A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
164 pág.
Sistema de Gestão Integrada em Construtoras de Edifícios

Pré-visualização | Página 44 de 48

qualidade. 
Os órgãos públicos e as instituições financeiras, que atuam no setor da habitação ou que 
estão relacionados à contratação e financiamento de obras, da mesma forma que jã exigem a 
adesão ao PBQP-íl como critério de qualificação e cadastro de construtoras, poderiam ampliar 
as exigências ou diferenciar as empresas com a certificação em SGI nas normas NBR ISO 9001, 
NBR ISO 14001, BSI OHSAS 18001 e NBR 16001, 
É Importante que esses órgãos públicos, além de exigir a adoção de SG! em construtoras, 
implantem um SGI em sua estrutura, permitindo assim a conscientização tle seus colaboradores 
e um melhor trabalho de fiscalização de obras sobre todos os aspectos do SGI, incluindo os rela-
cionados à ética profissional. 
Enfim, com a implantação de um SGI, a empresa construtora pode obter o aumento da sa-
tisfação dos clientes e dos colaboradores, a redução cios acidentes e doenças ocupa ciou ais, a re-
dução do risco do negócio para os investidores, a redução do impacto de suas atividades no meio 
ambiente, a melhora de sua imagem com a sociedade e com as partes interessadas, a redução de 
perdas e falhas nos processos, o aumento da produtividade e, também, obter as evidências, de 
forma objetiva, clara e documentada, de suas atividades, de seus controles e da conformidade no 
atendimento aos requisitos do cliente e do SGI. 
Finalizando essas conclusões, conforme o objetivo proposto, as recomendações apresentadas 
ao longo deste livro pretendem contribuir para um melhor entendimento sobre o que é um Sis-
tema de Gestão Integrada e orientara sua implantação em empresas construtoras de edifícios. 
Referências Bibliográficas 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. A BN T N BR 
ISO 9000 • Fundamentos de Sistema de gestão da qual idade -
Terminologia. Rio de Janeiro: ABNT - Associação Brasileira de Nor-
mas Técnicas, 2000. 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. A BN T N BR 
ISO - Sistemas de Gestão da qual idade - Requisitos. Rio 
dc Janeiro: ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas, 2008. 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. A BN T N BR 
ISO 9004 - Sistemas de Gestão tia qual idade - Diret riz es para 
m elhor ia do desem penho. Rio de Janeiro: ABNT - Associação Bra-
sileira de Normas Técnicas, 2000. 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. A BN T N BR 
ISO 14001 - Sistemas de Gestão Am b ient a l - Requisitos. Rio de 
Janeiro: ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas, 2004, 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA I3E NORMAS TÉCNICAS. A BN T N BR 
ISO 16001 - Sistemas de Gestão d e Responsabi l idade Social -
Requisitos. Rio de Janeiro: ABNT - Associação Brasileira de Normas 
Técnicas, 2004 
AZEVEDO, Desmist if icando a Norma ISO 9000, Manual lianas. Dis-
ponível em: <hup://wiviv.banasqualidade,com,br>. Acesso em 18 Out. 
2007, 
BENITE, A. G, Sistema de gestão da segurança e saúde no t rabalho 
para empresas construtoras, 2004. 2211. Dissertação (Mestrado) -
Escola Politécnica, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2004. 
BRITISH STANDARDS INSTITUTION, BSI O H SA S 18001 - Sistema de 
Gestão da Saúde e Segurança no Trabalho - Requisitos, 2007, 
CARDOSO, F.F., et ai. Capacitação e cert if icação profissional na construção civi l e meca-
nismos de mobiliz ação da demanda. Relatório final da Etapa 1 - Proposta Estratégica -
ABRAM AT, Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007, 
DE CICCO, F. Sistemas integrados de gestão. Agregando valor aos sistemas ISO 9000. 
Disponível em <http://www.qsp.com.br/ > Acesso em: 01 out. 2007. 
DEGANI, C.M. Sistemas de gestão ambiental em empresas construtoras de edifícios. 
São Paulo, 2003. 22 3 L Dissertação (Mestrado) - Escola Politécnica, Universidade de São Pau-
lo, São Paulo, 2003. 
DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES, M anual rodoviá-
rio de conservação, m onit oram ent o e controle ambientais. 2, ed. Rio de Janeiro: 2005. 
6Sp. {IPR. PubL, 711). 
