Manual de Licitação em Contratos TCU
270 pág.

Manual de Licitação em Contratos TCU


DisciplinaDireito Administrativo IV484 materiais1.277 seguidores
Pré-visualização50 páginas
com o disposto nos artigos 60, parágrafo único, e 62 da Lei 
nº 8.666/1993.
Acórdão 452/2008 Plenário
Abstenha-se de realizar despesas sem cobertura contratual, procedendo à 
emissão de empenho anteriormente à prestação dos serviços, de forma a não 
contrariar o disposto nos arts. 60, parágrafo único, da Lei nº 8.666/1993, 60 da 
Lei nº 4.320/1964 e 24 do Decreto nº 93.872/1986.
Acórdão 645/2007 Plenário
Abstenha-se de promover a aquisição de bens ou serviços sem cobertura 
contratual, bem assim de celebrar contratos com cláusula de vigência 
retroativa, caracterizando a existência de contrato verbal antes de sua 
formalização, por contrariar o disposto no parágrafo único do art. 60 da Lei 
nº 8.666/1993.
Acórdão 25/2007 Plenário
Evite a realização de despesas sem cobertura contratual, por caracterizar 
celebração de contrato verbal, vedada pelo art. 60 da Lei nº 8.666/1993.
Acórdão 3373/2006 Plenário
Abstenha-se de receber produtos ou serviços ou de realizar despesas sem 
cobertura contratual, em respeito ao disposto no parágrafo único do art. 60 
da Lei nº 8.666/1993.
Acórdão 2386/2006 Plenário
Abstenha-se de realizar despesa sem prévio empenho e de efetuar contratações 
verbais, consoante as disposições do parágrafo único do art. 60, parágrafo 
único, da Lei nº 8.666/1993 e do art. 60 da Lei nº 4.320/1964.
Acórdão 195/2005 Plenário
Evite a realização de ajustes verbais com terceiros, em observância à vedação 
do art. 60, parágrafo único, da Lei nº 8.666/1993, mesmo em situações de 
escassez de créditos orçamentários, no sentido de não antecipar a realização 
de serviços sem a existência de acordos formais, como previsto no art. 62 
desse mesmo diploma legal.
Acórdão 93/2004 Plenário
Tribunal de Contas da União
664
Abstenha-se de efetuar aquisição de bens/serviços sem cobertura contratual, 
a fim de não infringir o art. 60, parágrafo único, da Lei nº 8.666/1993.
Decisão 955/2002 Plenário
Abstenha-se de efetuar contratações verbais, devendo existir termo de 
contrato, carta-contrato ou outro documento hábil que dê legitimidade 
jurídica à contratação, nos termos do caput e do § 2º do art. 62 da Lei 
n.º 8.666/1993.
Acórdão 3040/2008 Primeira Câmara 
Abstenha-se de adquirir produtos ou serviços sem cobertura contratual, em 
observância ao princípio da legalidade e ao art. 60, parágrafo único, da Lei 
nº 8.666/1993, que, ressalvados os casos de pequenas compras de pronto 
pagamento, considera nulo e de nenhum efeito o contrato verbal com a 
Administração.
Acórdão 155/2006 Segunda Câmara
Deixe de efetuar aquisições sem cobertura contratual, bem assim solicitar a 
entrega dos bens ou prestação de serviços antes da celebração formal dos 
contratos, em observância ao disposto nos artigos 60, parágrafo único, e 61 
da Lei nº 8.666/1993.
Acórdão 1077/2004 Segunda Câmara (Relação)
ConvoCAção pArA AssinAr o ContrAto
Deve a Administração convocar o interessado para assinar o termo de contrato, 
aceitar ou retirar o instrumento equivalente, dentro do prazo e condições previamente 
estabelecidos no ato convocatório, sob pena de decair o direito à contratação, sem 
prejuízo das sanções previstas na Lei nº 8.866/1993.
Pode ser prorrogado uma vez o prazo de convocação, por igual período, quando 
solicitado pelo interessado durante o transcurso, mediante motivo justificado e 
aceito pela Administração. 
Proponente que se recusar a firmar o contrato, injustificadamente, perderá o 
direito à contratação e estará sujeito às sanções previstas nos arts. 81 da Lei nº 
8.666/1993 e 7º da Lei nº 10.520/2002.
