Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal
103 pág.

Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.574 seguidores
Pré-visualização26 páginas
poder aquisitivo referida no inciso IV do caput do art. 7º da Constituição Federal.
§ 1º As vedações previstas nos incisos I, III e VI do caput, quando descumprido qualquer dos limites individualizados dos órgãos elencados nos incisos II, III e IV do caput do art. 107 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, APLICAM-SE AO CONJUNTO DOS ÓRGÃOS REFERIDOS EM CADA INCISO.
Q883457 Se o Senado Federal ultrapassar o limite individualizado de despesas definido pelo novo regime fiscal, a Câmara dos Deputados ficará proibida de promover alteração na estrutura de suas carreiras que implique aumento de despesa até o final do exercício em que as despesas do Senado Federal retornarem aos respectivos limites.
CORRETO. Note que é um dos incisos em que a proibição ESTENDE AO CONJUNTO DE ÓRGÃOS. Se o senado ultrapassou seu limite , os inciso I / III / VI vão se aplicar A TODOS \u2013 Senado + Câmara + TCU
Disposições preliminares
Antecedentes que influenciaram a edição da LRF (que só veio em 2000)
Internacionais: Fiscal Responsability Act (Nova Zelândia, 1994); Budget Enforcement Act \u2013 BEA (EUA, 1990); Tratado de Maastricht (CE, 1992) 
Nacionais: Lei Camata I (LC nº 82, de 1995), Lei Camata II (LC nº 96, de 1999)
Art. 1o Esta Lei Complementar estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal, com amparo no Capítulo II do Título VI da Constituição.
A LRF é um conjunto de \u201cboas práticas\u201d para as finanças públicas.
Q792378 Um dos objetivos da LRF é fixar normas que estimulem a responsabilidade na gestão orçamentária.
FALSO. É para estimular a responsabilidade na gestão FISCAL. 
§ 1o A RESPONSABILIDADE NA GESTÃO FISCAL pressupõe a ação planejada e transparente, em que se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas, mediante o CUMPRIMENTO DE METAS de resultados entre receitas e despesas e a OBEDIÊNCIA a limites e condições no que tange a renúncia de receita, geração de despesas com pessoal, da seguridade social e outras, dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito, inclusive por antecipação de receita, concessão de garantia e inscrição em Restos a Pagar.
- Ação planejada e transparente para prevenir riscos e corrigir desvios capazes de afetar as contas públicas.
- Cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas
- Obediência a limites e condições: 
 Renuncia de receitas
 Geração de despesas com pessoal
 Seguridade social e outras
 Dívidas consolidada e mobiliária 
 Operações de crédito inclusive por ARO
 Concessão de garantia 
 Inscrição em RP.
Q359844 A concessão de garantias dadas pela União em operações de crédito realizadas por entes subnacionais da Federação integra os riscos a serem prevenidos pela gestão fiscal responsável
Q133257 A garantia de equilíbrio nas contas mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas, com limites e condições para a renúncia de receita e para a geração de despesas, é um dos principais objetivos da Lei de Responsabilidade Fiscal
Q571813 Caracterizam a gestão fiscal responsável o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas e a obediência a limites e condições relacionados a renúncia de receita e a geração de despesas com pessoal, inclusive com a seguridade social.
§ 2o As disposições desta Lei Complementar OBRIGAM a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios.
TODA a administração pública SALVO as estatais independentes. 
§ 3o Nas referências:
I - à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, ESTÃO COMPREENDIDOS:
a) o Poder Executivo, o Poder Legislativo, neste abrangidos os Tribunais de Contas, o Poder Judiciário e o Ministério Público;
Note que para a LRF, o Tribunal de Contas FAZ PARTE DO LEGISLATIVO (naquele ROL de limites de gastos, se perguntar o limite do TC é para considerar como limite do LEGISLATIVO)
Ministério público está SIM abrangido pela LRF 
b) as respectivas administrações diretas, fundos, autarquias, fundações e empresas estatais DEPENDENTES;
Q893268 As regras de responsabilidade fiscal vigentes para estados e municípios são igualmente aplicáveis para as empresas estatais dependentes.
