Resumo Créditos Adicionais
31 pág.

Resumo Créditos Adicionais


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.569 seguidores
Pré-visualização8 páginas
Coisas de prova
(CESPE/Analista do Executivo/Administração/Governo do ES/2013) O crédito orçamentário é constituído pelo conjunto de categorias classificatórias e contas que especificam as ações e operações autorizadas pela LOA.
Q677149 Os chefes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário podem determinar a abertura de créditos suplementares, desde que autorizados por lei previamente aprovada.
FALSO. A própria letra fria da 4.320 já diz que a abertura se dá por decreto do EXECUTIVO.
I) Embora cada Poder possa solicitar a abertura do crédito, formalmente ela se dá pelo Executivo.
Lei 4320: Art. 42. Os créditos suplementares e especiais serão autorizados por lei e abertos por DECRETO EXECUTIVO.
Obs.: O professor disse que os suplementares que já estão autorizados na LOA o Legislativo e o Executivo devem solicitar ao Executivo que edite o decreto abrindo os créditos para eles.
Q18407 Quando o presidente da República veta dispositivo da lei orçamentária aprovada pelo Congresso Nacional, os recursos remanescentes podem, por meio de projeto de lei de iniciativa de deputado federal ou senador, ser utilizados para abertura de créditos suplementares ou especiais. 
FALSO. A iniciativa de lei de créditos adicionais É DO EXECUTIVO. 
I) Não pode parlamentar propor isso. Embora seja o legislativo que vá autorizar a utilização desses recursos.
Art. 166 da CF: § 8º - Os recursos que, em decorrência de veto, emenda ou rejeição do projeto de lei orçamentária anual, ficarem sem despesas correspondentes poderão ser utilizados, conforme o caso, mediante créditos especiais ou suplementares, com prévia e específica autorização legislativa.
Q76120 Em caso de comoção intestina, o presidente da República poderá editar medida provisória de abertura de créditos extraordinários ou especiais que terão vigência no exercício financeiro, salvo se a edição ocorrer nos últimos quatro meses do exercício, quando, então, serão incorporados ao exercício financeiro subsequente
FALSO. Cuidado para não ler rápido e errar. Note que ele diz \u201cou especiais\u201d, o que invalida a questão
Q234406 Caso um município se encontre em estado de calamidade pública decorrente de prolongado período de seca, o prefeito desse ente federado, para fazer face à calamidade, poderá executar despesas sem a prévia autorização legislativa e sem indicação da fonte de recursos correspondente a essas despesa. 
CORRETO. Note que a questão diz que ele \u201cPODERÁ\u201d realizar despesas.
I) Ora, se ele abrir um credito extraordinário sim, haja vista estar em calamidade pública, o que justifica a sua abertura.
Q80314 Suponha que um crédito especial tenha sido autorizado em novembro de determinado ano, mas não tenha sido inteiramente utilizado até o final do exercício. Nesse caso, ele poderá ser reaberto no exercício financeiro subsequente, e as despesas realizadas à conta desse crédito devem ser contabilizadas como resultado de exercícios anteriores.
FALSO. Eles serão reabertos e INCORPORADOS ao orçamento vigente. 
I) Ou seja, vai incorporar esse saldo no orçamento e vai pagar como uma despesa orçamentária normal.
Q351278 Considere que um prefeito pretenda iniciar uma ação governamental, para a qual não haja vedações nem previsões na Lei Orçamentária Anual. Nessa situação, em observância ao princípio da legalidade, a ação mencionada somente poderá ser iniciada após aprovação de crédito adicional que inclua autorização expressa e específica no orçamento
Q365124 A abertura de créditos suplementares e a contratação de operações de crédito, ainda que por antecipação de receita, contraria o princípio da exclusividade.
Parte superior do formulário
FALSO. São as duas exceções do princípio da exclusividade. 
CF Art. 165 § 8º A lei orçamentária anual não conterá dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, não se incluindo na proibição a autorização para abertura de créditos suplementares e contratação de operações de crédito, ainda que por antecipação de receita, nos termos da lei
Q642790 Caso seja necessário modificar os atributos de determinado crédito orçamentário, a modificação deverá ser feita por meio de créditos suplementares, créditos especiais ou créditos extraordinários.
