manual pratico de tecnicas de enfermagem
196 pág.

manual pratico de tecnicas de enfermagem


DisciplinaEnfermagem24.511 materiais185.814 seguidores
Pré-visualização25 páginas
memória remota, recente ou imediata; 
Egocentrismo; Hipervigilância ou hipovigilância; Pensamento inapropriado, baseado 
na irrealidade. 
F.R.: Mudanças fisiológicas; Conflitos psicológicos; Distúrbio do sono; 
Processo de julgamento alterado. 
 
- Proteção alterada 
 
 
166 
 
Reação de pesar antecipada 
 
 Estado no qual o indivíduo sofre, por antecipação, a possibilidade de perdas 
de afetos ou de pessoas queridas, de funções ou parte do corpo, ou de bens materiais. (A) 
C.D.: Verbalização de possibilidade de perda de objetos significativos; 
Expressão de angústia diante da possibilidade da perda; Negação do potencial para 
perda; Culpa; Raiva; Tristeza; Conflitos de sentimentos; Mudanças nos hábitos de 
alimentação; Alterações no padrão de sono; Alterações no nível de atividade; Libido 
alterada; Padrão de comunicação alterado. 
F.R.: Potencial para perda real ou percebida de objeto (a palavra objeto é 
usada no sentido mais amplo incluindo pessoas, bens, trabalho, status, lar, ideais, partes 
e processos do corpo, entre outros); Doença crônica fatal; 
 
 
 
 
 
 
- Recuperação cirúrgica retardada 
- Recusa (especificar) 
- Resposta de alergia ao látex 
 
 
167 
- Resposta disfuncional ao desmame ventilatório 
- Retenção urinária 
- Risco para alteração no vínculo pais/recém-nato, filho. 
- Risco para angústia espiritual 
- Risco para aspiração 
- Risco para comportamento infantil desorganizado 
- Risco para constipação 
- Risco para déficit do volume de líquidos 
- Risco para desenvolvimento alterado 
- Risco para desenvolvimento alterado 
- Risco para desequilíbrio do volume de líquidos 
- Risco para disfunção neurovascular periférica 
- Risco para disrreflexia autonômica 
- Risco para envenenamento 
- Risco para infecção 
- Risco para injúria 
- Risco para injúria no posicionamento perioperatório 
- Risco para integridade da pele prejudicada 
- Risco para intolerância à atividade, 
- Risco para paternidade ou maternidade alterada 
- Risco para resposta de alergia ao látex 
- Risco para síndrome do desuso 
 
 
168 
- Risco para síndrome pós-trauma 
- Risco para solidão 
- Risco para sufocação 
- Risco para temperatura corporal alterada 
- Risco para tensão do papel de cuidador 
- Risco para trauma 
 
 
 
Risco para violência: direcionada a si e aos outros 
 
 Estado no qual o indivíduo apresenta comportamentos que podem ser 
dolorosos para si e/ou para os outros. (M) 
C.D.: Presença de fatores de risco, tais como linguagem corporal - punhos 
cerrados, expressão facial tensa, postura rígida, indicando esforço para controlar-se; 
verbalizações hostis e ameaçadoras, verbalização de ter previamente agredido outros; 
Aumento de atividade motora, caminhar de um lado para outro, demonstrar excitação, 
irritabilidade, agitação; Atos agressivos e manifestos como destruição dirigida a objetos 
no ambiente; Posse de instrumentos agressivos como revólver, faca, munição; Fúria; 
Comportamento autodestrutivo e/ou atos ativos de agressão suicida; Desconfiança dos 
outros, idéia paranóide, desilusão, alucinações; Abuso de drogas ou isolamento; Níveis 
 
 
169 
de aumentados de ansiedade; Temor de si e dos outros; Inabilidade para verbalizar 
sentimentos; Verbalizações repetidas: contínuas queixas, solicitações e demandas; 
Raiva;Baixa auto-estima; Depressão 
 F.R.: idem aos fatores de risco descritos acima. 
 
