (ACTH).
NEUROHIPÓFISE
Porção basófila, mais posterior. Células pituitárias: núcleos ovoides, grandes e vesiculosos, corados em vermelho. 
Os hormônios liberados são produzidos pelo hipotálamo e apenas armazenados em suas extremidades.
ADRENAIS
CÓRTEX DA ADRENAL
Zona glomerulosa (15%): Abaixo da cápsula de tecido conjuntivo. Composta por células piramidais ou colunares, organizadas em cordões que tem forma de arcos envolvidos por capilares sanguíneos. Sofre ação da angiotensina II. Secreta aldosterona que possui como função o estímulo da reabsorção de sódio nos túbulos distais dos rins, aumento a volemia e a pressão arterial.
Zona fasciculada (65%): arranjo das células em cordões entremeados por capilares dispostos perpendicularmente à superfície do órgão. Células poliédricas com grande número de gotículas lipídicas no citoplasma, núcleo central, arredondado e vesiculoso, extremamente organizada. Sofre ação do ACTH. Secreta cortisol, que é um glicocorticoide que regula o metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas, além de possuir ação imunossupressora e anti-inflamatória. Também secreta pouca quantidade de andrógenos.
Zona reticulosa (7%): células menores, citoplasma mais corado e acidófilo, dispostas em cordões irregulares. Secreta muita quantidade de andrógenos e pouca quantidade de cortisol. Sofre ação do ATCH.
MEDULA ADRENAL
Células grandes, poliédricas, com núcleos vesiculosos, organizadas em cordões ou aglomerados. Há também fibras reticulares e uma rede abundante de ´vasos sanguíneos. Células contêm grânulos de catecolaminas. Há produção de adrenalina (grânulos maiores e mais densos – 20%) e epinefrina (grânulos menores e menos densos – 80%).
ILHOTAS DE LANGERHANS
São grupos arredondados de células endócrinas, incrustados no tecido pancreático exócrino. 
Células acidófilas (células alfa) -> produção de glucagon: hormônio hiperglicemiante.
Células basófilas (células beta) -> produção de insulina: hormônio hipoglicemiante.
Células D: produção de somatostatina -> controle justácrino da secreção de insulina e de glucagon. 
TIREÓIDE
Epitélio simples pavimentoso, cúbico ou cilíndrico. Quando em atividade, possui o epitélio cilíndrico.
Ela produz e armazena o seu produto de secreção. Função: sintetizar os hormônios tri-iodotirosina (T3 – exerce sua ação mais rapidamente, sendo mais potente) e tiroxina (T4 – mais abundante); tais hormônios controlam o metabolismo. 
Composta por dois lóbulos unidos por um istmo, e formadas por parede de epitélio simples (células foliculares ou parafoliculares), e sua cavidade contêm um coloide composto principalmente por TSH – o principal hormônio regulador da tireoide. 
SÍNTESE E ACÚMULO DE HORMÔNIOS NA CÉLULAS FOLICULARES
Síntese de tireoglobulina pelas células foliculares, enviando-a para o coloide.
Captação de iodeto circulante.
Oxidação do iodeto, enviando-o para o coloide, através da peroxidase.
Iodação dos radicais de tirosila da tireoglobulina, produzindo-se T3 e T4.
LIBERAÇÃO DE T3 E T4
Estímulo do TSH.
Captação de monoiodotirosina, diiodotirosina, T3 e T4 do coloide pelas células foliculares.
Liberação de monoiodotirosina, diiodotirosina, T3 e T4 no citoplasma dos tireócitos. 
T3 e t4 se difundem para os capilares e monoiodotirosina e diiodotirosina são degradados, sendo seus constituintes (iodo e tirosina) utilizados novamente pelas células foliculares. 
Células parafoliculares (ou células C): Formam grupos isolados entre os folículos. São volumosas, de citoplasma claro e com núcleos grandes, arredondados e vesiculosos. Secretam calcitonina, que possui como função inibição da reabsorção óssea e indução de hipocalcemia. 
PARATIREOIDE
Formadas por cápsula de tecido conjuntivo que emitem trabéculas para a glândula, com fibras reticulares para a sua sustentação. 
Células principais: predominantes. São menores, de forma poligonal, núcleo vesiculoso e citoplasma fracamente acidófilo. Secretam paratormônio, que possui como função o estímulo da liberação de cálcio pelos osteoclastos; o aumento da síntese de vitamina D, e a diminuição do fosfato plasmático. 
Células oxífilas: poligonais, maiores que as principais, citoplasma acidófilo. Função desconhecida.
PINEAL (EPÍFISE)
Pinealócitos (95%): levemente basófilos e grandes núcleos de perfil bastante irregular, com nucléolos bem evidentes. Produzem melatonina e outros peptídeos, que possuem como função o controle do ritmo circadiano, além de estar relacionada ao início da puberdade. A produção de melatonina é inibida com a luz, portanto, sua produção é maior à noite.
Astrócitos: núcleos alongados e mais fortemente corados.
Areia cerebral: depósitos (basófilos) de fosfato e carbonato de cálcio, encontrados normalmente na matriz extracelular da pineal.