Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal
103 pág.

Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.928 materiais16.535 seguidores
Pré-visualização26 páginas
que ocorreu na Dilma \u2013 os bancos federais pagaram várias despesas de governo sem receber qualquer repasse ,caracterizando indiretamente uma operação de crédito.
Q882085 O montante das obrigações financeiras de ente federativo decorrentes da aquisição de bens móveis financiados em prazo superior a doze meses deverá ser enquadrado em (...)
CORRETO = OPERAÇÃO DE CRÉDITO. (Note que no inciso dele tem lá \u201caquisição financiada de bens\u201d)
IV - concessão de garantia: compromisso de adimplência de obrigação financeira ou contratual assumida por ente da Federação ou entidade a ele vinculada;
V - refinanciamento da dívida mobiliária: emissão de títulos para pagamento do principal ACRESCIDO da atualização monetária.
É a rolagem da dívida mobiliaria = emitir novos títulos para pagar novos títulos. Este refinanciamento da dívida mobiliaria sera demonstrado na LOA (ver a seção de LOA da LRF que ela diz isso.
Limites das dívidas públicas
Dívida Mobiliária: União = Congresso nacional (por LEI) / Resto dos entes = Senado (por resolução)
Dívida Consolidada: Todo mundo no Senado. (por resolução)
CN com sansão: 
- XIV -  moeda, seus limites de emissão, E MONTANTE DA DÍVIDA MOBILIÁRIA FEDERAL;
SENADO
- IX -  estabelecer limites globais e condições para o MONTANTE DA DÍVIDA MOBILIÁRIA dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios
-V -  autorizar operações externas de natureza financeira, de interesse da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios;
- VI -  FIXAR, por proposta do Presidente da República, limites globais para o montante da dívida consolidada da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
- VII -  dispor sobre limites globais e condições para as operações de crédito externo e interno da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, de suas autarquias e demais entidades controladas pelo poder público federal;
- VIII -  dispor sobre limites e condições para a concessão de garantia DA UNIÃO em operações de crédito externo e interno;
Resolução nº 40/SF de 2001 - Limites da dívida consolidada líquida: Estados e DF: 200% da RCL / Municípios: 120 % da RCL
Resolução nº 48/SF de 2007 - Limites para operações de crédito da União: 60% da RCL 
Limites para concessão de garantia por parte da União: 60% da RCL
Q563751 É competência do Congresso Nacional estabelecer, mediante decreto legislativo, e observados os parâmetros indicados em proposta do presidente da República, os limites globais para a dívida pública consolidada da União, dos estados e dos municípios, cuja verificação será realizada ao final de cada exercício financeiro.
FALSO. Consolidada o Congresso apenas fixa a da UNIÃO, o resto dos entes é o Senado.
I) Consolidada: CN fica com a da União e Senado com o resto. Mobiliária fica tudo no Senado. 
Art. 60. Lei ESTADUAL ou MUNICIPAL PODERÁ FIXAR LIMITES inferiores àqueles previstos nesta Lei Complementar para as dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito e concessão de garantias.
Limites inferiores podem porque seria tornar MAIS RÍGIDO.
Note que nada se fala da UNIÃO.
Art. 30. No prazo de 90 dias após a publicação desta Lei Complementar, o Presidente da República submeterá ao:
I - Senado Federal: PROPOSTA de limites globais para o montante da dívida consolidada da União, Estados e Municípios, cumprindo o que estabelece o inciso VI do art. 52 da Constituição, bem como de limites e condições relativos aos incisos VII, VIII e IX do mesmo artigo;
II - Congresso Nacional: PROJETO DE LEI que estabeleça limites para o montante da dívida mobiliária FEDERAL a que se refere o inciso XIV do art. 48 da Constituição, acompanhado da demonstração de sua adequação aos limites fixados para a dívida consolidada da União, atendido o disposto no inciso I do § 1o deste artigo.
§ 1o As propostas referidas nos incisos I e II do caput e suas alterações CONTERÃO:
I - demonstração de que os limites e condições guardam coerência com as normas estabelecidas nesta Lei Complementar e com os objetivos da política fiscal;
II - estimativas do impacto da aplicação dos limites a cada uma das três esferas de governo;
III - razões de eventual proposição de limites diferenciados por esfera de governo;
IV - metodologia de apuração dos resultados primário e nominal.
