exercico 1
4 pág.

exercico 1

Disciplina:Pedagogo186 materiais191 seguidores
Pré-visualização2 páginas
HISTÓRIA DOS POVOS INDÍGENAS E AFRO-DESCENDENTES
CEL0495_A3_201102166405_V4 

	
		Lupa
	 
	Calc.

	
	
	 
	 

	 
	
Vídeo
	
PPT
	
MP3
	 

	Aluno: ISABEL CRISTINA MARQUES PIRAJA MONTEIRO
	Matrícula: 201102166405

	Disciplina: CEL0495 - HIST DOS POVOS INDÍG 
	Período Acad.: 2018.1 EAD (G) / EX

	
Prezado (a) Aluno(a),

Você fará agora seu EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO! Lembre-se que este exercício é opcional, mas não valerá ponto para sua avaliação. O mesmo será composto de questões de múltipla escolha (3).
Após a finalização do exercício, você terá acesso ao gabarito. Aproveite para se familiarizar com este modelo de questões que será usado na sua AV e AVS.

	

	
		

	

		1.

		Entre os motivos da substituição dos escravos indígenas por negros nos engenhos de açúcar, podemos afirmar que:

	

	

	
	
	Os negros aceitavam a escravidão

	
	
	A substituição foi feita porque os índios eram preguiçosos

	
	 
	A grande circulação de dinheiro promovida pelo tráfico transatlântico de africanos escravizados

	
	
	A substituição foi feita por que os índios organizavam exércitos contra os engenhos.

	
	
	Porque os negros não eram considerados gente, e deveriam ser tratados como animais.

	
	Gabarito Coment.
	

	

	
		

	

		2.

		A escravidão de origem africana nasceu no Brasil colonial e se fortaleceu em locais conhecidos como plantation. Esses locais ganharam seu formato mais conhecido na época colonial, na região litorânea do nordeste brasileiro. Ali, a plantation pode ser definida como o sistema de

	

	

	
	
	plantações de cana, café e cacau feitas do sudeste do Brasil até a Amazônia, que visavam o enriquecimento dos portugueses através do uso em larga escala da mão-de-obra indígena.

	
	 
	plantação de cana-de-açúcar, feita em larga escala por mão-de-obra escrava de origem africana, que visava o mercado exportador europeu.

	
	
	Movimento de resistência africana que geraria o sistema dos quilombos.

	
	
	comércio e distribuição de mão-de-obra escrava africana para a lavoura canavieira nordestina. Esse sistema era vulgarmente conhecido como ¿tumbeiro¿ ou tráfico de escravos.

	
	
	plantação de café em larga escala e com o uso da mão-de-obra africana e mestiça, que visava o mercado exportador europeu, comércio este monopolizado por Portugal.

	
	Gabarito Coment.
	

	

	
		

	

		3.

		À medida que a empresa açucareira se expandia no Brasil, fez-se opção pela mão-de-obra escrava de origem africana, em substituição ao trabalho indígena. Esta opção pode ser explicada, porque:

	

	

	
	
	Os indígenas eram frágeis fisicamente e adoeciam com facilidade, já os negros tinham uma constituição física forte, propícia ao trabalho braçal.

	
	
	Os africanos resistiram ao escravismo através dos quilombos e das revoltas, mas foram mantidos na agricultura, porque os índios desconheciam essa atividade.

	
	 
	Os indígenas eram selvagens e lutavam contra a escravidão, enquanto os negros eram dóceis e submissos

	
	
	Os negros dominavam as técnicas do cultivo da cana, enquanto os indígenas não conheciam a agricultura, portanto, seu trabalho não era produtivo.

	
	 
	O uso de escravos africanos alimenta o tráfico negreiro, tornando-o um dos mais lucrativos setores do comércio colonial.

	
	Gabarito Coment.
	

	

	
		

	

		4.

		Dentre as formas de resistência negra e indígena à escravidão, pode-se destacar:

	

	

	
	
	O uso de seus conhecimentos medicinais para o auxílio aos senhores em troca de sua alforria.

