Gestão Estratégica da informação apostila
131 pág.

Gestão Estratégica da informação apostila


DisciplinaGestão Estrategica da Informação103 materiais515 seguidores
Pré-visualização23 páginas
1 
 
 
 
 2 
APRESENTAÇÃO 6 
AULA 1: GESTÃO DA INFORMAÇÃO 7 
INTRODUÇÃO 7 
CONTEÚDO 8 
AS ORIGENS 8 
A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO 14 
OS PRINCIPAIS PLAYERS 16 
TENDÊNCIAS 17 
ATIVIDADE PROPOSTA 19 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 20 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 21 
AULA 2: IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO 24 
INTRODUÇÃO 24 
CONTEÚDO 25 
CONCEITOS 25 
ENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS COM AS ESTRATÉGIAS DA INFORMAÇÃO 26 
A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO NO DESEMPENHO DAS EMPRESAS 27 
ATIVIDADE PROPOSTA 32 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 33 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 34 
AULA 3: GESTÃO DO CONHECIMENTO 37 
INTRODUÇÃO 37 
CONTEÚDO 38 
GESTÃO DO CONHECIMENTO 39 
O CONHECIMENTO 41 
AS DIMENSÕES DA CONVERSÃO DO CONHECIMENTO 42 
BENEFÍCIOS 44 
UTILIZAÇÃO 45 
 
 3 
ATIVIDADE PROPOSTA 47 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 48 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 48 
AULA 4: INTELIGÊNCIA COMPETITIVA 52 
INTRODUÇÃO 52 
CONTEÚDO 53 
POR QUE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA? 53 
APLICAÇÃO DA IC NAS NAÇÕES 54 
COMO FUNCIONA 56 
GESTÃO DO CONHECIMENTO X INTELIGÊNCIA COMPETITIVA 63 
ATIVIDADE PROPOSTA 64 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 65 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 66 
AULA 5: FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO 69 
INTRODUÇÃO 69 
CONTEÚDO 69 
A EVOLUÇÃO 69 
MRP 70 
MRP II 71 
ERP 71 
CRM 73 
BI 76 
BIG DATA 76 
CONSIDERAÇÕES 77 
ATIVIDADE PROPOSTA 78 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 78 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 79 
AULA 6: CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT (CRM) 81 
INTRODUÇÃO 81 
CONTEÚDO 82 
O CRM 82 
IDENTIFICAÇÃO 83 
 
 4 
DIFERENCIAR OS CLIENTES EM SEGMENTOS 84 
INTERAGIR DE FORMA DIFERENCIADA EM FUNÇÃO DOS SEGMENTOS 85 
CUSTOMIZAR PROGRESSIVAMENTE A INTERAÇÃO 86 
ATIVIDADE PROPOSTA 91 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 91 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 92 
AULA 7: BUSINESS INTELLIGENCE - BI 94 
INTRODUÇÃO 94 
CONTEÚDO 95 
BUSINESS INTELLIGENCE - BI 95 
O FUNCIONAMENTO DO BI 96 
CASOS 99 
RECOMENDAÇÕES 103 
ATIVIDADE PROPOSTA 105 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 106 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 106 
AULA 8: BIG DATA 109 
INTRODUÇÃO 109 
CONTEÚDO 111 
O BIG DATA NA PRÁTICA 113 
PROJETANDO UM BIG DATA 115 
ATIVIDADE PROPOSTA 119 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 119 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 120 
CHAVES DE RESPOSTA 122 
AULA 1 122 
ATIVIDADE PROPOSTA 122 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 124 
AULA 2 125 
ATIVIDADE PROPOSTA 125 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 125 
AULA 3 126 
 
 5 
ATIVIDADE PROPOSTA 126 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 126 
AULA 4 127 
ATIVIDADE PROPOSTA 127 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 127 
AULA 5 128 
ATIVIDADE PROPOSTA 128 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 128 
AULA 6 129 
ATIVIDADE PROPOSTA 129 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 129 
AULA 7 129 
ATIVIDADE PROPOSTA 129 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 129 
AULA 8 130 
ATIVIDADE PROPOSTA 130 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 130 
CONTEUDISTA 131 
 
 6 
Você bem sabe que o uso da tecnologia aumentou muito nos últimos anos, 
principalmente no mundo dos negócios. Prova disso é a aplicação constante 
de sistemas informacionais nas empresas \u2013 ambientes complexos em que a 
circulação da informação está cada vez mais latente. 
 
Graças a esse boom da era digital, as organizações ganharam um novo perfil 
no mercado, que exige a adequação a essa nova realidade. Mas as empresas 
necessitam de subsídios para se adaptar a ela. 
 