FALSO. Crédito suplementar NÃO MUDA ATRIBUTO, pois ele apenas suplementa uma dotação já existente.
I) Acredito que nem mesmo os créditos especiais ou extraordinários podem mudar o atributo de um crédito orçamentário, porque o que eles fazem é criar uma NOVO crédito. 
PEGADINHAS DA GENERALIZAÇÃO:
I) Afirmar que \u201cCréditos Adicionais podem ser reabertos\u201d \u2013 FALSO.
II) Afirmar que \u201cCréditos Adicionais são autorizados por lei e abertos por decreto\u201d \u2013 FALSO.
III) Afirmar que \u201cCréditos adicionais precisam indicar a fonte para abertura\u201d \u2013 FALSO.
III) note que a própria 4.320 tem a sensibilidade de apenas dizer \u201csuplementares e especiais\u201d
Art. 42. Os créditos SUPLEMENTARES E ESPECIAIS serão AUTORIZADOS por lei e ABERTOS por decreto executivo.
Q330880 A vigência dos créditos suplementares não poderá ultrapassar o exercício financeiro em que eles forem autorizados, salvo se o ato de autorização for promulgado nos últimos quatro meses do exercício. Nesse caso, devem ser reabertos nos limites dos seus saldos e poderão viger até o término do exercício financeiro subsequente.
 FALSO. 
Q8638 Os créditos adicionais devem ser aprovados pelo Congresso Nacional e abertos mediante decreto do presidente da República.
 FALSO.
Q599162 A abertura dos créditos adicionais depende da existência de recursos disponíveis, devendo-se considerar como recurso o superávit financeiro apurado em balanço patrimonial do exercício anterior.
 FALSO.
SOBRE A REABERTURA:
1) Geralmente basta saber que não é automático.
2) CESPE já deu que o especial reabre por decreto.
3) Na aula de contabilidade pública, tenho anotado que o extraordinário reabre somente por decreto (não tem como reabrir com MP).
Q8638 A reabertura de saldo de crédito especial autorizado nos últimos quatro meses do exercício financeiro anterior, se necessária, deve ser efetuada por meio de decreto do presidente da República
 CORRETO. Os saldos NÃO SE REABREM automaticamente, precisa de decreto para reabrir.
Q339908 Se os créditos especiais e extraordinários forem autorizados e promulgados nos últimos quatro meses de um exercício, eles podem ter sua vigência prorrogada para o exercício financeiro subsequente, independentemente de novo ato da administração pública, enquanto perdurar o saldo correspondente
 FALSO. Eles devem ser REABERTOS por decreto do executivo.
AFETAÇÃO ORÇAMENTÁRIA NA ABERTURA:
AUMENTAM as despesas: Excesso de arrecadação / Superávit financeiro do balanço patrimonial do exercício anterior / Operações de crédito
NÃO AUMENTAM as despesas: Anulação total ou parcial de dotação / Reserva de contingência / Recursos sem destinação. 
Q326421 Os créditos adicionais gerados a partir de anulação parcial ou total de dotação orçamentária provocam aumento dos valores globais da lei orçamentária, uma vez que envolvem somente despesas.
 FALSO. É apenas um fato \u201cpermutativo\u201d. Já havia a despesa autorizada, ela é então anulada e insere-se uma nova com o crédito adicional. 
Q339910 O montante total da despesa orçamentária pode aumentar como resultado da abertura de créditos suplementares. 
 CORRETO. Poder pode sim, mas não é sempre.
Créditos adicionais no MTO
EC 95
EC 95 TROUXE NOVIDADE:
Art. 107. Ficam estabelecidos, para cada exercício, limites individualizados para as despesas primárias: 
I - do Poder Executivo;
II - do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de Justiça, do Conselho Nacional de Justiça, da Justiça do Trabalho, da Justiça Federal, da Justiça Militar da União, da Justiça Eleitoral e da Justiça do Distrito Federal e Territórios, no âmbito do Poder Judiciário;
III - do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e do Tribunal de Contas da União, no âmbito do Poder Legislativo;
IV - do Ministério Público da União e do Conselho