Extinção da Punibilidade
41 pág.

Extinção da Punibilidade


DisciplinaDireito Processual Penal I18.656 materiais138.237 seguidores
Pré-visualização2 páginas
PROFESSOR DR. MOACIR MARTINI DE ARAÚJO
\u2022 SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA (SURSIS)
\u2022 ORIGEM
\u2022 SISTEMAS
\u2022 Anglo \u2013 Americano
\u2022 Belga \u2013 Francês
\u2022 NATUREZA JURÍDICA
\u2022 Direito Público subjetivo do réu.
\u2022 Forma alternativa de execução da PPL
\u2022 CONCEITO: É a suspensão da PPL imposta ao 
condenado, mediante o adimplemento de determinadas 
condições, durante um determinado período de tempo.
\u2022 REQUISITOS
\u2022 Objetivos \u2013 C.P 77, caput e III:
\u2022 Subjetivos \u2013 C.P 77, I e II:
\u2022 *Crime Hediondo
\u2022 ESPÉCIES:
\u2022 Simples \u2013 77
\u2022 Especial \u2013 78, 2º§
\u2022 Etário \u2013 77, 1º e 2º §
\u2022 Humanitário - 77, 2º§
\u2022 CONCEITO: É a suspensão da PPL imposta ao 
condenado, mediante o adimplemento de determinadas 
condições, durante um determinado período de tempo.
\u2022 REQUISITOS
\u2022 Objetivos \u2013 C.P 77, caput e III:
\u2022 Subjetivos \u2013 C.P 77, I e II:
\u2022 *Crime Hediondo
\u2022 ESPÉCIES:
\u2022 Simples \u2013 77
\u2022 Especial \u2013 78, 2º§
\u2022 Etário \u2013 77, 2º §
\u2022 Humanitário - 77, 2º§
\u2022 CONDIÇÕES DO SURSIS
\u2022 Legais
\u2022 Judiciais
\u2022 REVOGAÇÃO DO SURSIS (CONDIÇÕES LEGAIS 
INDIRETAS)
\u2022 Revogação Obrigatória - 81, "caput"
\u2022 Revogação Facultativa - 81, §1ª
\u2022 PRORROGAÇÃO E EXTINÇÃO AUTOMÁTICAS:
\u2022 artigos 81, §2º e 82
\u2022 AUDIÊNCIA ADMONITÓRIA - LEP, art. 160
\u2022 CASSAÇÃO DO SURSIS
\u2022 SURSIS E REVELIA
\u2022 Conceito
\u2022 Natureza Jurídica
\u2022 Sursis X Livramento Condicional
\u2022 REQUISITOS DO LIVRAMENTO CONDICIONAL
\u2022 Requisitos Objetivos \u2013 relacionados à pena e a 
qualidade do crime.
\u2022 Requisitos Subjetivos \u2013 relacionados à personalidade 
e comportamento do condenado.
\u2022 Requisitos Procedimentais \u2013relacionados a aspectos 
procedimentais necessários para a obtenção do 
livramento condicional.
\u2022 Conceito
\u2022 Natureza Jurídica
\u2022 Sursis X Livramento Condicional
\u2022 REQUISITOS DO LIVRAMENTO CONDICIONAL
\u2022 Requisitos Objetivos \u2013 relacionados à pena e a 
qualidade do crime.
\u2022 Requisitos Subjetivos \u2013 relacionados à personalidade 
e comportamento do condenado.
\u2022 Requisitos Procedimentais \u2013relacionados a aspectos 
procedimentais necessários para a obtenção do 
livramento condicional.
\u2022 REQUISITOS OBJETIVOS:
\u2022 Qualidade da pena \u2013 deve ser privativa de liberdade.
\u2022 Quantidade da pena \u2013 deve ser igual ou superior a 2 anos.
\u2022 Reparação do dano, salvo impossibilidade de fazê-lo.
\u2022 Cumprimento de parte da pena:
\u2022 - Mais de 1/3 da pena \u2013 se tiver não tiver maus 
antecedentes e não for reincidente em crime doloso.
