Resumo despesas públicas
89 pág.

Resumo despesas públicas


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.569 seguidores
Pré-visualização20 páginas
e externas contratadas, bem como da dívida pública mobiliária.
3 \u2013 outras despesas correntes: despesas com aquisição de material de consumo, pagamento de serviços prestados por pessoa física sem vínculo empregatício ou pessoa jurídica, independentemente de forma contratual, e outras da categoria econômica \u201cDespesas Correntes\u201d não classificáveis nos grupos anteriores. 
MTO: Despesas orçamentárias com aquisição de material de consumo, pagamento de diárias, contribuições, subvenções, auxílio alimentação, auxílio-transporte, além de outras despesas da categoria econômica \u201cDespesas Correntes\u201d não classificáveis nos demais grupos de natureza de despesa.
4 \u2013 investimentos: despesas com o planejamento e a execução de obras, inclusive com a aquisição de imóveis considerados necessários à realização destas últimas, com os programas especiais de trabalho (regime de execução especial) e com a aquisição de instalações, equipamentos e material permanente.
MTO: Despesas orçamentárias com softwares e com o planejamento e a execução de obras, inclusive com a aquisição de imóveis considerados necessários à realização destas últimas, e com a aquisição de instalações, equipamentos e material permanente
(CESPE) Se determinado órgão público adquirir um tipo de carvão ativado, destinado aos filtros de ar de suas instalações, cujo prazo de validade estabelecido pelo fornecedor seja de trinta meses, tal produto deverá ser contabilizado no grupo de material de consumo.
FALSO. Aqui combinamos dois artigos. 
I) Primeiro devemos saber que os Investimentos comportam os \u201cmateriais permanentes\u201d. 
II) E como esse material da questão dura mais de 2 anos , ele será um material permanente.
§ 2º Para efeito de classificação da despesa, considera-se material permanente o de duração superior a dois anos.
Relação com o PIB: Os investimentos aumentam O PIB, mas as inversões financeiras não aumentam o PIB.
5 \u2013 inversões financeiras: despesas com a aquisição de imóveis ou bens de capital já em utilização; aquisição de títulos representativos do capital de empresas ou entidades de qualquer espécie, já constituídas, quando a operação não importa aumento do capital; e com a constituição ou aumento do capital de empresas que visem a objetivos comerciais ou financeiros, inclusive operações bancárias ou de seguros. 
MTO: Despesas orçamentárias com a aquisição de imóveis ou bens de capital já em utilização; aquisição de títulos representativos do capital de empresas ou entidades de qualquer espécie, já constituídas, quando a operação não importe aumento do capital; e com a constituição ou aumento do capital de empresas, além de outras despesas classificáveis neste grupo.
6 \u2013 amortização da dívida: despesas com o pagamento e/ou refinanciamento do principal e da atualização monetária ou cambial da dívida pública interna e externa, contratual ou mobiliária.
MTO: Despesas orçamentárias com o pagamento e/ou refinanciamento do principal e da atualização monetária ou cambial da dívida pública interna e externa, contratual ou mobiliária.
Modalidade de aplicação
É importante gravar que a classificação por modalidade de aplicação serve para possibilitar a eliminação da dupla contagem dos recursos transferidos ou descentralizados.
A modalidade de aplicação indica se os recursos serão aplicados mediante transferência financeira, inclusive a decorrente de descentralização orçamentária para outros níveis de Governo, seus órgãos ou entidades, ou diretamente para entidades privadas sem fins lucrativos e outras instituições; ou, então, diretamente pela unidade detentora do crédito orçamentário, ou por outro órgão ou entidade no âmbito do mesmo nível de Governo. A modalidade de aplicação objetiva, principalmente, eliminar a dupla contagem dos recursos transferidos ou descentralizados
Portaria 163: § 1º A natureza da despesa SERÁ COMPLEMENTADA pela informação gerencial denominada \u201cmodalidade de aplicação\u201d, a qual tem por finalidade indicar se os recursos são aplicados diretamente por órgãos ou por entidades no âmbito da mesma esfera de Governo ou por outro ente da Federação e suas respectivas entidades, e objetiva, precipuamente, possibilitar a eliminação da dupla contagem dos recursos transferidos ou descentralizados. 
