Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal
103 pág.

Resumo Lei de Responsabilidade Fiscal


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.572 seguidores
Pré-visualização26 páginas
receita\u201d \u2013 Este demonstrativo está na LDO. (A LOA vai conter as medidas de compensação caso venha a necessitar)
Q840650 Determinado subsídio constituído por renúncia de receita pública poderá ser aprovado e colocado em execução ainda que não esteja incluído no demonstrativo da estimativa de renúncia de receita da lei de diretrizes orçamentárias.
CORRETO. Sabemos que BASTA PELO MENOS UM dos dois incisos para poder conceder o subsidio. Então ele pode ser executado sim, desde que satisfaça o Inciso II (medidas compensatórias).
Q330871 Para que haja renúncia de receita, a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que é necessário cumprir o disposto na LDO. Além disso, o proponente deve demonstrar que a renúncia foi considerada na estimativa da receita da lei orçamentária anual e que ela não afetará as metas de resultados fiscais previstos no anexo próprio da LDO.
Deu como CORRETO. Famosa questão LIXO do CESPE que usa o \u201cdeve\u201d, é taxativa e mesmo assim é dada correto. O 100% correto era dizer que uma das maneiras para que haja a renúncia é ele considerar essa renúncia na estimativa da receita da LOA, e que não afetará a LDO. MAS EXISTE OUTRA maneira também, caso ele acompanhe essa renúncia de medidas de compensação
OU ENTÃO
II - estar acompanhada de medidas de compensação, no período mencionado no caput, por meio do AUMENTO de receita, PROVENIENTE da elevação de alíquotas, ampliação da base de cálculo, majoração ou criação de tributo ou contribuição. 
CUIDADO: medida compensatória contra renúncia de receita para a LRF SOMENTE VALE aumento de RECEITA. (Lembrar que DOCC tem duas medidas, pode ser também pela redução de despesas)
E somente se for receita proveniente de elevação de alíquotas, ampliar base de cálculos .. 
Não vale o governo usar como medida de compensação algo como \u201caumentar eficiência\u201d dos agentes, ou então \u201cdiminuir despesas\u201d, nada disso pode.
Q578124 Os atos que provocarem renúncia de receita somente poderão entrar em vigor quando forem acompanhados de medidas compensatórias constituídas pela majoração de outros itens de receita ou pelo cancelamento de despesas
FALSO. Temos dois erros
I) É possível que a renúncia de receita possa entrar em vigor sem a medida compensatória, basta que seja demonstrado que a renúncia foi considerada na estimativa da LOA e não afetará as metas de resultado fiscais da LDO.
II) NA RENÚNCIA A ÚNICA medida compensatória é o aumento da receita (não é igual a DOCC que pode ter diminuição de despesa)
Q874842 Os atos de ampliação de benefício tributário somente podem entrar em vigor depois que forem implementadas medidas de compensação, que devem ser constituídas de aumento da receita orçamentária em montante equivalente ao benefício.
FALSO. Essa veio no sentido correto \u2013 dizer \u201cDEVE\u201d e falso, pois tem como vigorar mesmo sem qualquer medida de compensação. 
Q543632 A modificação de base de cálculo que provocar redução discriminada de tributo será considerada renúncia de receita. Esta, se não estiver acompanhada de medidas de compensação que provoquem o aumento de receita, não poderá ser utilizada por um ente federativo como instrumento de concessão nem de ampliação de incentivo ou benefício de natureza tributária.
FALSO. Questão erra ao ser taxativa e dizer que DEVE estar acompanhada das medidas de compensação. Se estiver inclusa no demonstrativo da estimativa da renúncia de receita dispensará as medidas de compensação. 
§ 2o Se o ato de concessão ou ampliação do incentivo ou benefício de que trata o caput deste artigo decorrer da condição contida no inciso II, o benefício só entrará em vigor quando implementadas as medidas referidas no mencionado inciso.
Ou seja, se a renúncia de receita for acompanhada de medidas de compensação, vai usar o \u2018pay as you go\u2019 \u2013 só vai valer a renúncia quando for implementada a compensação.