Q371902 Se o presidente da República pretender modificar os limites globais para o montante da dívida pública consolidada, deverá enviar proposta ao Poder Legislativo que contenha a metodologia de apuração dos resultados primário e nominal
§ 2o As propostas mencionadas nos incisos I e II do caput TAMBÉM PODERÃO ser apresentadas em termos de dívida LÍQUIDA, evidenciando a forma e a metodologia de sua apuração.
§ 3o Os limites de que tratam os incisos I e II do caput serão fixados em percentual da RECEITA CORRENTE LÍQUIDA para cada esfera de governo e aplicados igualmente a todos os entes da Federação que a integrem, constituindo, para cada um deles, limites máximos.
§ 4o Para fins de verificação do atendimento do limite, a apuração do montante da dívida consolidada será efetuada ao final de cada QUADRIMESTRE.
§ 5o No prazo previsto no art. 5o, o Presidente da República enviará ao Senado Federal ou ao Congresso Nacional, conforme o caso, proposta de manutenção ou alteração dos limites e condições previstos nos incisos I e II do caput.
§ 6o Sempre que alterados os fundamentos das propostas de que trata este artigo, em razão de instabilidade econômica ou alterações nas políticas monetária ou cambial, O PRESIDENTE DA REPÚBLICA PODERÁ encaminhar ao Senado Federal ou ao Congresso Nacional solicitação de revisão dos limites.
Q355794 Sempre que forem alterados os fundamentos das políticas monetária ou cambial em razão de instabilidade econômica, o presidente da República, em atendimento aos dispositivos constitucionais vigentes, poderá encaminhar ao Congresso Nacional proposta de revisão dos limites globais para o montante da dívida consolidada da União, dos estados e dos municípios
FALSO. Dois erros
I) Se ele trata de limite para dívida consolidada da união, estados e municípios é competência do SENADO e não do congresso.
II) Não é \u201csempre que alterado os fundamentos da política monetária\u201d e sim sempre que alterada os fundamentos da proposta do PR sobre os limites, EM RAZÃO DE mudanças nas políticas monetária ou cambial, o PR vai poder encaminhar uma SOLICITAÇÃO de revisão dos limites (e não \u201cproposta para a revisão\u201d)
§ 7o Os precatórios judiciais NÃO PAGOS durante a execução do orçamento em que houverem sido incluídos integram a dívida consolidada, para fins de aplicação dos limites.
Recondução da DÍVIDA ao limite
LIMITE DE ALERTA: 90% o TC alerta o Ente. 
NÃO TEM LIMITE PRUDENCIAL: Nada acontece quando a dívida chega em 95% do limite.
SE EXTRAPOLAR O LIMITE DA DIVIDA.
Art. 31. Se a dívida CONSOLIDADA de um ente da Federação ultrapassar o respectivo limite ao final de um QUADRIMESTRE, deverá ser a ele reconduzida até o término dos 3 subsequentes, reduzindo o excedente em pelo menos 25% no primeiro.
CUIDADO:
- Reconduzir o excesso de despesa de pessoal era 2 quadrimestres, reduzindo 1/3 no primeiro.
-reconduzir DIVIDA ao limite é 3 quadrimestres, reduzindo 25% no primeiro.
Art. 66. Os prazos estabelecidos nos arts. 23, 31 e 70 SERÃO DUPLICADOS no caso de crescimento real baixo ou negativo do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, regional ou estadual por período igual ou superior a 4 trimestres.
§ 5o As normas deste artigo serão observadas nos casos de descumprimento dos limites da dívida mobiliária e das operações de crédito internas e externas.
Ou seja, dívida mobiliária e limites para operações de crédito interna e externas também serão controladas!
§ 1o Enquanto perdurar o excesso, o ente que nele houver incorrido:
I - ESTARÁ PROIBIDO de realizar operação de crédito interna ou externa, inclusive por antecipação de receita, RESSALVADO o refinanciamento do principal atualizado da dívida mobiliária;
II