Lições Preliminares de Direito   Miguel Reale
371 pág.

Lições Preliminares de Direito Miguel Reale


DisciplinaIntrodução ao Estudo ao Direito1.402 materiais1.650 seguidores
Pré-visualização50 páginas
MIGUEL REALE 
 
 
 
 
 
LIÇÕES 
PRELIMINARES 
DE DIREITO 
 
 
 
 
 
25a edição 
22ª tiragem 
2001 
 
 
 
PRINCIPAIS OBRAS DO AUTOR 
OBRAS FILOSÓFICAS 
Atualidades de um Mundo Antigo, 1936, José Olympio, 2. ed., 1983, UnB; A 
Doutrina de Kant no Brasil, 1949, USP; Filosofia em São Paulo, 1962, Ed. Grijalbo; 
Horizontes do Direito e da História, 1956, 3. ed., 2000, Saraiva; Introdução e Notas aos 
\u201cCadernos de Filosofia\u201d de Diogo Antônio Feijó, 1967, Ed. Grijalbo; Experiência e 
Cultura, 1977, Ed. Grijalbo; Estudos de Filosofia e Ciência do Direito, 1978, Saraiva; O 
Homem e seus Horizontes, 1980, 1. ed., Convívio, 2. ed., 1997, Topbooks; A Filosofia na 
Obra de Machado de Assis, 1982, Pioneira; Verdade e Conjetura, 1983, Nova Fronteira, 2. 
ed., 1996, Fundação Lusíada, Lisboa; Introdução à Filosofia, 1988, 3. ed., 1994, Saraiva; O 
Belo e outros Valores, 1989, Academia Brasileira de Letras; Estudos de Filosofia 
Brasileira, 1994, Inst. De Fil. Luso-Brasileira, Lisboa; Paradigmas de Cultura 
Contemporânea, 1996, Saraiva. 
OBRAS DE FILOSOFIA DO DIREITO 
Fundamento do Direito, 1940, Ed. Própria, 3. ed., 1998, Revista dos Tribunais; 
Filosofia do Direito, 1953, 19. ed., 1999, Saraiva; Teoria Tridimensional do Direito, 1968, 
5. ed., 1994, Saraiva; O Direito com Experiência, 1968, 2. ed., 1992, Saraiva; Lições 
Preliminares de Direito, 1973, Bushatsky, 4./25. ed., 2000, Saraiva, uma ed. Portuguesa, 
Livr. Almedina, 1982; Estudos de Filosofia e Ciência do Direito, 1978, Saraiva; Direito 
Natural/Direito Positivo, 1984, Saraiva; Nova Fase do Direito Moderno, 2. ed., 1998, 
Saraiva; Fontes e Modelos do Direito, 1994, Saraiva. 
OBRAS DE POLÍTICA E TEORIA DO ESTADO 
O Estado Moderno, 1933, 3. ed., José Olympio, 4. ed., UnB; Formação da Política 
Burguesa, 1935, José Olympio, 2. ed., 1983, UnB; O Capitalismo Internacional, 1935, José 
Olympio, 2. ed., 1983, UnB, Teoria do Direito e do Estado, 1940, livr. Martins., Ed. 4. ed., 
1984, Saraiva; Parlamentarismo Brasileiro, 1. e. 2. ed., 1962, Saraiva; Pluralismo e 
Liberdade, 1963, Saraiva, 2. ed., 1998, Ed. Expressão e Cultura; Imperativos da Revolução 
 II
de Março, 1965, Livr. Martins Ed.; Política de Ontem e de Hoje, 1978, Saraiva; Liberdade 
e Democracia, 1987, Saraiva; O Estado Democrático de Direito e o Conflito das 
Ideologias, 2. ed. 1999, Saraiva. 
OBRAS DE DIREITO POSITIVO 
Nos Quadrantes do Direito Positivo, 1960, Ed. Michelany; Revogação e 
Anulamento do Ato Administrativo, 1968, 2. ed., 1980, Forense; Direito Administrativo, 
1969, Forense; Cem Anos de Ciência do Direito no Brasil, 1993, Saraiva; Questões de 
Direito, Sugestões Literárias. 1981. Teoria e Prática do Direito, 1984, Saraiva; Por uma 
Constituição Brasileira, 1985, Revista dos Tribunais; O Projeto de Código Civil, 1986, 2. 
ed, 1998, Saraiva; O Projeto do Novo Código Civil, 1999, 2. ed., Saraiva; Aplicações da 
Constituição de 1988, 1990, Forense; Temas de Direito Positivo, 1992, Revista dos 
Tribunais; Questões de Direito Público, 1997, Saraiva; Questões de Direito Privado,1997, 
Saraiva. 
OBRAS LITERÁRIAS 
Poemas do Amor e do Tempo, 1965, Saraiva; Poemas da Noite, 1980, Ed. Soma; 
Figuras da Inteligência Brasileira, 1984, Tempo Brasileiro Ed. e Univ. do Ceará; Sonetos 
da Verdade, 1984, Nova Fronteira; Vida Oculta, 1990, Massao Ohno/Stefanowski Ed.; 
Face Oculta de Euclides da Cunha, 1993; Das Letras à Filosofia, 1998, Academia 
Brasileira de Letras. 
PRINCIPAIS OBRAS TRADUZIDAS 
Filosofia dei Diritto, Trad. Luigi Bagolini e G. Ricci, 1936, Torino, Giappichelli; Il 
Diritto come Esperienza, com ensaio introd. de Domenico Coccopalmerio, 1973, Milano, 
Giuffrè; Teoria Tridimensional del Derecho. Trad. J. A. Sardina-Paramo, 1973, Santiago de 
Compostella. Imprenta Paredes, 2. ed. Universidad de Chile, Valparaíso (na coletânea 
"Juristas Perenes"), 3. ed. reestruturada, trad. Angeles Mateos, Tecnos, Madrid, 1997; 
Fundamentos del Derecho. Trad. Júlio O. Chiappini. Buenos Aires, Depalma, 1976. 
Introducción al Derecho. Trad. Brufau Prats, 1976, 10. ed., 1991, Madrid, Ed. Pirámide; 
 III
Filosofia del Derecho. Trad. Miguel Angel Herreros. Madrid, 1979, Ed. Pirámide; 
Expérience et Culture. Trad. Giovanni Dell\u2019Anna Bordeaux, 1990, Éditions Bière. 
 IV
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
À pequenina Luciana 
estas primeiras luzes do Direito 
 