\u2022 - Mais da1/2 da pena - se for reincidente em crime doloso
\u2022 - 2/3 da pena \u2013 se tiver sido condenado por qualquer dos 
crimes previstos na lei nº 8.072/90 (lei de crimes hediondos).
\u2022 - E se for primário com maus antecedentes?
\u2022 REQUISITOS SUBJETIVOS:
\u2022 - Comportamento satisfatório durante a execução da 
pena (vida carcerária do condenado)
\u2022 - Bom desempenho no trabalho que lhe foi atribuído
\u2022 - Aptidão para prover à própria subsistência mediante 
trabalho honesto.
\u2022 - Nos crimes dolosos cometidos, mediante violência ou 
grave ameaça à pessoa, o benefício fica sujeito à 
verificação da cessação de periculosidade.
\u2022 - Nos crimes previstos na Lei nº 8.072/90, não pode ser 
reincidente específico.
\u2022 REQUISITOS PROCEDIMENTAIS:
\u2022 Requerimento do sentenciado, de seu cônjuge ou parente 
em linha reta, ou, ainda, proposta do diretor do 
estabelecimento ou do conselho penitenciário \u2013 art.712 CPP.
\u2022 Relatório do diretor do estabelecimento carcerário relativo ao 
comportamento do sentenciado.
\u2022 Manifestação do Ministério Público \u2013 art. 112, §§ 1º e 2º, da 
LEP com redação determinada pela Lei nº 10.792/2003.
\u2022 Parecer do Conselho Penitenciário \u2013 art. 131, da LEP.
\u2022 CONDIÇÕES DO LIVRAMENTO
\u2022 ESPÉCIES:
\u25aa Obrigatórias: Conforme art. 132, § 1º, da LEP; 
\u25aa Facultativas (podem ou não ser concedidas pelo 
juízo): Conforme art. 132, § 2º, da LEP.
\u25aa Judiciais: Art.85 do CP, autoriza o juiz a determinar 
outras condições segundo seus próprios critérios
\u2022 Condição legal indireta
\u2022 REVOGAÇÃO DO LIVRAMENTO CONDICIONAL
\u2022 Obrigatórias
\u2022 Facultativas
\u2022 EFEITOS DA REVOGAÇÃO DO LIVRAMENTO
\u2022 SUSPENSÃO DO LIVRAMENTO - LEP, art. 145
\u2022 EXTINÇÃO 
\u2022 Espécies
\u2022 Principal
\u2022 Secundário
\u25aa Penal
\u25aa Extrapenal
\u25aa Genéricos \u2013 CP, artigo 91
\u25aa Específicos \u2013 CP, artigo 92
\u2022 Finalidade: restituir o reeducando ao 
\u201cstatus quo ante\u201d
\u2022 Consequência \u2013 CP, art. 93, \u201ccaput\u201d
\u2022 Requisitos \u2013 CP, artigo 94
\u2022 Competência
\u2022 Renovação do pedido \u2013 artigo 93, p. único
\u2022 Revogação \u2013 CP, art. 95
\u2022 a. Conceito
\u2022 b. Finalidade
\u2022 c. Sistemas
\u2022 Duplo Binário (dois trilhos)
\u2022 Vicariante
\u2022 Pressupostos
\u2022 Prática de crime*
\u2022 *Crime; fato típico, antijurídico e culpável.
\u2022 Não se aplica medida de segurança:
\u2022 a) Se não houver prova da autoria;
\u2022 b) Se não houver prova do fato;
\u2022 c) Se estiver presente causa de exclusão de ilicitude;
\u2022 d) Se o crime for impossível;
\u2022 e) Se ocorreu a prescrição ou outra causa extintiva da punibilidade.