FARAII, F.; VITTORINO, F. Am pla sustentabilidade. Revista Téclme, Edição n° I 1 l, jul. 2006 
FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Melhore a com pet i t ividade 
com o Sistema de Gestão Am bient al - SGA. São Paulo: FIESP, 2007, 
FELIPE,D,L. Os sistemas integrados de gestão < ISO 9001, ISO 14001 e O H SAS 18001) 
como indicadores de responsabilidade social < SA 8000) em processos produt ivos de 
Indúst r ia de Confecções no Espirito Sant o - Brasil. 2001. 171 í. Dissertação (Mestrado) -
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001. 
FORMOSO, C.T, Leem Constructhm: Princípios básicos e exemplos. Porto Alegre: UFRGS -
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2000. Disponível em: <http://www.dptoce,ufba, 
br/construcao2_arquivos/ApostilaLeanConsiruction,pdf>. Acesso em 08 Out. 2008. 
FREITAS, A,A.F; CAMPOS, E.M.; CAMPOS, S.H.B. Gestão da inovação em pequenas e mé-
dias empresas da construção civil, In: XXVI KNHGEP, 2006, Fortaleza. 
GARCIA, G.F.B. Legislação de Segurança e Medicina do Trabalho. São Paulo: Editora Mé-
todo, 2007. 
MINO, M.K. Em prego do conceito de desempenho para melhoria da qualidade do pro-
jeto de em preendim entos habitacionais de interesse social. 2001. I23f, Dissertação 
(Mestrado) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001. 
INSTITUTO ETHOS. Sobre o inst ituto ETHOS. 2007. Disponível em: <http://www.etlios.org, 
hr>. Acesso em 14 Dez. 2007, 
LIMA JÚNIOR, J.M, Ex periência brasileira: Sistema tripa rt ite, legislação e programa. 
Brasília : FUNDACENTIU), 2005. 
U M A JÚNIOR, J .M.; VALCÁRCEL, A.L.; DIAS, L.A. Segurança e saúde no t rabalho da cons-
t rução: experiência brasileira e panoram a internacional. Brasília : OIT - Secretaria In-
ternacional do Trabalho, 2005. 
MARTINES, R.C.C. Im plant ação de sistema de gestão da produt ividade em empresa 
construtora. 2007. 96F. Dissertação (Mestrado em Habitação) - Instituto de Pesquisas Tecno-
lógicas do Estado dc São Paulo, São Paulo, 2007. 
MINISTÉRIO DAS CIDADES. Programa Brasi leiro da Qual idade e Produt ividade no Ha-
b i t a t - PBQP- H, 2007, Brasília. Disponível em: <http://www,cidades.gov,br/ pbqp-h>. Aces-
so em 07 jul. 2007. 
MINISTÉRIO DO ME IO AMBIENTE - MM A, Sistema Nacional do Meio Am b ient e - SISNA-
M A, 2007, Brasília. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/index.php?ido= conteúdo.mon 
ta&idEstrutura=23&ic!Conteudo=2809>, Acesso em 16 out, 2007, 
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - M M A. Resoluções do C O N A M A - Resoluções vigen-
tes publicadas ent re j u l h o de 1984 e m aio de 2006, P ed. Brasília: 2006, Disponível 
em: < http://www.mma.gov.br/port/conama/legiano. cím?cod!egitipo=3>. Acesso em 16 Out. 
2007. 
MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE. Norm as Regulam ent adoras - NR, 2007, 
Brasília. Disponível em: < http://www.mtb.gov.br/legislacao/normas_ regulnmentadnras/de-
fault,asp>. Acesso em 17 out. 2007. 
MIRANDA, C.M.G,, at al., Um m odelo para o sistema cie const rução enx uta a part ir do 
Sistema Toyota de Produção, XXII I Encontro Nac. de Eng. de Produção - Ouro Preto, MG, 
Brasil, 21 a 24 de out de 2003 
NISHIDA, L.T. Redução do im pact o am bient al at ravés das prát icas lean. 2003. Disponível 
em: <www.lean.org.br>. Acesso em 08 Out. 2008. 
OGGI, F.P. Inovação na Construção Civi l Brasileira. Instituto UNIEMP. S.I., 2006 
PICCHI, F.A, Opor t un idade da aplicação do Lean Thittking na construção. Revista Am-
biente Construído, v.3, n.l, jan./mar., 2003. Disponível em: <http://www.antac.Org.br/am-
bienteconstruido/pdf/revista/artigos/Docl 1173,pdf>. Acesso em 08 Out, 2008, 
RAMOS, I.S; MITID1ERI FILHO, C.V. Procedim entos de assistência técnica para construto-
ras. Revista Téchne, Edição n° 122, mai. 2007 
RIBEIRO, D.O. Est udo de viabi l idade econômica da im plant ação dó programa de gestão 
am bient al de resíduos sólidos de const rução civil: estudo de caso. Projeto de pesquisa, 
2005,