§ 3o O DISPOSTO NESTE ARTIGO NÃO SE APLICA:
Nesses casos não precisa ter medida de compensação e não precisa mostrar que essa renúncia não vai afetar as metas fiscais da LDO, etc.
I - às alterações das alíquotas dos impostos previstos nos incisos I, II, IV e V do art. 153 da Constituição, na forma do seu § 1º;
Imposto de importação II
Imposto de exportação IE
Imposto sobre produtos industrializados IPI
Imposto sobre operações financeiras IOF
Tais impostos possuem caráter extrafiscal, ou seja, não se prestam apenas à arrecadação, podendo servir de instrumentos para implementação de políticas públicas.
Q560355 Se o governo federal alterar as alíquotas do imposto sobre produtos industrializados, de modo a reduzir o montante global da receita tributária, não precisará promover as medidas compensatórias previstas para o caso de renúncia de receitas.
CORRETO. IPI é uma das exceções que o artigo da LRF não se aplica!
II - ao cancelamento de débito cujo montante seja inferior ao dos respectivos custos de cobrança
Geração da despesa
Art. 15. Serão consideradas não autorizadas, irregulares e lesivas ao patrimônio público a geração de despesa ou assunção de obrigação que não atendam o disposto nos artigos 16 e 17.
CUIDADO: Aqui não está falando em autorizar despesas (na LOA) e sim a GERAÇÃO/CRIAÇÃO de despesas. 
Note que deve atender aos DOIS artigos cumulativamente. 
§ 3o Ressalva-se do disposto neste artigo a despesa considerada irrelevante, nos termos em que dispuser a lei de diretrizes orçamentárias.
Se uma despesa for considerada irrelevante SEGUNDO CRITÉRIO DA LDO DO ENTE, ela não precisará seguir esses dois requisitos.
Art. 16. A CRIAÇÃO, EXPANSÃO ou APERFEIÇOAMENTO de AÇÃO GOVERNAMENTAL que acarrete AUMENTO da DESPESA será acompanhado de:
I - estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos 2 subsequentes;
§ 2o A estimativa de que trata o inciso I do caput será acompanhada das premissas e metodologia de cálculo utilizadas.
Q621066 O ordenador de despesa deve apresentar a estimativa de impacto orçamentário-financeiro para o exercício seguinte sempre que uma ação governamental representar o aumento de despesa pública e, sendo possível, o impacto para o exercício posterior
FALSO. O impacto é obrigatoriamente no exercício em que deva entrar em vigor a ação governamental E PARA OS 2 SUBSEQUENTES.
Q101644 Ao propor aumento de despesa pública, o gestor público deve informar a estimativa do impacto orçamentário-financeiro nos três primeiros exercícios de vigência da nova despesa
CORRETO. A lei diz impacto ao que deva entrar em vigor e os 2 subsequentes, ou seja , nos três primeiros exercícios de vigência.
II - declaração do ordenador da despesa de que o AUMENTO tem adequação orçamentária e financeira com a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias.
(CESPE/MPU/2013) O PPA não é considerado instrumento impeditivo do aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa, desde que o ordenador da despesa declare que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com a lei orçamentária anual. 
FALSO. É impeditivo sim, uma vez que para aperfeiçoar ação de governo é necessário compatibilidade tanto com o PPA quanto com a LDO.
§ 1o Para os fins desta Lei Complementar, considera-se:
I - adequada com a lei orçamentária anual, a despesa objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja abrangida por crédito genérico, de forma que somadas todas as despesas da mesma espécie, realizadas e a realizar, previstas no programa de trabalho, não sejam ultrapassados os limites estabelecidos para o exercício;
Adequação orçamentária e financeira significa haver credito com dotação suficiente para atender a despesa
Q65307 A despesa objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja abrangida por crédito genérico, será considerada, pela LRF, adequada com a LOA quando a soma de todas as despesas da mesma espécie, realizadas e a realizar, previstas no programa de trabalho, não ultrapassar os limites estabelecidos para o exercício
II - compatível