Resumo Restos a pagar e DEA
33 pág.

Resumo Restos a pagar e DEA


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.928 materiais16.527 seguidores
Pré-visualização8 páginas
Teoria
SOBRE CONCEDER O ADIANTAMENTO EM ESPÉCIE: 
Não é possível, pois só se concede o suprimento, primariamente por meio do Cartão de pagamentos, e se não for possível, será por depósito em conta corrente. Não existe o caso \u201cde o servidor pegar o dinheiro vivo em mãos para gastar\u201d.
SOBRE AS FASES:
CUIDADO: Não há qualquer inversão/exclusão de fases, todas as fases serão executadas, o que muda é que terá algumas peculiaridades, como ao invés de empenhar em nome do fornecedor, fazer empenho em nome do suprido.
CESPE: Se falar que há inversão está FALSO, pois a banca já considerou correto dizer que será empenhado, liquidado e pago tudo no momento da concessão.
Q331168 O suprimento de fundos é caracterizado pela disponibilização (adiantamento) de valores a um servidor para futura prestação de contas. O que torna o suprimento de fundos peculiar, quando comparado a outras despesas, é o fato de esse adiantamento ser viabilizado por meio da inversão das etapas da despesa, com a ocorrência do pagamento antes da liquidação, ou seja, antes do momento em que é feita a prestação de contas
FALSO. Não há qualquer inversão no suprimento de fundos. Ele é sempre precedido de empenho, ocorre também liquidação e pagamento. 
(ESAF/Analista de Infraestrutura de Transportes/DNIT/2013) O suprimento de fundos altera a sequência normal dos estágios das despesas, invertendo as fases de liquidação e pagamento.
CORRETO. Aqui é a visão da ESAF, ela considerou que o suprimento altera os estágios da despesa, já que primeiro o suprido vai realizar o pagamento (vai gastar o dinheiro com o que quer que seja) e somente depois ele prestará contas com o ordenador de despesa (liquidação).
CESPE considera que não há inversão.
(DPE-RJ \u2013 Contador \u2013 2014 \u2013 FGV) Quando há concessão de suprimento de fundos, a despesa orçamentária é 
a) liquidada e paga no ato da concessão, mas o efetivo registro da variação patrimonial diminutiva só ocorre com a prestação de contas do suprido. 
(TJ-SE \u2013 Contador \u2013 2015 \u2013 Cespe) Na concessão de suprimento de fundos, a despesa orçamentária é empenhada, liquidada e paga no ato da concessão, mas o registro da variação patrimonial só é feito posteriormente.
(FUNCAB- MPE/RO) De acordo com o Manual da Secretaria do Tesouro Nacional, em uma operação de concessão de suprimento de fundos: 
a) A despesa orçamentária é empenhada, liquidada e paga no ato da concessão e só com a prestação de contas do suprido é que há o efetivo registro da variação patrimonial diminutiva
1- Empenho: seria no momento da concessão do suprimento. 
2- Liquidação: na prestação de contas o ordenador de despesas faz a liquidação da despesa e o suprido devolve o que sobrar ou recebe o que faltar, finalizando o processo. 
3- Pagamento: O pagamento sempre deve ocorrer após a liquidação! Quando o $ cai na conta do suprido tal valor fica em aberto a título de adiantamento, aguardando a prestação de contas do suprido. Na liquidação, com a análise da prestação de contas, é feito um encontro de contas entre o que foi adiantado e o que foi prestado contas. Nesse momento é considerada a realização da fase de pagamento.
100% CORRETO: seria responder que não há inversão e não há exclusão de fases, entretanto cada fase tem um rito próprio
O regime de adiantamento ou suprimento de fundos, consiste na entrega de numerário A SERVIDOR, sempre precedida de empenho na dotação própria, para o fim de realizar despesas que pela excepcionalidade, a critério do Ordenador de Despesa e sob sua inteira responsabilidade, não possam subordinar-se ao processo normal de aplicação.
Entende-se por entrega do numerário a disponibilização de recurso financeiro para realização dos gastos, seja por limite lançado no Cartão de Pagamento do Governo Federal ou por depósito em conta corrente.
