Resumo despesas públicas
89 pág.

Resumo despesas públicas


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.578 seguidores
Pré-visualização20 páginas
emitido para aluguel do prédio onde funcionará a nova Secretaria de Governo deverá ser realizado na modalidade global e estará sujeito à existência de crédito compatível com a referida despesa na categoria econômica despesa de capital. 
FALSO. Sempre ler com atenção as questões. Note que o erro da questão está na ULTIMA palavra. De fato deverá ser feito um empenho global, mas a despesa de aluguel é uma despesa CORRENTE > outras despesas correntes.
Q336440 O crédito orçamentário concede ao ordenador de despesa o direito de gastar os recursos públicos destinados à sua unidade gestora, mediante emissão de empenho limitado ao valor autorizado.
Q79767 O empenho da despesa vincula dotação de crédito orçamentário ao pagamento de obrigação, assegurando aos fornecedores e prestadores de serviços aos entes públicos tão somente o cumprimento da respectiva contrapartida contratual.
Q578122 Se o valor empenhado for insuficiente para atender à despesa a ser realizada, o empenho poderá ser reforçado; no entanto, se o valor empenhado exceder o montante da despesa realizada, deverá haver uma anulação parcial do empenho
Q548059 O empenho deve ser classificado como uma das duas possibilidades: o ordinário, no qual o valor exato da despesa é conhecido, ou por estimativa, em que não se pode determinar previamente o montante preciso da despesa
FALSO. A rigor temos 3: ordinário , global e estimativo. A própria 4320 já prevê isso.
§ 2º Será feito por estimativa o empenho da despesa cujo montante não se possa determinar.
§ 3º É permitido o empenho global de despesas contratuais e outras, sujeitas a parcelamento.
Q564980 A administração só pode emitir ordem de serviço que autorize o início dos trabalhos caso haja créditos orçamentários empenhados, ainda que tenha sido contratada uma empresa para a execução da obra. 
CORRETO. A 4320 diz que não há despesa sem prévio empenho. Não há que se falar em começar qualquer trabalho se não houver sido empenhada a despesa.
Q644845 Se empenhos referentes a determinada obra pública, cuja execução esteja prevista para mais um exercício financeiro, não puderem ser pagos até 31/12 de cada ano, eles deverão ser inscritos em restos a pagar no exercício em que tiverem sido empenhados.
FALSO. Parágrafo único. Os empenhos que sorvem a conta de créditos com vigência plurienal, que não tenham sido liquidados, só serão computados como Restos a Pagar no último ano de vigência do crédito.
EM caso de empenho insuficiente, o que deve ser feito é emitir um empenho de REFORÇO para complementar o empenho original
E não \u201canular o empenho\u201d e fazer um empenho novo com o valor correto.
Q840698 O empenho de despesa impõe ao Estado uma obrigação de pagamento, ainda que o bem correspondente não tenha sido fornecido ou o serviço correspondente não tenha sido prestado.
CORRETO. É igual a questão que deu polemica do \u201co credor teria DIREITO AO PAGAMENTO independente de liquidação da despesa\u201d. 
As duas questões versam sobre a mesma coisa \u2013 \u201cobrigação = DIREITO SUBJETIVO\u201d de pagamento, isso é criado PELO EMPENHO!
Q792376 Empenho é ato contábil que registra a obrigação do Estado de efetuar pagamento a terceiro, pendente ou não de implemento de condições.
FALSO. Agora é FALSO, pois empenho não cria obrigação DE EFETUAR PAGAMENTO. O empenho cria a obrigação de pagamento.
Q677645 O empenho, primeiro estágio da despesa pública, consiste em reserva de dotação orçamentária para um fim específico e deve ser assinado pelo ordenador da despesa.
Parte superior do formulário
CORRETO. Só para salvar a questão que mostra que o CESPE adotou a visão dos estágios da despesa RESTRITA (só as 3 da lei 4320: Empenho \u2013 liquidação \u2013 pagamento).
Q385998 Um prefeito municipal que esteja no último mês de seu mandato não poderá empenhar mais que o duodécimo da despesa do orçamento vigente
FALSO. Não pode empenhar mais que o duodécimo da despesa PREVISTA no orçamento vigente. E ainda tem duas ressalvas. Ressalva do 67 da CF e a ressalva de calamidade pública. 
