Resumo Restos a pagar e DEA
33 pág.

Resumo Restos a pagar e DEA


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.928 materiais16.527 seguidores
Pré-visualização8 páginas
do credor;
Q392254 Suponha que a inscrição de determinada despesa como restos a pagar tenha sido cancelada em decorrência do decurso do prazo prescricional de cinco anos. Nessa situação, se o credor ainda tiver direito ao recebimento dos recursos e vier a reclamá-lo formalmente, o pagamento a que faz jus deverá ser efetuado à conta de dotação destinada a despesas de exercícios anteriores
CORRETO. Note que para pagar como DEA , o direito do credor AINDA NECESSITA ESTAR VIGENTE. A QUESTÃO teve a sensibilidade de colocar isso no seu texto \u2013 ora , se está vigente , é um RP com prescrição interrompida , e certamente pode ser pago a conta de DEA.
Q872374 Os restos a pagar com prescrição interrompida são as despesas cuja inscrição como restos a pagar tenha sido cancelada, mas cujo direito do credor permaneça vigente.
CORRETO. 
Inscrição e pagamento
SOBRE A INSCRIÇÃO AUTOMÁTICA 
REDAÇÃO ANTIGA: Art. 68. A inscrição de despesas como restos a pagar será automática, no encerramento do exercício financeiro de emissão da Nota de Empenho, desde que satisfaça às condições estabelecidas neste Decreto para empenho e liquidação da despesa.
REDAÇÃO NOVA: Art. 68. A inscrição de despesas como restos a pagar no encerramento do exercício financeiro de emissão da Nota de Empenho depende da observância das condições estabelecidas neste Decreto para empenho e liquidação da despesa.
§ 1o A inscrição prevista no caput como restos a pagar NÃO PROCESSADOS fica condicionada à indicação pelo ordenador de despesas.
 CONCLUSÃO LEI SECA: Se for pela lei seca, os RP processados são automáticos ainda, e os RP não processados ficam via de regra condicionados à indicação (salvo se for uma das exceções em que o empenho não será anulado em 31/12).
INSCRIÇÃO E PAGAMENTO
Lei 4320 Art. 103 Parágrafo único. Os Restos a Pagar DO EXERCÍCIO serão computados na receita extra-orçamentária para compensar sua inclusão na despesa orçamentária.
INSCRIÇÃO: Lança uma receita extraorçamentária e uma despesa orçamentária 
DICA: no exercício de inscrição, o RP nada mais é que uma despesa empenhada e não paga. Ora, se o RP se origina de uma despesa empenhada, é uma despesa orçamentária. 
NO PAGAMENTO: Lança uma despesa extraorçamentária.
DICA: Basta lembrar que RP é o contrário da DEA. DEA sabemos que é receita orçamentária, entao RP será receita extraorçamentária. 
Q677640 As despesas caracterizadas como restos a pagar são extraorçamentárias na inscrição e orçamentárias no pagamento.
FALSO. 
Q26626 Os restos a pagar pagos no exercício serão computados na receita extra-orçamentária para compensar sua inclusão na despesa orçamentária
FALSO. Note que a questão adicionou \u201cPAGOS NO EXERCÍCIO\u201d dentro do artigo , modificando o artigo original da lei 4320. A questão pergunta sobre PAGAMENTO DE RP:
I) Pagar RP é despesa extraorçamentária (portanto questão errada)
Obs.: Se ele perguntasse sobre os RP DO exercício, ou seja, ele estaria perguntando A INSCRIÇÃO DO RP, ai sim, ele é inscrito como receita extraorçamentária DO EXERCÍCIO, para compensar sua inclusão na despesa orçamentária.
Q368192 O pagamento de restos a pagar representa as saídas para pagamentos de despesas empenhadas em exercícios anteriores.
CORRETO. Não confundir com DEA. DEA é pagamento de despesas de exercício anteriores QUE NÃO FORAM empenhadas.
Q354896 O pagamento dos restos a pagar está condicionado aos limites fixados à conta das fontes de recursos correspondentes
CORRETO. Isso está no manual do SIAFI
Q511124 Suponha que, ao final do exercício, determinado serviço não tenha sido prestado pelo contratado, embora o prazo para cumprimento da obrigação ainda estivesse vigente. Nessa situação, o empenho poderá ser mantido para pagamento no exercício subsequente, sem necessidade de reinclusão orçamentária.
CORRETO. RP é uma despesa extraorçamentária, ela não precisa ser incluída de novo no próximo orçamento.