Nessa linha de pensamento, serve para indicar se os recursos serão aplicados: 
1- Diretamente pela própria unidade detentora do crédito orçamentário ou pela entidade no âmbito do mesmo nível de governo
2- Indiretamente, via transferência financeira, inclusive a decorrente de descentralização orçamentária para outras esferas de governo, seus órgãos ou entidades, ou ainda para entidades privadas sem fins lucrativos e outras instituições
A especificação da modalidade de aplicação observará, no mínimo, o seguinte detalhamento: (TEM MAIS UM MONTE DE CÓDIGOS , ESSES SÃO SÓ ALGUNS).
20 \u2013 Transferências à União: 
30 \u2013 Transferências a estados e ao Distrito Federal
40 \u2013 Transferências a municípios;
50 \u2013 entidade privada sem fins lucrativos; 
60 \u2013 Transferências a Instituições Privadas com Fins Lucrativos;
70 \u2013 Transferências a Instituições Multigovernamentais Nacionais;
80 \u2013 Transferências ao Exterior;
90 \u2013 aplicação direta; ou 
99 \u2013 a ser definida.
MTO faz uma ressalva: Cabe destacar que uma despesa decorrente de Termo de Execução Descentralizada (TED) deve ser classificada como Modalidade de Aplicação 90, na medida em que tal instrumento representa um meio pelo qual se descentraliza créditos entre órgãos e/ou entidades integrantes dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União, a fim de executar ações de interesse da unidade orçamentária descentralizadora, conforme estatui o Decreto nº 8.180, de 30 de dezembro de 2013
90 - Aplicações Diretas aplicação direta, pela unidade orçamentária, dos créditos a ela alocados ou oriundos de descentralização de outras entidades INTEGRANTES OU NÃO dos Orçamentos Fiscal ou da Seguridade Social, no âmbito da mesma esfera de governo.
Novidade MCASP 8: a modalidade de aplicação 92 é novidade presente no MCASP 8ª edição, decorrente de alterações da Portaria Interministerial SOF/STN n. 163/2001. Essa modalidade de aplicação é utilizada para despesas orçamentárias realizadas à conta de recursos financeiros decorrentes de delegação ou descentralização de outros entes da Federação para execução de ações de responsabilidade exclusiva do ente delegante ou descentralizador.
Elemento de despesa
Q893263 Independentemente do ente federativo, para fins de escrituração contábil e controle da execução orçamentária, é obrigatório o desdobramento dos elementos de despesa em níveis menores de classificação.
FALSO. MTO: "A CLASSIFICAÇÃO da receita orçamentária, a exemplo do que ocorre na despesa, é de utilização OBRIGATÓRIA por todos os entes da Federação, sendo FACULTADO o seu DESDOBRAMENTO para atendimento das respectivas necessidades.
I) Classificar a despesa orçamentária (por natureza) É OBRIGATÓRIO! 
II) Desdobrar a despesa em níveis menores É FACULTATIVO.
A Lei n. 4.320/1964, em seu artigo 15, estabelece o princípio da discriminação que exige que as despesas sejam discriminadas, NO MÍNIMO, por elementos.
Entendendo-se como ELEMENTOS: \u201co desdobramento da despesa com pessoal, material, serviços, obras e outros meios de que se serve a administração pública para a consecução dos seus fins\u201d
Portaria 163: A classificação da despesa quanto ao seu elemento de despesas VISA A IDENTIFICAR OS OBJETOS DE GASTO, ou seja, aquilo que será adquirido, tais como vencimentos e vantagens fixas, juros, diárias, material de consumo, serviços de terceiros prestados sob qualquer forma, subvenções sociais, obras e instalações, equipamentos e material permanente, auxílios, amortização e outros de que a administração pública se serve para a consecução de seus fins.
§ 2º Para efeito de classificação da despesa, considera-se material permanente o de duração superior a 2 anos
MTO: O elemento de despesa tem por finalidade IDENTIFICAR OS OBJETOS DE GASTO, tais como