Q393623 É vedada a realização de despesas públicas sem a emissão prévia da nota de empenho
FALSO. A 4320 veda despesa SEM PRÉVIO EMPENHO. Quanto a nota de empenho, ela pode até ser dispensada em certos casos. 
Art. 60. É vedada a realização de despesa sem prévio EMPENHO.
§ 1º Em casos especiais previstos na legislação específica será dispensada a emissão da nota de empenho.
Q392771 Pode ocorrer despesa pública sem a realização de empenho prévio
CORRETO. Aqui ele considerou a exceção, nos casos em que o empenho pode ser CONTEMPORÂNEO à despesa.
Q355798 Caso um servidor, recentemente empossado e competente para exercer a atividade, emita o documento nota de empenho, necessário para a liquidação da folha de pagamento do mês, sem o devido nome de cada credor, essa operação deverá ser considerada irregular pela auditoria, que terá de emitir recomendação solicitando os ajustes cabíveis
FALSO. A nota de empenho pode ser dispensada quando for INVIÁVEL emiti-la. A obrigatoriedade do NOME DO CREDOR NO DOCUMENTO Nota de Empenho, em alguns casos, como na Folha de Pagamento, torna-se operacionalmente impraticável, tendo em vista o número excessivo de credores (servidores).
MAS CUIDADO: Nos casos em que é inviável colocar o nome do credor na nota de empenho , NÃO É QUE A NOTA vai ser dispensada , e sim que vai poder fazer uma nota com um único nome , VEJA:
Q627588 É vedada a realização de despesa sem prévio empenho, podendo ser dispensada, contudo, a emissão da nota de empenho, caso se trate de despesas com pessoal e dos encargos dela decorrentes. 
FALSO. Pois a nota de empenho neste caso NÃO SERÁ DISPENSADA , o que se abre exceção é quanto a necessidade de colocar o nome do credor , que neste caso é inviável. Será emitida SIM uma nota de empenho , entretanto sem todos os nomes.
Lei 4.320
Art. 58. O empenho de despesa é o ato emanado de autoridade competente que cria para o Estado obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de condição. 
Art. 59 - O empenho da despesa não poderá exceder o limite dos créditos concedidos. 
§ 1º Ressalvado o disposto no Art. 67 da Constituição Federal, é vedado aos Municípios empenhar, no último mês do mandato do Prefeito, mais do que o duodécimo da despesa prevista no orçamento vigente. 
§ 2º Fica, também, vedado aos Municípios, no mesmo período, assumir, por qualquer forma, compromissos financeiros para execução depois do término do mandato do Prefeito. 
§ 3º As disposições dos parágrafos anteriores não se aplicam nos casos comprovados de calamidade pública. 
§ 4º Reputam-se nulos e de nenhum efeito os empenhos e atos praticados em desacordo com o disposto nos parágrafos 1º e 2º deste artigo, sem prejuízo da responsabilidade do Prefeito nos termos do Art. 1º, inciso V, do Decreto-lei n.º 201, de 27 de fevereiro de 1967. 
Art. 60. É vedada a realização de despesa sem prévio empenho.
§ 1º Em casos especiais previstos na legislação específica será dispensada a emissão da nota de empenho.
§ 2º Será feito por ESTIMATIVA o empenho da despesa cujo montante não se possa determinar.
§ 3º É permitido o empenho GLOBAL de despesas contratuais e outras, sujeitas a parcelamento.
Art. 61. Para cada empenho será extraído um documento denominado "nota de empenho" que indicará o nome do credor, a representação e a importância da despesa bem como a dedução desta do saldo da dotação própria
Q893264 As disponibilidades da dotação orçamentária correspondente a determinada despesa regularmente empenhada são reduzidas em montante equivalente ao da despesa no momento do empenho. 
CORRETO. É exatamente o que o final diz \u201cbem como a dedução do saldo da dotação própria\u201d.
Decreto 93872
Art. 35. O empenho de despesa não liquidada será considerado anulado em 31 de dezembro, para todos os fins, SALVO QUANDO:
Note que isso é para RP não processado (empenho não liquidado), pois RP processado (empenho liquidado) não há que se falar de anular em 31 de dezembro pois