CORRETO. Lembrar que só as estatais INDEPENDENTES é que não precisa seguir as regras da LRF.
II - a Estados entende-se considerado o Distrito Federal;
DF vai ser considerado com Estado (se perguntar limite de gastos para o DF, aplica o limite dos Estados)
III - a Tribunais de Contas estão incluídos: Tribunal de Contas da União, Tribunal de Contas do Estado e, quando houver, Tribunal de Contas dos Municípios e Tribunal de Contas do Município.
Definições
Art. 2o Para os efeitos desta Lei Complementar, entende-se como:
I - ente da Federação: a União, cada Estado, o Distrito Federal e cada Município;
II - empresa controlada: sociedade cuja maioria do capital social COM DIREITO A VOTO pertença, direta ou indiretamente, a ente da Federação;
Q643343 Integra a administração indireta municipal, como empresa controlada, a sociedade empresária de cuja maioria das ações o município seja titular, ainda que não tenha direito a voto. 
FALSO direito a voto é obrigatório, o controle é que pode ser direto ou indireto.
Q91080 Considere que um ente federativo tenha adquirido 70% da empresa A e que a empresa A possua 80% do patrimônio da empresa B. Assim, para os efeitos da LRF, a empresa B é uma empresa controlada indiretamente pelo ente federativo
CORRETO. Considera empresa controlada aquela que a maioria do capital pertença direta OU INDIRETAMENTE.
III - empresa estatal dependente: empresa CONTROLADA que receba do ente controlador recursos financeiros para pagamento de despesas com pessoal ou de custeio em geral OU DE CAPITAL, excluídos, no último caso, aqueles provenientes de aumento de participação acionária;
- Recursos para pagamento de despesas com pessoal ou custeio NÃO TEM RESSALVA \u2013 se recebeu vai ser estatal dependente. 
- Recursos para pagamento de despesas de capital TEM RESSALVA- se foi para aumento de participação acionária isso não torna a empresa estatal dependente.
Q874841 Para efeito das normas de responsabilidade fiscal, uma empresa estatal pode ser caracterizada como dependente sem constituir uma empresa controlada.
FALSO. Toda estatal dependente será necessariamente controlada, mas nem toda controlada será estatal dependente. 
Q872034 O conceito legal de empresa estatal dependente inclui todas as empresas estatais controladas.
FALSO. Toda estatal dependente será necessariamente controlada, mas nem toda controlada será estatal dependente.
Q558586 São empresas estatais dependentes, as controladas por qualquer ente da Federação que recebam recursos para investimentos que não decorram de aportes para aumento do capital social.
CORRETO. A questão afirma que é uma empresa controlada. Agora precisamos analisar o recurso que ela recebe a torna dependente ou não.
I) Se for uma receita de capital, se for aporte de capital não a torna dependente. Como é uma receita para investimentos, que não decorre aporte de capital, logo é dependente sim. 
RCL
RECEITAS CORRENTES 
(-) Transferências Constitucionais e Legais (Fundo de participação dos Estados e Municípios)
(-) Contribuições para o RGPS 
(-) Contribuições para o RPPS 
(-) Contribuições para o PIS/PASEP 
(-) Compensação entre regimes de previdência (Quando um servidor estadual passa a ser servidor federal , parte do que ele contribuiu com o RPPS do estado vai ser transferido para o RPPS da União).
(- ou +) Lei Complementar nº 87 (Compensação da União de ICMS aos Estados. JÁ ACABOU essa compensação. A união pagava aos estados uma compensação, pois ela ofereceu isenção de ICMS a algumas empresas)
(- ou +) FUNDEB (Na união ele reduz, nos entes que recebem entra somando)
(=) Receita Corrente Líquida
Q313732 Receita intraorçamentárias NÃO ENTRAM NA RCL
Q868555 As transferências recebidas de outros entes não integram a receita corrente