\u2022 II. PERICULOSIDADE
\u2022 1. Presumida
\u2022 2. Real
\u2022 ESPÉCIES
\u2022 i. Detentiva \u2013 CP, art. 96, I
\u2022 1. local \u2013 CP, art. 99
\u2022 ii. Restritiva \u2013 CP, art. 96, II
\u2022 iii. Imposição \u2013 CP, art. 97
\u2022 iv. Prazo \u2013 CP, arts. 97, §1º e 98
\u2022 v. Cálculo \u2013 periculosidade+gravidade do crime
\u2022 a. Perícia médica \u2013 CP, art. 97, §2º
\u2022 b. Desinternação ou liberação condicional \u2013 CP, art. 97, §3º
\u2022 c. Conversão do tratamento ambulatorial em internação \u2013 CP, art. 97, §4º
\u2022 d. Substituição da pena por medida de segurança
\u2022 i. Transitória \u2013 CP, art. 41
\u2022 ii. Definitiva \u2013 LEP, art. 183
\u2022 - O limite temporal do cumprimento da medida de 
segurança advinda da conversão de pena
\u2022 vi. Reconversão da medida de segurança em pena
\u2022 vii. Medida de Segurança e a Detração
\u2022 Conceito
\u2022 ESPÉCIES DE AÇÃO PENAL
\u2022 Pública \u2013 condicionada e incondicionada
\u2022 Privada
\u2022 Privada subsidiária da pública
\u2022 PRAZOS AÇÃO PENAL PÚBLICA
\u2022 Indiciado preso, 5 (cinco) dias
\u2022 Indiciado solto, 15 (quinze) dias
\u2022 Lei de Drogas, prazo de 10 (dez) dias
\u2022 AS CONDIÇÕES DA AÇÃO PENAL
\u2022 Possibilidade jurídica do pedido
\u2022 Interesse de agir;
\u25aa Interesse-necessidade
\u25aa Interesse-utilidade
\u25aa Interesse-adequação
\u2022 Legitimidade para agir ;
\u2022 ESPECÍFICAS DE PROCEDIBILIDADE: que a doutrina atribui como 
condições específicas são elas:
\u2022 a) Representação do ofendido e requisição do Ministério da Justiça;
\u2022 b) Entrada do agente no território nacional
\u2022 c) Autorização do Legislativo para a instauração de processo contra Presidente e 
Governadores, por crimes comuns;
\u2022 d) Trânsito em julgado da sentença que, por motivo de erro ou impedimento, anule o 
casamento, no crime de induzimento a erro essencial ou ocultamento do impedimento.
\u2022 AÇÃO PENAL PÚBLICA INCONDICIONADA: 
TITULARIDADE E PRINCÍPIOS
\u2022 TITULARIDADE
\u2022 PRINCÍPIOS 
\u2022 Obrigatoriedade
\u2022 Indisponibilidade
\u2022 Oficialidade e Oficiosidade
\u2022 Intranscedência
\u2022 Divisibilidade*
\u2022 AÇÃO PENAL PÚBLICA CONDICIONADA
\u2022 *AÇÃO PENAL PÚBLICA CONDICIONADA A 
REQUISIÇÃO DO MINISTRO DA JUSTIÇA
\u2022 Hipóteses de requisição
\u2022 Prazos
\u2022 RETRATAÇÃO
\u2022 AÇÃO PENAL PRIVADA
\u2022 Conceito
\u2022 Fundamento
\u2022 Titular
\u2022 Início
\u2022 Prazo
\u2022 PRINCÍPIOS DA AÇÃO PENAL PRIVADA
\u2022 Oportunidade ou Conveniência
\u2022 Disponibilidade
\u2022 Indivisibilidade
\u2022 Intranscedência
\u2022 ESPÉCIES DE AÇÃO PENAL PRIVADA
\u2022 Propriamente dita ou Exclusivamente Privada
\u2022 *Ação Penal Privada Personalíssima
\u2022 Ação Penal Privada Subsidiária da Pública
\u2022 CRIMES DE AÇÃO PENAL PRIVADA O CÓDIGO PENAL: são eles:
\u2022 a) Calúnia, difamação e injúria (art. 138,139,140), salvo as restrições do art. 145.
\u2022 b) Alteração de limites, usurpação de águas e esbulho possessório, quando não 
houver violência e a propriedade for privada (art. 161,§ 1°, I,II).
\u2022 c) Dano, mesmo quando cometido por motivo egoístico ou com prejuízo 
considerável para a vítima ( art. 163, caput, p.ú, IV).
\u2022 d) Introdução ou abandono de animais