Manual de Licitação em Contratos TCU
270 pág.

Manual de Licitação em Contratos TCU


DisciplinaDireito Administrativo IV484 materiais1.272 seguidores
Pré-visualização50 páginas
contratação de serviços. 
Parece-me claro que o estatuto de licitações e contratos não concede ao 
gestor público tão ampla margem para fixação do cronograma de desembolso 
contratual, não podendo os pagamento dissociarem-se do adimplemento 
das parcelas de serviço previstas, a teor do que dispõe o art. 40, inciso xIV, 
da Lei 8.666/1993.
Acórdão 2367/2006 Plenário (Voto do Ministro Relator)
Observe o art. 40, inciso xIV, alínea \u201cb\u201d, da Lei nº 8.666/1993, ao elaborar editais 
de licitação para execução de obras, definindo previamente o cronograma de 
desembolso máximo por período a ser observado na execução do contrato, 
em conformidade com a disponibilidade de recursos financeiros.
Acórdão 210/2006 Plenário
Providencie cronogramas físico-financeiros atualizados, que possibilitem 
visualizar o acompanhamento da programação e a compatibilidade da 
execução contratual ao longo do prazo estipulado para seu término, bem 
assim facilitar a supervisão, em conformidade com o disposto nos arts. 6º, 
inciso Ix, 8º e 67 da Lei nº 8.666/1993.
Decisão 835/2002 Plenário
Tribunal de Contas da União
682
Apure a ocorrência de atrasos na implementação do cronograma físico-
financeiro das obras e serviços de responsabilidade da empresa, aplicando 
as sanções previstas contratualmente.
Decisão 736/2001 Plenário
Noções de despesa pública
Considera-se despesa pública gasto autorizado no orçamento para atendimento 
das finalidades do Estado, isto é, o que pode ser realizado pelo governo.
Nenhuma despesa poderá ser efetivada sem a existência de crédito que a 
comporte ou quando imputada à dotação orçamentária imprópria.
Segundo o disposto no art. 12 da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964, a despesa 
pública será classificada nas seguintes categorias: despesas correntes e despesas de 
capital. Despesas correntes subdividem-se em transferências correntes e de custeio, 
e as de capital, em investimentos, inversões financeiras e transferências de capital.
Despesas de custeio cobrem dotações para manutenção de serviços anteriormente 
criados, inclusive aquelas destinadas ao atendimento de obras de conservação e 
adaptação de bens imóveis, e transferências correntes as relativas a despesas para 
as quais não corresponda contraprestação direta em bens ou serviços.
Investimentos são dotações direcionadas ao planejamento e execução de 
obras, inclusive as destinadas à aquisição de imóveis considerados necessários à 
realização destas e aos programas especiais de trabalho, aquisição de instalações, 
equipamentos e material permanente, constituição ou aumento do capital de 
empresas que não sejam de caráter comercial ou financeiro.
Inversões financeiras são dotações destinadas à aquisição de imóveis ou de 
bens de capital já em utilização, de títulos representativos do capital de empresas 
ou entidades de qualquer espécie, já constituídas, quando a operação não importe 
aumento do capital; constituição ou aumento do capital de entidades ou empresas 
que visem a objetivos comerciais ou financeiros, inclusive operações bancárias ou 
de seguros.
Consideram-se transferências de capital dotações para investimentos ou 
inversões financeiras que outras pessoas de direito público ou privado devam realizar, 
independentemente de contraprestação direta em bens ou serviços, constituindo 
essas transferências auxílios ou contribuições, segundo derivem diretamente da 
Lei de Orçamento ou de lei especialmente anterior, bem assim dotações para 
amortização da dívida pública.
683
Licitações e Contratos - Orientações e Jurisprudência do TCU
Toda despesa pública somente poderá ser realizada se 
tiver autorização prévia do Poder Legislativo e finalidade 
para qual foi autorizada. 
 