Q893253 A reserva de contingência destina-se ao pagamento de restos a pagar que excederem as disponibilidades de caixa ao final do exercício.
FALSO. Falaram que Pagar RP não pode ser considerado um passivo contingente, portanto a reserva de contingencia não serve para pagar RP. 
PAGAMENTO DE RP feito por empenho ESTIMATIVO:
1- Se o valor real a ser pago for SUPERIOR ao valor inscrito: A diferença deverá ser empenhada a conta de despesas de exercícios anteriores. 
Q564406 A diferença entre o valor inscrito em restos a pagar e o valor real a ser pago, se este for maior, deverá ser empenhada em categoria econômica própria, como despesa de exercício anterior
Q603040 Inscreveram 100 reais em RP, mas quando a fatura chegou ela chegou no valor de 200 reais, O QUE FAZER?
A liquidação e o pagamento de R$ 100,00 como restos a pagar de 2014 e empenhar, liquidar e pagar a diferença de R$ 100,00 como despesas de exercício anterior.
2- Se o valor real for INFERIOR ao valor inscrito: O saldo existente deverá ser CANCELADO.
Limitação de empenho e RP
POSIÇÃO DA LRF:
Art. 42. É vedado ao titular de Poder ou órgão referido no art. 20, nos últimos dois quadrimestres do seu mandato, contrair obrigação de despesa que não possa ser cumprida integralmente dentro dele, ou que tenha parcelas a serem pagas no exercício seguinte sem que haja suficiente disponibilidade de caixa para este efeito
É VEDADO contrair obrigação de pagamento nos últimos 8 meses, ou nos últimos dois quadrimestres de mandato do governante (sem que exista a respectiva cobertura financeira)
CUIDADO: é vedado empenhar a despesa MESMO se for em regime de calamidade.
A única exceção é se ele tiver dinheiro em caixa para cobrir.
POSIÇÃO DA 4320:
§ 1º Ressalvado o disposto no Art. 67 da Constituição Federal, é vedado aos Municípios empenhar, no último mês do mandato do Prefeito, mais do que o duodécimo da despesa prevista no orçamento vigente.  
§ 2º Fica, também, vedado aos Municípios, no mesmo período, assumir, por qualquer forma, compromissos financeiros para execução depois do término do mandato do Prefeito.    
§ 3º As disposições dos parágrafos anteriores não se aplicam nos casos comprovados de calamidade pública.     
Questão de cálculos
No ano de 2017:
- Despesa fixada: 1000
- Despesa empenhada: 900
- Despesa liquidada: 600
- Despesa paga: 600, sendo 100 relativos a R.P. de 2016. 
Qual será o montante de R.P. processados e não processados? 
- se pagou 100 de R.P. de 2016, só se pagou 500 de despesa realmente.
1- RESTOS A PAGAR = Despesa empenhada \u2013 Despesa paga = 900 \u2013 500 = 400.
Agora vamos calcular quanto foi processado e não processado:
RP processado = são as despesas que foram liquidadas mas não foram pagas
Despesa liquidada \u2013 Despesa paga = 600 (tudo que liquidou) \u2013 500 (tudo que pagou) = 100 
R.P. não processado = são aqueles que foram as despesas empenhadas que não foram liquidadas ainda. 
Despesa empenhada \u2013 Despesa liquidada = 900-600= 300.
DEA
Coisas de prova
Q369573 É possível que determinada despesa de pessoal relativa ao exercício de 2012, cujo pagamento tenha sido exigido por um servidor em 2013, exercício no qual tenha sido empenhada, seja considerada restos a pagar de 2012 e despesa orçamentária de 2013.
FALSO. Se já foi empenhada, não será DEA, a não ser no único caso de se interromper a prescrição do RP, podendo-se então ser pago a conta de DEA.
Q17433 O atendimento de despesas de exercícios anteriores poderá ser feito mediante a reabertura de créditos adicionais, desde que aprovados nos quatro últimos meses do exercício antecedente
FALSO. De fato, se não houver receita para atender a DEA, vai ter que sair receita de algum lugar , e esse algum lugar pode ser um crédito adicional. 
I) Mas note que NÃO PODE SER UM CRÉDITO REABERTO, porque a DEA deve ser paga a conta de uma dotação ESPECÍFICA. Dotação de crédito adicional é uma dotação que já tem finalidade específica, pois ele foi aberto justamente para atender a uma despesa. Não tem como \u201cmudar\u2019 a despesa do crédito