Se falar que pode conceder suprimento para terceirizados É FALSO.
Q607067 Suprimento de fundos é a autorização de execução orçamentária que, pela sua excepcionalidade, não possui dotação orçamentária específica.
FALSO. Sempre será precedido de empenho em dotação própria.
O que caracteriza a URGÊNCIA é a necessidade premente e inadiável de obter materiais ou prestação de serviços no momento em que eles se fazem necessários. É um procedimento excepcional em razão da eventualidade e da necessidade do pronto pagamento, com isso não é possível exigir que determinadas etapas do processo normal sejam executadas antes de se efetivar o dispêndio, tais como:
Emissão de prévio empenho em nome do credor
Formalização de processo
A despesa executada por meio de suprimento de fundos, procedimento de excepcionalidade dentro do processo normal de aplicação do recurso público, deverá, na mesma forma que no processo licitatório, observar os princípios básicos da legalidade, da impessoalidade, da moralidade e da igualdade, além de garantir a aquisição mais vantajosa para a administração pública.
Q495584 Da mesma forma que acontece no processo licitatório, a despesa executada por meio de suprimento de fundos deve garantir a aquisição mais vantajosa para a administração pública.
CORRETO.
É preciso prestar atenção ao fato de que a própria lei exclui do adiantamento aquelas despesas que se subordinam ao processo normal de aplicação. Desta forma, aquisição de material e equipamento, realização de obras etc. não devem ser pagas por meio de adiantamento, a não ser FORA DA SEDE do Município, quando, então, se caracteriza a excepcionalidade.
As despesas com Suprimento de Fundos somente podem ser realizadas nas seguintes condições: 
a) atender a despesas de pequeno vulto, assim entendidas aquelas cujo valor, em cada caso, não ultrapasse o limite estabelecido pela Legislação. 
b) atender a despesas eventuais, inclusive em viagens e com serviços especiais, que exijam pronto pagamento 
Excluída nesse caso a possibilidade de uso do Cartão para o pagamento de bilhetes de passagens e diárias a servidores.
Obs.: Mas se houver excepcionalidade, é permitido SIM utilizar o suprimento de fundos para comprar uma passagem aérea ou pagar uma diária para o servidor.
CUIDADO: Note que esses termos parecem estranho para ser alvo de suprimento de fundos mas é o que a norma diz. Se a prova afirmar que suprimento serve para atender a despesas EVENTUAIS, inclusive viagens, está CORRETO!
c) quando a despesa deva ser feita em caráter sigiloso, conforme se classificar em regulamento; ou seja, os órgãos e entidades que executarem despesas sigilosas deverão possuir regramento próprio para tal.
Obs.: É vedada a aquisição de material PERMANENTE por suprimento de fundos, ressalvados os casos excepcionais devidamente reconhecidos pelo Ordenador de Despesa e em consonância com as normas que disciplinam a matéria
AFETAÇÃO PATRIMONIAL:
Orçamentariamente esse adiantamento CONSTITUI DESPESA, ou seja, para conceder o recurso ao suprido é necessário percorrer os três estágios da despesa orçamentária: empenho, liquidação e pagamento.
Patrimonialmente é tratado como uma despesa ANTECIPADA, e será apresentado no ativo circulante. Ou seja, patrimonialmente não temos uma despesa de fato (VPD), e sim uma despesa antecipada.
Q872027 O ato de suprimento de fundos constitui uma despesa orçamentária, embora a despesa patrimonial correspondente deva ocorrer somente em momento futuro
Q368195 O suprimento de fundos é caracterizado como adiantamento concedido ao suprido; contudo, embora possua natureza de despesa orçamentária, não representa uma despesa pelo enfoque patrimonial, visto que, no momento de sua concessão, não ocorre redução no patrimônio líquido.
CORRETO. É despesa orçamentária pois sofre empenho, não é despesa patrimonial pois ainda não ocorreu o fato gerador no momento da concessão.
Não se concederá suprimento de fundos: 
a) a responsável por 2 suprimentos;
b) a servidor que tenha a seu cargo a guarda ou a utilização do material a adquirir, salvo quando não houver na repartição outro servidor; 
c) responsável por suprimento de fundos que, esgotado o prazo,