É facultado à Administração, quando o convocado não assinar o termo de 
contrato ou não aceitar ou retirar o instrumento equivalente no prazo e condições 
estabelecidos, convocar os licitantes remanescentes, na ordem de classificação, para 
fazê-lo em igual prazo, ou revogar a licitação.
665
Licitações e Contratos - Orientações e Jurisprudência do TCU
Em licitações nas modalidades concorrência, tomada de preços e convite, quando 
o vencedor não assinar o contrato, aos demais licitantes convocados, na ordem de 
classificação, será ofertada a contratação em condições iguais às oferecidas pelo 
primeiro classificado, inclusive quanto ao preço atualizado. 
No pregão, os licitantes convocados terão por referência o valor da proposta ou 
lance que ofertou, sem prejuízo da negociação prevista no inciso xVII do art. 4º da 
Lei nº 10.520/2002.
Decorridos sessenta dias da data da entrega das 
propostas, sem convocação para a contratação, ficam 
os licitantes liberados dos compromissos assumidos.
DELIBERAÇÕES DO TCU
Não se admite a recusa do adjudicatário em celebrar o contrato para o qual se 
candidatou, sob pena das sanções previstas em lei; no entanto, a convocação 
fora do prazo de sessenta dias da data da apresentação das propostas, sem que 
tenha havido prorrogação expressa do referido prazo por parte das licitantes, 
as libera dos compromissos assumidos, nos estritos termos do § 3º do art. 64 
da nº Lei nº 8.666/1993.
Acórdão 2167/2008 Plenário (Sumário)
É indevida a assinatura de contrato após transcorrido prazo que inviabilize a 
verificação da adequabilidade das condições propostas no certame.
Acórdão 1317/2006 Plenário (Sumário)
Observe, quando do exame das propostas após a fase de lances, de modo que 
o pregoeiro convoque, via sistema (chat), tão-somente a empresa classificada 
em primeiro lugar, sendo que, na hipótese de não-aceitação de tal proposta 
ou inabilitação da respectiva licitante, após os correspondentes lançamentos 
no sistema, somente nesse momento estará autorizado a convocar a proposta 
subseqüente, e assim sucessivamente, evitando-se, desta forma, a convocação 
simultânea de outras licitantes, à vista do disposto no § 5° do art. 25 do Decreto 
n° 5.450/2005.
Acórdão 168/2009 Plenário 
A primeira irregularidade suscitada (...) diz respeito a possível violação ao 
art. 7º da Lei nº 10.520/2002, (...) quando da imputação da penalidade de 
Tribunal de Contas da União
666
impedimento de licitar e contratar à representante, em razão da ausência de 
convocação da empresa para assinatura do contrato. Segundo a representante, 
por não ter havido convocação formal da interessada para celebrar a avença, 
consoante preconiza o referido dispositivo legal, indevida seria a sanção, eis 
que não teria havido recusa em firmar o ajuste.
Em homenagem à clareza, transcrevo a seguir a íntegra do artigo 
mencionado:
Art. 7º Quem, convocado dentro do prazo de validade da sua proposta, 
não celebrar o contrato, deixar de entregar ou apresentar documentação 
falsa exigida para o certame, ensejar o retardamento da execução de 
seu objeto, não mantiver a proposta, falhar ou fraudar na execução 
do contrato, comportar-se de modo inidôneo ou cometer fraude fiscal, 
ficará impedido de licitar e contratar com a União, Estados, Distrito 
Federal ou Municípios e, será descredenciado no Sicaf, ou nos sistemas de 
cadastramento de fornecedores a que se refere o inciso XIV do art. 4º desta 
Lei, pelo prazo de até 5 (cinco) anos, sem prejuízo das multas previstas em 
edital e no contrato e das demais cominações legais.
Consoante se verifica, o art. 7º da Lei do Pregão relaciona diferentes condutas 
que podem configurar infração por parte dos licitantes nas contratações 
realizadas nessa modalidade. Na realidade, o elenco refere-se não apenas a 
condutas praticadas na contratação, mas também no curso do certame e, até 
mesmo, durante a execução do contrato.
Entre essas condutas, a Lei prevê a possibilidade de aplicação de sanção ao 
licitante que, convocado dentro do prazo de validade da proposta, deixar de 
celebrar o contrato respectivo. O substrato material dessa infração consiste