A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
Recursos em espécie

Pré-visualização | Página 2 de 9

no próprio Tribunal ou em primeiro grau, intimando as partes, 
prosseguindo o julgamento após 
 
 
Julgamento do Recurso de Apelação 
 
1) votam três juízes e o resultado é obtido por maioria; 
2) são votadas primeiramente as questões referentes à admissibilidade do recurso, 
havendo mais de uma, cada uma será votada separadamente; 
3) cada um dos fundamentos do recurso são votados separadamente; 
4) são proferidos os votos e anunciado o resultado; 
5) o acórdão é redigido pelo relator ou, se este for vencido, pelo juiz que proferiu o primeiro 
voto vencedor. 
6) se o acórdão não unânime reformar a sentença, no mérito, caberá ainda um reexame 
desse acórdão por outros três juízes, dando a oportunidade de reforma do acórdão (art. 
942, CPC) 
 
Apelação contra a Sentença que indeferiu a inicial 
1) há extinção antes da citação do réu; 
2) havendo recurso o juiz tem o prazo de 5 dias para retratar-se; 
- havendo retratação: o réu é citado para o prosseguimento normal do processo; 
- não havendo retratação: o réu é citado para apresentar contrarrazões, após é determinada 
a subida dos autos 
 
Apelação contra a Sentença de Improcedência de plano 
1) o juiz julga totalmente improcedente o pedido do autor antes de citar o réu; 
2) o autor interpõe recurso de apelação e o juiz tem o prazo de 5 dias para a retratação 
- havendo retratação: a sentença fica sem efeito e o réu é citado para o prosseguimento 
normal do processo; 
- não havendo retratação: o réu é citado para apresentar contrarrazões, após é determinada 
a subida dos autos 
 
APELAÇÃO 
Cabimento Processamento Circunstâncias especiais 
 
É o recurso que cabe contra 
sentença, proferida em qualquer 
tipo de processo, seja definitiva ou 
extintiva. 
Exceções: 
- Sentença que julga embargos à 
execução de pequeno valor, 
contra a qual cabem embargos 
infringentes; 
- Sentença que decreta a falência, 
contra a qual cabe agravo de 
instrumento. 
Permite que as partes postulem, 
como preliminar, ou nas 
contrarrazões, o reexame das 
decisões interlocutórias nas 
preclusas. 
 
A Apelação é apresentada 
perante o juízo a quo, que não 
fará prévio juízo de 
admissibilidade. O apelado 
será intimado para as 
contrarrazões, em quinze dias. 
No Tribunal, haverá um relator, 
que tomará as providências 
estabelecidas no artigo 932, 
CPC. 
- Há preparo. 
- Contra a sentença de indeferimento 
da inicial, cabe apelação que permite 
ao juiz exercer direito de retratação. 
Se ele mantiver a sentença, 
determinará a citação do réu para as 
contrarrazões e a remessa dos autos 
para à instância superior. 
- Nos demais casos de extinção sem 
resolução do mérito (art. 485), 
também haverá direito de retratação. 
- Contra a sentença de improcedência 
de plano (art. 332), a apelação 
permitirá a retratação do juiz, e, se a 
sentença for mantida, o réu será 
citado para apresentar contrarrazões. 
 
AGRAVO DE INSTRUMENTO 
Artigo 1.015 e ss 
 
Conceito: recurso cabível, em primeira instância, contra decisões interlocutórias que 
versem sobre as matérias enumeradas no art. 1.015, I a XIII e parágrafo único do CPC. 
(requisito de admissibilidade) 
 
Decisões interlocutórias: pronunciamentos de cunho decisório que não põem fim ao 
processo ou à fase cognitiva do processo de conhecimento. 
 
 A maior parte das decisões interlocutórias não é recorrível em separado, por meio 
de Recurso de Agravo de Instrumento, e não sofrem os efeitos da preclusão, 
cabendo contra elas a impugnação em preliminar de contestação ou contrarrazões. 
 