	
	 
	A recusa em desempenhar algumas das funções dadas pelo senhor, o banzo, as revoltas e a fuga para quilombos.

	
	
	A conversão de negros e índios ao catolicismo.

	
	
	A formação de quilombos exclusivamente por escravos negros fugidos, evitando contato com indígenas, para assim manter suas práticas culturais intactas.

	
	 
	A prática, entre as escravas negras, de amamentar os filhos dos donos para estreitar assim seus vínculos com a família.

	
	Gabarito Coment.
	

	

	
		

	

		5.

		Sobre as características da sociedade escravista colonial da América portuguesa estão corretas as afirmações abaixo, À EXCEÇÃO de uma. Indique-a.

	

	

	
	
	O início do processo de colonização na América portuguesa foi marcado pela utilização dos índios - denominados ¿negros da terra¿ - como mão-de-obra.

	
	
	Em algumas regiões da América portuguesa, os senhores permitiram que alguns de seus escravos pudessem realizar uma lavoura de subsistência dentro dos latifúndios agroexportadores, o que os historiadores denominam de ¿brecha camponesa¿.

	
	
	Na América portuguesa, ocorreu o predomínio da utilização da mão-de-obra escrava africana seja em áreas ligadas à agro-exportação, como o nordeste açucareiro a partir do final do século XVI, seja na região mineradora a partir do século XVIII.

	
	 
	A partir do século XVI, com a introdução da mão-de-obra escrava africana, a escravidão indígena acabou por completo em todas as regiões da América portuguesa.

	
	
	Nas cidades coloniais da América portuguesa, escravos e escravas trabalharam vendendo mercadorias como doces, legumes e frutas, sendo conhecidos como ¿escravos de ganho¿.

	

	

	
		

	

		6.

		Diferente da Espanha, Portugal não encontrou prata e ouro asssim que chegou ao Brasil, tornando necessário a escolha de um produto, o açucar, que viabilizasse o projeto colonizador e mercantilista da metrópole. Partindo desta afrimação assinale a resposta que melhor a ampare.

	

	

	
	 
	A escravidão indígena tornou possível a implantação e o desenvolvimento da lavoura açucareira na colônia, mecanismo essencial para financiar o projeto colonizador e mercantilista da metrópole.

	
	
	Somente a escravidão africana tornou possível a implantação e o desenvolvimento da lavoura açucareira na colônia, mecanismo essencial para financiar o projeto colonizador e mercantilista da metrópole.

	
	
	Após a descoberta do ouro na região das Minas Gerais houve recursos econômicos suficientes para aumentar o número de escravos africanos na colônia, somente então a lavoura açucareira atingiu uma produção significativa e constituiu-se no mecanismo essencial para financiar o projeto colonizador e mercantilista da metrópole.

	
	 
	Somente a junção das escravidões indígena e africana tornnaram possível a implantação e o desenvolvimento da lavoura açucareira na colônia, mecanismo essencial para financiar o projeto colonizador e mercantilista da metrópole.

	
	
	A escravidão indígena não tornou possível a implantação e o desenvolvimento da lavoura açucareira na colônia, mecanismo essencial para financiar o projeto colonizador e mercantilista da metrópole.

	
	Gabarito Coment.
	

	

	
		

	

		7.

		A religiosidade indígena era bastante diversificada, baseada na identificação de deuses a elementos da natureza. Em relação a essa religiosidade depois da vinda dos europeus, podemos concluir que:

	

	

	
	
	foi assimilada pelos missionários católicos que ministravam para os indígenas uma variante do catolicismo.

	
	
	foi aproveitada pelos missionários católicos que resolveram utilizar os mitos indígenas para a catequese.

	
	 
	foi identificada pelos missionários católicos que buscavam converter, de forma incondicional, os indígenas.

	
	 
	foi ignorada totalmente pelos missionários católicos que fingiam não ver a continuidade dessas práticas.

	
	
	foi incorporada pelos missionários católicos que aproveitaram tais elementos na catequese no africano.

	
	Gabarito Coment.
	

	

	
		

	

		8.

		Os indígenas foram usados como mão de obra, sobretudo, nas pequenas e médias