Nesse contexto, estudar e compreender as características da informação 
estratégica é de suma importância para alavancar os negócios e aumentar o 
sucesso das corporações. É isso o que este conteúdo propõe. 
 
Objetivos 
1. Definir informação estratégica. 
2. Descrever os diversos modelos de Gestão do Conhecimento. 
3. Analisar as ferramentas de auxílio organizacional. 
 
 
 
 
 
 
 
 7 
Introdução 
Vamos iniciar o nosso estudo em Gestão da Informação citando um dos gurus 
da moderna administração, Alvin Toffler, que em 1980 publicou \u201cA terceira 
onda\u201d, no qual já previa que a informação faria uma revolução na sociedade. 
 
Após a revolução agrícola, que ele chamou de Primeira Onda, da revolução 
industrial que ele chamou de Segunda Onda, a Terceira Onda seria a da 
revolução da informação. Em cada uma dessas \u201condas\u201d a humanidade obteve 
conhecimento e promoveu evoluções, o homem no seu instinto de conhecer 
se motiva a desbravar o desconhecido e se expõe de maneira intempestiva ao 
universo do saber, no qual após tentativas e erros ele consegue construir 
coisas fantásticas deixando o legado para as gerações futuras, portanto, o 
processo do conhecimento é contínuo e irreversível. 
 
Hoje, com 73 nos, Alvin Toffler, continua a procurar pistas que apontem 
tendências futuras com grande sucesso, mas nem ele nem ninguém 
conseguiria prever a dimensão exata que estas mudanças provocariam em 
nossa sociedade e na forma de fazer negócios. 
 
Objetivos: 
1. Entender o que é a Gestão da Informação; 
2. Apresentar os principais players no Brasil e o que está acontecendo. 
 
 
 
 
 
 
 8 
Conteúdo 
As origens 
Se voltássemos 10.000 anos no tempo, chegaríamos a uma civilização 
primitiva que talvez nem tivesse uma forma de escrita. O homem desta época 
se envolvia basicamente na caça e proteção da família, procurava locais que 
os protegessem de perigos naturais como chuvas, alagamentos e alguns 
predadores. Nesta época, os povos eram basicamente nômades e habitavam 
lugares temporariamente, até que se esgotasse a caça e o que mais servisse 
de alimento. Um exemplo de informação, utilizada na época, era \u201cQuanto 
precisamos caminhar na floresta até encontrar caça?\u201d, servia para provocar a 
mudança para outro local ainda intocado sempre que a resposta era \u201cmuito\u201d. 
 
Nesta época, o homem desenhava nas paredes das cavernas o que havia 
aprendido na vida de forma a perpetuar sua sabedoria. Boa parte do seu 
conhecimento era passada entre gerações através de lendas e músicas, 
permanecendo assim por muitas gerações. 
 
Um exemplo disso ocorreu em 1883, quando um dos maiores vulcões do 
planeta, o Krakatoa, na ilha de Sumatra, na Oceania, entrou em erupção, 
provocando a morte de 37.000 pessoas. Este número só não foi maior porque 
grande parte da população da ilha correu para lugares altos assim que a 
atividade vulcânica aumentou e, assim, não foram mortos pelo gigantesco 
tsunami de 40m de altura que se formou. Como eles sabiam disso, pois só 
hoje sabemos que a erupção anterior aconteceu 200 anos antes? É porque 
existe uma lenda na ilha de Sumatra, conhecida por seus habitantes, que 
quando o monstro acorda, ele só perdoa aqueles que vivem em lugares altos. 
Uma forma inteligente e antiga de se repassar conhecimento. 
 
Com o passar dos anos, vivemos a revolução na agricultura (primeira onda), 
que nos fez deixar de ser nômades e dominar o cultivo, nos fixando a terra e 
daí criando as cidades e países na forma que hoje existem. Era uma 
 
 9 
sociedade na qual não havia hora fixa para iniciar e terminar as tarefas, cada 
camponês chegava em sua plantação, sabia o que iria fazer, determinava os 
seus intervalos (alimentação, almoço, etc.), concluía a sua tarefa e voltada 
para a sua casa, iniciando o mesmo processo no dia seguinte. 
Posteriormente, veio a revolução industrial (segunda onda) que, a princípio, 
parecia que acabaria com os empregos e na verdade foi o grande 
impulsionador. Era uma sociedade com \u201chora marcada\u201d para iniciar e terminar 
a tarefa, os intervalos eram programados, as faltas registradas e, de acordo 
com o aumento ou diminuição do trabalho (produção), eram chamadas mais 
pessoas ou dispensadas (demitidas).