Extradição
2 pág.

Extradição


DisciplinaDireito Constitucional I66.462 materiais1.534.579 seguidores
Pré-visualização1 página
REQUISITOS MATERIAIS 
Inciso LI DA CF/88 
Único brasileiro que pode ser extraditado é o naturalizado em caso de crime 
comum, praticado antes da naturalização; ou em caso de comprovado envolvimento 
em tráfico ilícito de entorpecentes ou drogas afins. 
Inciso LII da CF/88 
Não será concedida a extradição em caso de crime político ou de opinião. 
 
REQUISITOS FORMAIS 
\u2022 PRINCÍPIO DA RECIPROCIDADE: somente fundamentado em tratado 
internacional ou garantido igualdade de tratamento ao Brasil; 
 
\u2022 INCOMPETÊNCIA DA LEI BRASILEIRA: Brasil incompetente para julgar, não 
tenha sido iniciado o processo no Brasil ou o crime cometido no território do 
requerente; 
 
\u2022 MANDADO DE PRISÃO: mandado de prisão ou título penal condenatório 
espedido pelo requerente; 
 
\u2022 DUPLA TIPICIDADE: deve haver tipicidade penal igualmente puníveis nos dois 
Estados; 
 
\u2022 PRESCRIÇÃO: não pode estar prescrito nos dois Estados; 
 
\u2022 CRIME POLÍTICO: em regra não há extradição, exceto se o crime político for 
conjunto a um crime comum, sendo este último o principal; 
 
\u2022 TRIBUNAL DE EXECUÇÃO: não sujeição do extraditando a tribunal ou juízo de 
execução; 
 
\u2022 PENA DO CRIME: não resultar em pena igual ou inferior a dois anos de prisão; 
 
 
\u2756 COMPROMISSO FORMAL DO REQUERENTE 
 
1. DETRAÇÃO PENAL: computar o tempo de prisão cumprido no Brasil por força da 
extradição; 
 
2. VEDAÇÃO DE PENA CORPORAL, PERPÉTUA OU DE MORTE: É vedada a 
extradição em que a lei estrangeira resultar nessas penas, respeitado o limite 
máximo de 30 anos de detenção da lei brasileira; exceto quando a lei do Brasil 
autoriza; (caso de guerra declarada, nos termos do art. 84, XIX) 
 
3. MOTIVOS POLÍTICOS: Vedado agravamento da pena por motivos políticos; 
 
4. REEXTRADIÇÃO: não se deve efetuar a reextradição a outro Estado sem o 
consentimento do Estado brasileiro; 
 
5. TORTURA: não submeter o extraditando a tortura ou quaisquer outros tratamentos 
cruéis, desumanos ou degradantes; 
 
6. FATO ANTERIOR A EXTRADIÇÃO: Não submeter o extraditando a prisão ou 
processo por fato anterior ao pedido de extradição, ou seja, deve-se processar 
somente pelos fatos expostos no pedido de extradição. 
 
QUANDO HOUVER MAIS DE UM ESTADO REQUERENTE 
(REGULAMENTADO PELA LEI DE MIGRAÇÃO) 
\u2756 QUANDO O FATO, OBJETO DO PEDIDO, FOR O MESMO ENTRE OS 
REQUERENTES: a preferência será dada àquele cujo fato tenha sido 
praticado em seu território; 
 
\u2756 QUANDO O FATO, OBJETO DO PEDIDO, FOR DIFERENTE ENTRE OS 
ESTADOS REQUERENTES: sucessivamente 
1. Em cujo território ocorreu a infração mais grave, conforme a lei 
brasileira; 
2. Aquele que tenha entrado primeiro com o pedido de extradição; 
3. Território de origem, ou em falta, o de domicílio do extraditando. 
4. Em caso de hipótese não regulamentada, o órgão competente do 
Poder Executivo irá decidir, dando preferência ao Estado que 
mantiver com o Brasil tratado de extradição.