Art. 1.015. Cabe agravo de instrumento contra as decisões interlocutórias que versarem 
sobre: 
I - tutelas provisórias; 
II - mérito do processo; 
III - rejeição da alegação de convenção de arbitragem; 
IV - incidente de desconsideração da personalidade jurídica; 
V - rejeição do pedido de gratuidade da justiça ou acolhimento do pedido de sua revogação; 
VI - exibição ou posse de documento ou coisa; 
VII - exclusão de litisconsorte; 
VIII - rejeição do pedido de limitação do litisconsórcio; 
IX - admissão ou inadmissão de intervenção de terceiros; 
X - concessão, modificação ou revogação do efeito suspensivo aos embargos à execução; 
XI - redistribuição do ônus da prova nos termos do art. 373, § 1o; 
XII - (VETADO); 
XIII - outros casos expressamente referidos em lei. 
Parágrafo único. Também caberá agravo de instrumento contra decisões interlocutórias 
proferidas na fase de liquidação de sentença ou de cumprimento de sentença, no processo 
de execução e no processo de inventário. 
 
 
 
 
Processamento e julgamento do Agravo de Instrumento 
 
1) único recurso interposto diretamente perante o órgão ad quem, para apreciação imediata; 
 
2) é formado um instrumento, com cópias daquilo que é importante, e algumas 
obrigatórias (art. 1.017, CPC), uma vez que o processo ainda tramita no órgão a quo 
 
3) interposto por petição, no prazo de 15 dias; se uma das peças obrigatórias não existir, 
deve ser acrescentada declaração de inexistência feita pelo advogado do agravante. O 
Tribunal não conhecerá do Agravo se as peças juntadas não lhe permitirem compreendê-
lo e julgá-lo 
 
4) a petição de interposição deve obedecer ao artigo 1.016 
 
5) o agravante deve apresentar a decisão que pretende ver reformada e as razões; 
 
6) o preparo deve ser recolhido - 10 UFESP’s + taxa de porte de retorno = R$16,60 por 
volume (se físico), guia FEDT, código 110-4 
 
7) se o processo for físico o agravante deve informar no prazo de 3 dias o juízo a quo da 
interposição, sob pena de não tê-lo conhecido, trata-se de possibilidade de retratação. 
8) o Agravo é distribuído e escolhido um Relator que deverá tomar as providências do artigo 
932, CPC, cabendo a decisão monocrática 
 
9) se o Relator tomar as providências do artigo 932, III, IV e V, CPC não será marcada data 
para julgamento (contrariar Súmulas - o Relator decide monocraticamente, não admitindo 
o recurso, negando-lhe provimento ou dando-lhe provimento) 
 
10) da decisão monocrática do Relator cabe Agravo Interno, no prazo de 15 dias (art. 1.021, 
CPC); 
 
11) o Relator decide se defere ou não efeito suspensivo ao Agravo ou ainda efeito ativo 
(antecipação de tutela da pretensão recursal), contra esta decisão cabe agravo interno 
 
12) o Relator determina a intimação do Agravado para apresentar contrarrazões, no prazo 
de 15 dias 
13) o Relator abre vista ao Ministério Público, nos casos necessários, para manifestação 
em 15 dias 
 
14) o Relator pede dia para julgamento, no prazo máximo de um mês da intimação do 
agravado; 
 
15) o julgamento é proferido por três juízes, por maioria de votos. 
 
Agravo de Instrumento contra decisão interlocutória de mérito 
 
Na hipótese do Artigo 1.015, II, ou seja, decisão interlocutória de mérito, proferida em 
julgamento antecipado parcial de mérito, não sendo unânime a decisão dos três julgadores, 
aplica-se a técnica prevista no artigo 942, caput e § 3º, são três os requisitos: 
1) que a decisão interlocutória seja de mérito, proferida no julgamento antecipado parcial 
da lide; 
2) que o resultado inicial não seja unânime; 
3) que o resultado inicial reforme a decisão interlocutória. 
 
O juízo de retratação: enquanto não julgado o Agravo o juízo a quo poderá retratar-se da 
decisão interlocutória agravada, informando ao Tribunal. 
- se a retratação for total o Agravo será julgado prejudicado; 
- se a retratação for parcial o Agravo será julgado naquilo que remanescer; 
- havendo retratação, a parte contrária poderá interpor novo agravo, obedecendo as 
hipóteses do artigo 1.015, CPC

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.