Resumo despesas públicas
89 pág.

Resumo despesas públicas


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.562 seguidores
Pré-visualização20 páginas
expansão ou aperfeiçoamento das ações de governo podem ser incluídas na lei orçamentária.
FALSO. Note que as ações especiais ESTÃO CONTIDAS NA LOA (embora não estejam no PPA), e elas são despesas que não contribuem com nada disso. 
Obs.: Pagar o principal de operações de credito feitas por ARO é EXTRAORÇAMENTÁRIO, mas o pagamento de encargos devido a operação de ARO é ORÇAMENTÁRIO.
CUIDADO: Operação de crédito normal é despesa orçamentária (pois depende de autorização legislativa e está na LOA), somente a ARO mesmo que é extraorçamentária \u2013 igual ocorria na receita. 
Q868698 Denomina-se despesa orçamentária a despesa que tenha sido realizada com o sacrifício de receitas orçamentárias, ainda que não tenha sido objeto de dotação orçamentária.
FALSO. Aqui É TAXATIVO. Se for ser despesa orçamentária necessariamente ela deve ser objeto de dotação. 
2- Dispêndio extraorçamentários: é aquela despesa que não consta na LOA, compreendendo determinadas saídas de numerários decorrentes de depósitos, pagamentos de restos a pagar, resgate de operações de crédito por ARO e recursos transitórios. 
Dispêndio extraorçamentário é aquele que não consta na lei orçamentária anual
Dispensa autorização legislativa para ser efetuado
Redução de ativo em decorrência de desincorporação de bens e direitos ou aumento do passivo em decorrência do surgimento de obrigações , ambas independentes da execução orçamentária. 
(CESPE/Analista Administrativo/Contabilidade/ANATEL/2009) As despesas extraorçamentárias se caracterizam por desincorporação de passivo ou apropriação de ativo. É o caso da quitação das operações de crédito por antecipação de receita, efetuadas em razão de dificuldades momentâneas de caixa. 
CORRETO. Segundo o MCASP, "se o desembolso é extraorçamentário, não há registro de despesa orçamentária, mas uma desincorporação de passivo ou uma apropriação de ativo".
3 \u2013 Despesas intraorçamentárias:
(CESPE/TCE-RN/ 2015) As contas intraorçamentárias, previstas pelo MCASP, são utilizadas para descentralizações e transferências de orçamentos entre os entes públicos, auxiliando no processo de consolidação dos balanços públicos, ao torná-lo mais célere e evitar dupla contagem das receitas ou despesas públicas. 
FALSO. As transações INTRAorçamentárias são as transações entre entidades integrantes dos orçamentos fiscais e da seguridade DO MESMO ENTE PÚBLICO.
1) A questão erra ao dizer que seria \u201centre entes públicos\u201d, isso não seria intraorçamentárias. 
6- QUANTO A AFETAÇÃO DA SITUAÇÃO LIQUIDA PATRIMONIAL
a) Despesa Orçamentária Efetiva: aquela que, em geral, o comprometimento do orçamento (empenho) não constitui o reconhecimento de um bem, um direito ou uma obrigação correspondente e assim afeta a situação líquida da entidade. 
É um fato contábil modificativo diminutivo.
b) Despesa Orçamentária Não Efetiva: aquela que, em geral, o comprometimento do orçamento (empenho) constitui o reconhecimento de um bem, um direito ou uma obrigação correspondente, por consequência é um fato permutativo(qualitativo) não alterando a situação líquida.
É um fato contábil permutativo.
Exemplo: Devolução de garantias, fianças, cauções, consignações de folha de pagamento, aquisição de material para estoque e despesa com adiantamento, compra de imóveis/móveis.
Q298618 Uma despesa pública é considerada não efetiva quando não reduz a situação líquida patrimonial da entidade no momento de sua realização
Normalmente, a despesa orçamentária efetiva é despesa corrente e a despesa orçamentária não efetiva é despesa de capital. ENTRETANTO, pode haver:
Despesa corrente não efetiva como, por exemplo, a despesa com a aquisição de materiais para estoque e a despesa com adiantamentos, que representam fatos permutativos 
Despesa de capital que é efetiva como, por exemplo, as transferências de capital, que causam variação patrimonial diminutiva e afetam a situação líquida.
