Regimes de cumprimento de pena
2 pág.

Regimes de cumprimento de pena


DisciplinaDireito Penal I79.689 materiais1.343.768 seguidores
Pré-visualização1 página
REGIMES DE CUMPRIMENTO DE PENA 
 
A pena privativa de liberdade é meio de punição e 
ressocialização do transgressor, de modo que toda pessoa \u2013 
imputável - que praticar um crime se sujeitará a uma 
determinada pena pelo período previsto no tipo penal 
respectivos. Vale dizer, que a pena sempre será temporária, 
não podendo ultrapassar 30 anos. Uma vez imposta a pena 
privativa de liberdade (reclusão ou detenção), deverá o juiz 
fixar o regime inicial para cumprimento desta, tendo por 
critério principal o quanto de pena aplicada ao condenado. 
ART. 33 ,CP 
A pena de reclusão deve ser cumprida em regime 
fechado, semiaberto ou aberto. A de detenção, em regime 
semiaberto, ou aberto, salvo necessidade de transferência a 
regime fechado. 
§ 2º - As penas privativas de liberdade deverão ser 
executadas em forma progressiva, segundo o mérito do 
condenado, observados os seguintes critérios e ressalvadas 
as hipóteses de transferência a regime mais rigoroso: 
a) o condenado a pena superior a 8 (oito) anos deverá 
começar a cumpri-la em regime fechado; 
b) o condenado não reincidente, cuja pena seja superior a 4 
(quatro) anos e não exceda a 8 (oito), poderá, desde o 
princípio, cumpri-la em regime semiaberto; 
c) o condenado não reincidente, cuja pena seja igual ou 
inferior a 4 (quatro) anos, poderá, desde o início, cumpri-la 
em regime aberto. 
 
FECHADO 
O REGIME FECHADO consiste na permanência na 
penitenciária por tempo integral, tendo a faculdade de poder 
trabalhar internamente durante o dia e repousar à noite. 
 
SEMIABERTO 
 
O REGIME SEMIABERTO, para o legislador, consiste na 
possibilidade de o preso ser transferido da penitenciária para 
uma colônia penal agrícola ou industrial, durante o dia, 
retornando à penitenciária à noite. 
Hoje, na prática, o preso tem uma prisão própria para tal 
regime e são-lhe oferecidas vagas de emprego da iniciativa 
privada, de modo que o preso sai durante o dia para trabalhar 
e retorna à penitenciária à noite. 
 
ABERTO 
 
O REGIME ABERTO, para o legislador, reside na hipótese 
em que o condenado teria autonomia durante o dia e passaria 
a noite e feriados em uma casa de albergado (local específico, 
no qual lhe seria oferecido cursos e palestras). 
No entanto, na prática, o preso tem, geralmente, 
autonomia plena: fica em liberdade, computando-se o 
cumprimento de sua pena, observada, todavia, a possibilidade 
de fixação de proibição de alguns comportamentos.