É vedada contratação de qualquer despesa cujo custo 
exceda os limites previamente estabelecidos em lei.
Para efeito de classificação e discriminação da despesa, entende-se por: 
programa - instrumento de organização da ação governamental que visa à \u2022	
concretização dos objetivos pretendidos, sendo mensurado por indicadores 
estabelecidos no plano plurianual;
projeto - instrumento de programação para alcançar o objetivo de um \u2022	
programa, envolvendo um conjunto de operações, limitadas no tempo, das 
quais resulta um produto que concorre para expansão ou aperfeiçoamento 
de ação de governo;
atividade - instrumento de programação para alcançar o objetivo de um \u2022	
programa, envolvendo um conjunto de operações que se realizam de modo 
contínuo e permanente, das quais resulta produto necessário à manutenção 
de ação de governo;
operações especiais - despesas que não contribuem para manutenção de \u2022	
ações de governo, das quais não resulta determinado produto, e não geram 
contraprestação direta sob a forma de bens ou serviços.
Gastos com material de consumo, equipamentos e material permanente, obras e 
serviços de terceiros prestados sob qualquer forma, e outros de que a Administração 
Pública se serve para a consecução de seus fins, devem ser devidamente identificados 
pelo elemento de despesa.
Despesa pública compõe-se dos seguintes estágios: 
empenho, liquidação e pagamento.
Tribunal de Contas da União
684
DELIBERAÇÕES DO TCU
É ilegal a previsão de reembolso, pela contratante, de despesas incorridas por 
advogados para acompanhamento de ações judiciais fora do local de prestação 
dos serviços, por envolver uma obrigação financeira de valor desconhecido.
Informe o número de ações judiciais em tramitação fora da capital do estado, 
discriminando-o por comarca, para que as sociedades interessadas possam 
incluir o valor dessas despesas nas respectivas propostas.
Acórdão 486/2007 Plenário (Sumário)
Prive-se de autorizar início de realização de despesa, sem prévio empenho, 
conforme o art. 60, da Lei nº 4.320/1964.
Acórdão 2387/2007 Plenário 
Exima-se de efetuar despesas ligadas a cotas de patrocínio após a promoção 
do evento correspondente.
Acórdão 645/2007 Plenário 
Realize procedimento licitatório somente quando houver disponibilidade 
orçamentária para cobrir a despesa a ser contratada, indicando no respectivo 
edital a dotação orçamentária que cobrirá as mencionadas despesas, nos 
termos do caput do art. 38 Lei nº 8.666/1993.
Acórdão 301/2005 Plenário
Observe o disposto nos arts. 8º, 15, §7º, inciso II; e 23, §§ 1º a 5º da Lei 
nº 8.666/1993, programando a despesa pelo total para todo o exercício 
financeiro, em atenção ao princípio da anualidade do orçamento, evitando 
fracionamentos ilícitos de despesa. 
Acórdão 3373/2006 Plenário
Estabeleça, ao contratar serviços, com a maior exatidão possível a despesa 
total estimada do objeto contratado, a fim de evitar a paralisação ou prejudicar 
as atividades desenvolvidas pelo órgão, em decorrência do esgotamento da 
totalidade dos recursos financeiros destinados à contratação.
Acórdão 3267/2007 Primeira Câmara
Classifique a despesa em subitens adequados, de acordo com o Plano de 
Contas da Administração Federal. 
Acórdão 176/2006 Primeira Câmara
Obedeça à correta classificação orçamentária das despesas realizadas.
Acórdão 818/2008 Segunda Câmara 
685
Licitações e Contratos - Orientações e Jurisprudência do TCU
Observe a Lei nº 4.320/1964 (arts. 62 e 63) e o Decreto nº 93.872/1986 (art. 36), 
por ocasião da execução da despesa nas suas diversas fases, sem descuidar, 
em caso de contratação de prestador de serviço pessoa física, das obrigações 
tributárias (ISS \u2013 Município; e contribuição social - INSS) resultantes dessa 
operação atribuídas ao tomador de serviço, conforme legislação específica, 
Lei Complementar nº 116/2003 (art. 6º) e Manual/SIAFI código 02.11.16.
Acórdão 428//2010 Segunda Câmara
Abstenha-se de realizar despesas em rubricas com valores acima dos 
autorizados no orçamento. 
Acórdão 427/2006