Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal
103 pág.

Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.564 seguidores
Pré-visualização26 páginas
Q68695 Nos termos da legislação em vigor, a instituição, previsão e efetiva arrecadação de todos os tributos da competência constitucional de cada ente da Federação é obrigatória
FALSO. Note que a LRF não diz que é obrigação, mas sim que é um requisito essencial de responsabilidade na gestão fiscal. A previsão constitucional é que os entes \u201cPODEM\u201d instituir impostos de sua competência. Nem mesmo a própria CF obriga que os entes federativos instituam impostos.
Parágrafo único. É vedada a realização de transferências voluntárias para o ente que não observe o disposto no caput, no que se refere aos IMPOSTOS.
É requisito de responsabilidade ele Instituir + Prever + Arrecadas seus TRIBUTOS (TRIBUTOS é o gênero).
MAS A ÚNICA ESPÉCIE de tributos que veda as transferências voluntárias são os IMPOSTOS.
SALVO: Art. 25 § 3º Para fins da aplicação das sanções de suspensão de transferências voluntárias constantes desta Lei Complementar, excetuam-se aquelas relativas a ações de educação, saúde e assistência social.
Vai poder receber transferências voluntárias sim se for para saúde, educação e assistência social. 
Q354972 A União deixará de cumprir requisito essencial da responsabilidade fiscal, no que se refere a sua receita, se não instituir, prever e efetivamente arrecadar o imposto sobre grandes fortunas.
CORRETO. Imposto sobre grandes fortunas é competência constitucional da União!
Q893270 O município que deixar de arrecadar parcela do imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana ficará proibido de receber transferências voluntárias da União. 
CORRETO. Imposto SIM, tributo NÃO.
O fato de um município não ter instituído o imposto sobre serviços de qualquer natureza (ISSQN) o impede de receber transferências voluntárias da União.
CORRETO. Coloquei essa aqui para mostrar que o CESPE CONSIDEROU O VIA DE REGRA - Ele não considerou a ressalva que se faz de poder SIM receber transferência voluntária se for para saúde , educação ou assistência social.
Art. 12. AS PREVISÕES DE RECEITA observarão as normas técnicas e legais, considerarão os efeitos das alterações na legislação, da variação do índice de preços, do crescimento econômico ou de qualquer outro fator relevante e serão acompanhadas de demonstrativo de sua evolução NOS ÚLTIMOS 3 ANOS, da PROJEÇÃO para os 2 seguintes àquele a que se referirem, e da metodologia de cálculo e premissas utilizadas.
Q872028 É vedado ao Poder Executivo, para efeito de projeção das receitas orçamentárias, aplicar índices de reajustes de preços sobre as séries históricas de arrecadação.
FALSO. Um dos fatores que sera considerado na previsão da receita é justamente a variação do índice de preços!
I) Projeção da receita= Base de Cálculo x índice de preço x índice de quantidade x efeito
§ 1o Reestimativa de receita por parte do Poder Legislativo só será admitida se comprovado erro ou omissão de ordem técnica ou legal.
Q90702 O Poder Legislativo de cada ente não pode reestimar a receita prevista na proposta orçamentária encaminhada pelo Poder Executivo, salvo em caso de guerra, comoção intestina ou calamidade pública. 
FALSO. Somente por omissão de ordem técnica ou legal.
§ 2o O montante previsto para as receitas de operações de crédito não poderá ser superior ao das despesas de capital constantes do projeto de lei orçamentária.                (Vide ADIN 2.238-5)
A CF permite que ele ultrapasse.  
CF Art. 167 III -  a realização de operações de créditos que excedam o montante das despesas de capital, ressalvadas as autorizadas mediante créditos suplementares ou especiais com finalidade precisa, aprovados pelo Poder Legislativo por maioria absoluta;
§ 3o O Poder Executivo de cada ente colocará à disposição dos demais Poderes e do Ministério Público, no mínimo 30 dias antes do prazo final para encaminhamento de suas propostas ORÇAMENTÁRIAS, os estudos e as estimativas das receitas para o exercício subsequente, inclusive da corrente líquida, e as respectivas memórias de cálculo.
Agora inclui também as Defensorias Públicas. 