Q561030 Uma transferência efetuada pela União a um município, para aquisição de equipamentos médicos, é uma despesa de capital efetiva, de forma que não se exige contrapartida do município.
CORRETO. Transferências de capital (note que é para adquirir equipamento, então é de capital) é despesa EFETIVA SIM, embora seja de capital
Q590149 Tanto a despesa orçamentária efetiva quanto a não efetiva podem provocar fatos contábeis dos tipos modificativo ou permutativo
FALSO. Não confundir as coisas: 
I) Quando a efetividade não tem exceção: todas receitas efetivas são fatos modificativos, todas receitas não efetivas são fatos permutativos.
II) A exceção que existe é quanto a relação que se faz Corrente-Efetiva e Capital-Não efetiva 
III) Material de estoque e adiantamento são despesas correntes (mas que fogem a lógica porque são não efetivas). Transferências de capital são despesas de capital (mas fogem à lógica porque são efetivas). 
7- QUANTO AO INDICADOR DE RESULTADO PRIMÁRIO
Nos termos do MTO, o identificador de resultado primário, de caráter indicativo, tem como finalidade auxiliar a apuração do resultado primário previsto na LDO, devendo constar no PLOA e na respectiva Lei em todos os GNDs, identificando, de acordo com a metodologia de cálculo das necessidades de financiamento, cujo demonstrativo constará em anexo à LOA. A seguir temos a descrição do classificador, conforme disposto nas últimas LDOs
Institucional
CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL / DEPARTAMENTAL
Q882081 No Brasil, as despesas orçamentárias são classificadas como institucionais, se constituídas por dois níveis, que se referem ao órgão e à unidade orçamentária.
Q855299 Na programação orçamentária do ente público, a identificação qualitativa do órgão ou da unidade orçamentária responsável pelo uso do recurso público é feita mediante classificação institucional.
Q587397 A classificação institucional da despesa permite a identificação da unidade administrativa responsável pelas dotações autorizadas pelo Legislativo.
Foi dada CORRETO. Gerou muita polemica, pois o que a classificação institucional mostra duas informações: O órgão responsável e a Unidade Orçamentária responsável. Note que que nada se diz sobre conhecer qual Unidade Administrativa responsável. 
I) Talvez seja um copia e cola do Giacomoni.
O Prof. Giacomoni ensina que a finalidade principal da classificação institucional é evidenciar as unidades administrativas responsáveis pela execução da despesa, isto é, os órgãos que gastam os recursos de conformidade com a programação orçamentária. É um critério classificatório indispensável para a fixação de responsabilidades e os consequentes controles e avaliações 
(CESPE/Analista de Controle Externo/TCE-PE/2017) A classificação institucional é indispensável para o estabelecimento de responsabilidades, bem como o controle e a avaliação dela consequente.
A classificação institucional reflete a estrutura de alocação dos créditos orçamentários e está estruturada em dois níveis hierárquicos: 
1- Órgão orçamentário 
Os órgãos orçamentários, por sua vez, correspondem a agrupamentos de unidades orçamentárias.
Órgão orçamentário é o agrupamento de Unidades Orçamentárias.
Exemplos: Presidência da República e Ministérios, Câmara dos Deputados, Senado Federal ,TCU, STF, STJ, Justiça Federal, Justiça Militar da União, Justiça Eleitoral, Justiça do Trabalho e a Justiça do Distrito Federal e dos Territórios.
2- Unidade orçamentária. 
Constitui unidade orçamentária o agrupamento de serviços subordinados ao mesmo órgão ou repartição a que serão consignadas dotações próprias (art. 14 da Lei nº 4.320/1964). 
As dotações são consignadas às unidades orçamentárias, responsáveis pela realização das ações.
As dotações orçamentárias, especificadas por categoria de programação em seu menor nível, são consignadas às Unidades Orçamentárias, que são as responsáveis pela realização das ações
Exemplos: órgãos autônomos, autarquias, fundações públicas, empresas públicas e sociedades de economia mista
Identifica as unidades administrativas responsáveis