Resumo Restos a pagar e DEA
33 pág.

Resumo Restos a pagar e DEA


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.569 seguidores
Pré-visualização8 páginas
não tenha prestado contas de sua aplicação; 
d) a servidor declarado em alcance, entendido como tal o que não prestou contas no prazo regulamentar ou o que teve suas contas recusadas ou impugnadas em virtude de desvio, desfalque, falta ou má aplicação dos recursos recebidos.
CUIDADO: Várias questões fazem a mesma pegadinha: diz que servidor \u201cpendente de prestar contas\u201d não pode receber suprimento de fundos. Isso é FALSO, pois não poderá receber o servidor que NÃO PRESTOU as contas no prazo. Se ele ainda está no prazo, ele pode até receber mais um suprimento, pois cada suprido pode ser responsável por até 2 suprimentos por vez.
RITO:
1- O prazo máximo para aplicação do suprimento de fundos será de até 90 dias a contar da data do ato de concessão do suprimento de fundos, e NÃO ULTRAPASSARÁ o término do exercício financeiro.
(CESPE/Analista Judiciário/Contabilidade/TRE-BA/2017) O prazo máximo para aplicação do suprimento de fundos será de até noventa dias a contar da data 
e) do ato de concessão do suprimento de fundos, não podendo ultrapassar o término do exercício financeiro
2- No ato em que autorizar a concessão de suprimento, a autoridade ordenadora fixará o prazo da prestação de contas, que deverá ser apresentada dentro dos 30 dias subsequentes do término do período de aplicação.
Resumindo: Tem até 90 dias para aplicar o suprimento. Após aplicar, prestará contas em até 30 dias subsequentes à aplicação. 
O servidor que receber Suprimento de Fundos é obrigado a prestar contas de sua aplicação, procedendo-se, automaticamente, à tomada de contas se não o fizer no prazo assinalado pelo Ordenador de Despesa, sem prejuízo das providências administrativas para apuração das responsabilidades.
A importância aplicada até 31 de dezembro será comprovada até 15 de janeiro do exercício seguinte.
Q769662 O suprimento de fundos implica a realização de tomada de contas imediatamente após a execução da despesa.
FALSO. Ele vai prestar conta NO PRAZO ESTABELECIDO pelo ordenador. Só vai ser imediatamente quando ele NÃO PRESTAR as contas no prazo assinalado.
(CESPE/Analista de Gestão Educacional/Contabilidade/SEDF/2017) O suprimento de fundos implica a realização de tomada de contas imediatamente após a execução da despesa. 
FALSO. Após a execução da despesa o suprido tem de prestar contas no prazo assinalado pelo ordenador de despesas, e somente se não prestar as contas no prazo é que se procede à imediata prestação de contas.
A concessão de suprimentos de fundos é feita por meio do Cartão de Pagamento do Governo Federal \u2013 CPGF. Quando ficar comprovado que não seja possível a utilização do cartão deve ser feito depósito em conta corrente do montante adiantado.
A REGRA é utilizar o Cartão de Pagamento!
CARTÃO DE PAGAMENTOS DO GOVERNO FEDERAL
Tem que ser emitido em nome de uma unidade gestora.
Possui um beneficiário (um usuário) 
Só poderá utilizar nas despesas enquadradas como suprimento de fundos
Pode fazer saque do cartão, no máximo de 30% do limite anual do suprimento de fundos.
Exige que o estabelecimento que for ser usado o cartão tenha nota fiscal na prestação de contas
Limites (10% de 80.000 para compras , 10% de 150.000 para obras e serviços de engenharia) por despesa. 
Limite por nota fiscal: se for cartão 1% se for em espécie 0.25%.
Se fosse em espécie , o nível é 5% e não 10%.
Obs.: Sobre os limites de convite:
Antigamente: era até 150k para obras e serviços de engenharia / 80k para compras e outros serviços
Novo limite: 330k para obras e serviços de engenharia / 176k para compras e outros serviços.
DOCUMENTOS PARA PRESTAR CONTAS
Em relação à prestação de contas da aplicação dos recursos de suprimento de fundos, esta deverá ser feita mediante apresentação dos seguintes documentos: 
1) cópia do documento de concessão do suprimento; 
2) 1ª via da nota de empenho da despesa; 
3) extrato da conta bancária, se for o caso; 
4) comprovantes das despesas realizadas, devidamente atestados e emitidos em data igual ou posterior à da entrega do numerário e anterior à data limite para aplicação, em nome do órgão onde o suprido esteja em exercício, a saber: 
a) no caso de compra de material: nota fiscal de venda ao consumidor; 
b) no caso de prestação de serviços por pessoa jurídica: nota fiscal de prestação de serviço; 
c) no caso de prestação de serviço por pessoa física: 
recibo comum \u2013 se o credor não for inscrito no INSS; 
recibo de pagamento de autônomo (RPA) \u2013 se o credor for inscrito no INSS;
5) comprovante de recolhimento do saldo não utilizado, se for o caso.