 
 
 
 
 
- Risco para violência: direcionada aos outros 
Senso-percepção alterada (especificar): visual, auditiva, cinestésica, gustativa, tátil, 
olfativa 
 
 Estado no qual o indivíduo experimenta uma mudança na quantidade ou no 
tipo de estímulos percebidos, acompanha por uma resposta diminuída, exagerada, 
distorcida ou enfraquecida a tais estímulos. 
C.D.: Desorientação no tempo, no espaço ou com pessoas; Abstração 
alterada; Conceptualização alterada; Mudança na habilidade de resolver problemas; 
Mudança verificada ou relatada na acuidade sensorial; Mudança no padrão de 
comportamento; Ansiedade; Apatia; Mudança na resposta usual ao estímulo; 
 Indicação e alteração na imagem corporal; Inquietação; Irritabilidade; 
 
 
170 
Padrões de comunicação alterados; queixas de fadiga; alteração na postura; 
mudança na tensão muscular; respostas inapropriadas; Alucinações. 
F.R.: Estimulação ambiental alterada, excessiva ou insuficiente; Recepção, 
transmissão e/ou integração sensorial alterada; Alterações químicas, endógena 
(eletrolítica) , exógena (drogas, etc.); Estresse psicológico. 
 
 
- Síndrome de interpretação ambiental, comprometida 
- Síndrome de relocação do estresse 
 
Síndrome do trauma de estupro
+
 
 
 Estado no qual o indivíduo é vítima de penetração sexual forçada, violência, 
contra a sua vontade e consentimento. A síndrome traumática, a qual se desenvolve a 
partir deste assalto ou tentativa de assalto, inclui uma fase aguda de desorganização do 
estilo de vida da vítima e um processo prolongado de reorganização deste mesmo estilo. 
C.D.: Reações emocionais (raiva, embaraço, temor de violência física e de 
morte, humilhação, vingança, auto-acusação); mútiplos sintomas físicos (irritabilidade 
 
+ Esta síndrome inclui os três seguimentos subcomponentes: trauma do estupro, reação 
composta e reação silenciosa. No texto, cada um aparece como um diagnóstico distinto. 
 
 
171 
gastrointestinal, desconforto geniturinário, tensão muscular, distúrbio no padrão de 
sono, mudanças no estilo de vida (mudança de residência; pesadelos repetitivos e 
fobias; busca de apoio familiar; busca de apoio no circulo social) . 
 
 
 
 
 
 
 
 
Síndrome pós-trauma 
 
 Estado no qual o indivíduo sofre uma intensa resposta emocional a um evento 
traumático esmagador. (M) 
C.D.: Repetição da experiência de um evento traumático, o qual pode ser 
identificado em atividades cognitivas, afetivas e/ou sensomotoras (surgimento repentino 
de lembranças do passado, pensamentos intrusos, sonhos e pesadelos repetidos, 
excessiva verbalização do evento traumático, verbalização de culpa por ter sobrevivido, 
ou culpa acerca de comportamento requerido para sobreviver; entorpecimento 
psicossocial (interpretação prejudicada da realidade, confusão, dissociação ou amnésia, 
impressão vaga e imprecisa sobre o evento traumático, afeto embotado); estilo de vida 
 
 
172 
alterado (autodestrutividade expressa, por exemplo, através do uso e abuso de drogas, 
tentativa de suicídio ou outra demonstração comportamental, dificuldade em 
relacionamento interpessoal, desenvolvimento de fobia de trauma, fraco controle de 
impulso ou irritabilidade e explosividade). 
F.R.: Desastres, guerras, epidemias, estrupo, assalto, tortura, doença 
catastrófica ou acidente. 
 
 
 
- Tensão do papel de cuidador 
- Termorregulação ineficaz 
- Troca de gases prejudicada 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
173 
 
 
 
TERMINOLOGIA PRÓPRIA DE CADA SISTEMA DO ORGANISMO 
 
Sistema Respiratório 
 
\uf0a8 Aerofagia: deglutição anormal de ar, provocando eructação 
freqüente 
\uf0a8 Anoxia: redução do suprimento de oxigênio nos tecidos 
\uf0a8 Apnéia: parada dos movimentos respiratórios 
\uf0a8 Asfixia: sufocação, dificuldade da passagem do ar 
\uf0a8 Binasal: referente a ambos os campos visuais nasais 
\uf0a8 Cianose: coloração azulada por falta de oxigênio 
\uf0a8 Dispnéia: dificuldade respiratória 
\uf0a8 Estertorosa: respiração ruidosa 
\uf0a8 Expectoração: expelir secreção pulmonar (escarro) 
\uf0a8 Hemoptise: hemorragia de origem pulmonar, escarro com 
sangue 
\uf0a8 Hemotórax: coleção de sangue na cavidade pleural 
 
 
174