 V
NOTA À VIGÉSIMA PRIMEIRA EDIÇÃO 
 
Singular o destino deste livro. Nascido na sala de aula como apostilas, veio 
sendo revisto e completado até se tornar, sem perda de seu cunho didático, a 
exposição dos elementos essenciais de uma Teoria Geral do Direito como 
projeção natural de minhas pesquisas filosófico-jurídicas. 
Estava longe de imaginar o sucesso da presente obra, com vinte e uma 
edições até agora no Brasil, uma em Portugal e nove na Espanha sob o título de 
Introducción al Derecho, traduzida e adaptada ao Direito espanhol por Brufau 
Prats, eminente catedrático de Filosofia do Direito nas Universidades de Barcelona 
e Valladolid. 
Atribuo esse êxito ao tom coloquial que procurei emprestar a estas páginas, 
preservando a clareza e o rigor próprios dos trabalhos científicos. 
Por outro lado, ao invés de uma espécie de Enciclopédia Jurídica, que 
redunda sempre em um amálgama indefinido de noções, preferi situar os 
problemas gerais do Direito Positivo em função da teoria tridimensional do Direito, 
resultado de minhas meditações sobre a estrutura e a natureza da experiência 
jurídica. Daí a reduzida exposição de doutrinas alheias, a não ser quando 
correspondentes a momentos essenciais do desenvolvimento científico, com 
remissão, porém, aos livros em que participo do debate das idéias, em cotejo com 
os mestres do pensamento jurídico. 
Outro ponto que merece ser lembrado é a contínua ilustração da exposição 
teórica mediante a invocação de textos da Constituição ou do Direito Civil, o qual, 
a bem ver, é "a constituição do homem comum", continuando a ser, na linha da 
tradição romana, a disciplina jurídica por excelência. 
Uma de minhas vaidades é ter podido contribuir, com minhas lições, para 
auxiliar os jovens a percorrer o mundo jurídico, conforme propósito assinalado no 
Prefácio que redigi para a 1ª edição, cuja leitura me parece indispensável. 
Daí minha constante preocupação de atualizar o texto à medida que iam se 
desenvolvendo minhas pesquisas. Nesse sentido, seja-me permitido observar que 
são relevantes os acréscimos feitos na presente edição, sobretudo nos Capítulos 
V, VII, XIII e XV, sendo que, neste último, penso ter estabelecido mais rigorosa 
 VI
relação entre os conceitos de fontes e de modelos do Direito, abrangendo estas os 
modelos jurídicos e os modelos hermenêuticos. 
Como se vê, o passar dos anos não me tem privado, felizmente, do 
permanente dever de autocrítica, visando a atingir soluções teóricas cada vez 
mais em sintonia com a experiência jurídica, tema central de meus estudos. 
 VII
PREFÁCIO À PRIMEIRA EDIÇÃO 
 
Este é um livro, cuja estrutura e espírito se firmaram na sala de aula, 
destinando-se sobretudo aos que se iniciam no estudo do Direito. Sua inspiração 
remonta ao tempo em que ministrei, na Faculdade de Direito de São Paulo, 
Introdução no primeiro ano e Filosofia Jurídica no quinto, pondo-me in concreto o 
problema de dois estudos diversos, mas complementares. 
São dessa época umas preleções que, apesar de múltiplas deficiências 
formais, vinham sendo reclamadas por meus antigos alunos, hoje mestres em 
várias Faculdades de Jurisprudência do País. 
Todavia, o tempo decorrido e todos os resultados de minhas