E CUIDADO com esses prazos, a referência é 30 dias antes de ENCAMINHAR as propostas ao Executivo para ele consolidar os orçamentos (e não o prazo para o Legislativo votar) - ele é previsto na LDO geralmente. 
Art. 13. No prazo previsto no art. 8o, as receitas previstas serão DESDOBRADAS, pelo Poder Executivo, em METAS BIMESTRAIS DE ARRECADAÇÃO, com a especificação, em separado, quando cabível, das medidas de combate à evasão e à sonegação, da quantidade e valores de ações ajuizadas para cobrança da dívida ativa, bem como da evolução do montante dos créditos tributários passíveis de cobrança administrativa.
CUIDADO: Esse prazo do Art. 8º é em até 30 dias da publicação dos orçamentos, junto com a programação financeira e o cronograma de execução mensal de desembolso (e não esse prazo de 30 dias antes do encaminhamento da proposta não)
As metas bimestrais são monitoradas no RREO. 
Q70952 O Poder Executivo deve desdobrar as receitas previstas em metas bimestrais de arrecadação, que servirão de parâmetro para a limitação do empenho e da movimentação financeira
Receitas \u2013 RENÚNCIA
O que CF diz: 
Art. 165 §6º. - o projeto de lei orçamentária será acompanhado de demonstrativo regionalizado do efeito, sobre as receitas e despesas, decorrentes de isenções, anistias, remissões, subsídios e benefícios de natureza financeira, tributária e creditícia".
Em relação ao orçamento público e seus preceitos, julgue o próximo item. 
Q927411 Isenções e anistias financeiras podem ser concedidas pela União, desde que seus efeitos sejam apresentados em demonstrativos que acompanhem o projeto de lei orçamentária submetido à apreciação legislativa. 
CORRETO. Note que aqui foi aplicação da letra FRIA da CF. Se fosse pela LRF seria muito provavelmente errada, já que para serem concedidas necessitam de outras coisas além do demonstrativo regionalizado.
§ 1o A renúncia compreende anistia, remissão, subsídio, crédito presumido, concessão de isenção em caráter NÃO GERAL, alteração de alíquota ou modificação de base de cálculo que implique redução DISCRIMINADA de tributos ou contribuições, e outros benefícios que correspondam a tratamento diferenciado.
A renúncia compreende: 
- Anistia 
- Remissão (desobrigar o contribuinte a pagar o tributo)
- Subsídio 
- Crédito presumido 
- Concessão de isenção em caráter NÃO GERAL (CUIDADO: Isenção em caráter geral NÃO PRECISA aplicar nada dessas medidas \u2013 vai poder aplicar isenção de caráter geral DIRETO)
- Alteração de alíquota ou modificação de base de cálculo que implique redução discriminada de tributos ou contribuições 
- Outros benefícios que correspondam a tratamento diferenciado
Obs.: Concessão em caráter na geral seria uma isenção de natureza contratual (é o governo contratando essa isenção com uma empresa em especifico). Isenções em caráter geral aplica a todos , não tem contrato com ninguém.
(CESPE/AUDITOR DE CONTROLE EXTERNO \u2013 DIREITO/TCE-RO/2013) Em se tratando de isenções de caráter geral, dispensam-se as exigências de previsão orçamentária e medidas de compensação previstas na LRF.
CORRETO. Isenção de caráter geral não precisa de medida compensatória. 
Art. 14. A concessão ou ampliação de incentivo ou benefício de natureza tributária DA QUAL DECORRA RENÚNCIA DE RECEITA deverá estar acompanhada de estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva iniciar sua vigência e nos 2 seguintes, atender ao disposto na lei de diretrizes orçamentárias e a PELO MENOS UMA das seguintes condições:
O que tem que ter em TODOS: 
1) Estimativa do impacto 1+2 
2) Atender o que diz a LDO
3) Pelo menos um dos seguintes:
I - demonstração pelo proponente de que a renúncia foi considerada na estimativa de receita DA LEI ORÇAMENTÁRIA, na forma do art. 12, e de que não afetará as metas de resultados fiscais previstas no anexo próprio da lei de diretrizes orçamentárias; 
CESPE chamou de \u201cdemonstrativo da estimativa de renúncia da